9 dicas para contratar um plano de saúde

9 dicas para contratar um plano de saúde

Se você está buscando um melhor acompanhamento para a sua saúde, veja agora nove dicas para contratar um plano de saúde de qualidade. 

Muitas pessoas acreditam que contratar um plano de saúde é caro demais e que, por vezes, está fora de cogitação para a realidade brasileira. 

Mas, eu vim te mostrar neste artigo que existem diversas alternativas e convênios com um excelente custo-benefício. 

Além disso, o principal responsável pela escolha do plano de saúde é você. Sendo assim, você pode escolher as coberturas e serviços que cabem no seu bolso e de acordo com as suas necessidades. 

Ao ler este artigo, você irá perceber que pagar um valor mensalmente e ter direito a consultas, exames e até internações vale muito mais a pena do que ficar esperando na fila do SUS ou optar por pagar os preços absurdamente caros da rede particular.

Eu vou te mostrar que é possível escolher um plano de saúde que cabe no seu orçamento e ainda supre as suas necessidades. 

Benefícios de ter um plano de saúde

Sem dúvida alguma, a gente não tem previsão de quando iremos adoecer, ou quando nossos filhos ou cônjuge irão ficar doentes. 

Sendo assim, ter um plano de saúde é essencial se você não quer passar por alguns transtornos nesses momentos difíceis. 

Além do mais, ter um plano de saúde vai te proporcionar segurança na vida pessoal e financeira, já que terá garantia de uma assistência médica de qualidade quando for necessário.

Caso você não queira ter um convênio, só lhe restará duas alternativas:

  1. Custear os altos gastos no atendimento particular; 
  2. Depender do atendimento precário do SUS.

Pesar qual a melhor opção entre as duas alternativas que lhe resta é um grande desafio, visto que apesar de possuir alguns méritos, os atendimentos da rede de atenção básica são insuficientes para a alta demanda exigida pela população. 

E para quem opta pelo atendimento na rede particular, pode se deparar com preços absurdos e dependendo da complexidade do problema a ser tratado, poderá contrair dívidas para bancar os gastos.

Geralmente, uma consulta numa clínica particular não é abaixo de R$150 e as internações ficam por volta de R$10 mil.

E apesar de, recentemente, terem surgido alternativas com preços populares, as clínicas não oferecem cobertura hospitalar e ambulatorial.

Por isso, se você deseja receber os cuidados médicos ideais para as suas necessidades, não passar por sustos e perrengues em casos emergenciais, a sua melhor opção é contratar um plano de saúde.

Porque é importante escolher bem o plano de saúde?

Porque é importante escolher bem o plano de saúde

Sabe quando deitamos a nossa cabeça no travesseiro e dormimos tranquilamente pensando em como a vida está tranquila e não há nada com que se preocupar? 

É… Essa é a sensação que temos quando aprendemos a contratar um plano de saúde que é excelente para nossa realidade. 

Um levantamento prévio realizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), mostrou que o número de usuários de planos de saúde atingiu 48,1 milhões, em abril de 2021. Esse é o maior volume no período de cinco meses.

E, segundo o Datafolha, somente a casa própria é mais importante para os brasileiros do que um plano de saúde. Conforme as estatísticas, 80% dos usuários aprovam a sua operadora. 

E para estar entre os índices de satisfação, você precisa contratar um bom plano de saúde que seja compatível com as suas necessidades médicas.

Por isso, antes de escolher o seu plano, você precisa refletir nas seguintes perguntas:

  • Quero ser atendido na sua cidade ou em todo o país? 
  • Em caso de internação, quero ficar na enfermaria ou em um apartamento? 
  • Estou disposto a pagar coparticipação ou quero tudo incluso na mensalidade?

As respostas para essas e outras perguntas que vão definir que tipo de plano você necessita e quais coberturas são fundamentais.

Como contratar um plano de saúde que eu possa pagar?

Para contratar um plano de saúde que caiba no seu orçamento, você precisa avaliar quais são as suas necessidades. 

Existem diversas opções de planos com coberturas e valores diferentes. Há planos mais básicos com mais limitações no atendimento que podem ser uma ótima opção para quem não utiliza os serviços frequentemente.

Ah! Outra forma de reduzir o valor da mensalidade do seu plano de saúde é a adesão aos planos coletivos ou empresariais.

Você também pode optar por convênios com coparticipação, que possuem mensalidades mais baixas e cobram uma taxa simbólica a cada atendimento.

9 passos para contratar um plano de saúde excelente

9 passos para contratar um plano de saúde excelente

Se você seguir essas dicas para contratar um plano de saúde, provavelmente irá fazer uma escolha assertiva. 

E essa decisão é um passo importante para você cuidar melhor de si e da sua família.

1. Escolha o tipo de contratação

Primeiramente, saiba que os planos de saúde podem ser de três tipos em relação à contratação:

  1. Individual ou familiar: você procura a operadora para contratar o plano
  2. Coletivo por adesão: sua associação profissional ou sindicato oferece o plano
  3. Coletivo empresarial: você contrata através de um CNPJ

Plano Individual

No plano individual, você procura a operadora para contratar o plano de saúde. A adesão é livre, possui período de carência, a cobertura acontece conforme o contrato e o ROL de procedimentos. 

Além disso, a rescisão é feita apenas em caso de fraude e/ou falta de pagamento e a cobrança ocorre diretamente ao consumidor pela operadora de planos de saúde.

Plano coletivo por adesão

No plano coletivo por adesão, sua associação profissional ou sindicato oferece o plano. 

A adesão exige vínculo com associação profissional ou sindicato, possui período de carência, salvo para quem ingressa no plano em até 30 dias da celebração do contrato ou no aniversário do mesmo.

A cobertura acontece conforme o contrato e o Rol de Procedimentos e a rescisão é prevista em contrato e somente é válida para o contrato na sua totalidade. Já a cobrança é feita diretamente ao consumidor pela Pessoa Jurídica contratante ou pela Administradora de Benefícios.

Plano de saúde empresarial

Em caso de contratação do plano empresarial, você precisa de um CNPJ para fazer a contratação. Pode ser de pequena, média ou grande empresa e até mesmo de microempreendedor individual (MEI). 

A adesão exige vínculo com pessoa jurídica por relação empregatícia ou estatutária. Possui período de carência, salvo para contrato com 30 ou mais beneficiários e para quem ingressa no plano em até 30 dias da celebração do contrato ou da vinculação à empresa.

Além disso, a cobertura é feita conforme o contrato e o Rol de Procedimentos e a rescisão é prevista em contrato e somente válida para o contrato na sua totalidade. 

Da mesma forma, a cobrança é feita diretamente ao consumidor pela Pessoa Jurídica contratante ou pela Administradora de Benefícios.

2. Veja qual a área de atendimento

A escolha da área de atendimento vai depender de até onde você deseja ser atendido. 

Por exemplo, se você é viajante é bom optar por um convênio que tenha atendimento por todo o país ou pelo menos nos estados que você mais costuma ir. 

Porém, também há planos apenas no seu estado ou cidade que podem ser mais acessíveis em valores. 

Apesar disso, saiba que há planos de saúde nacionais, estaduais, para alguns estados, para alguns municípios ou só para a sua cidade.

3. Atente-se às coberturas

Esse é um dos requisitos mais importantes para contratar seu plano de saúde, porque é ele que determina a quais serviços médicos você terá direito.

São cinco segmentos assistenciais em vigência:

  • Ambulatorial: cobre apenas consultas, exames e terapias
  • Hospitalar com ou sem obstetrícia: cobre apenas internações em hospitais (com ou sem direito a parto)
  • Ambulatorial + hospitalar com ou sem obstetrícia: cobre consultas, exames, terapias e internações (com ou sem direito a parto)
  • Odontológico: cobre apenas assistência odontológica
  • Referência: cobre consultas, exames, terapias, internações e parto (a cobertura total é válida 24 horas depois da adesão, sem carência) 

Como você pode ver, o plano referência é o melhor em relação às coberturas, entretanto também é o mais caro.

Para quem deseja ter um bom plano de saúde, é importante que o convênio escolhido ofereça no mínimo a cobertura ambulatorial + hospitalar. 

Ah! E tem mais uma dica: se você quer ter filhos, a cobertura de parto é essencial.

4. Defina o tipo de acomodação

Você pode optar por acomodação coletiva (enfermaria) ou acomodação individual (apartamento) em caso de internação.

O conforto é mais caro, então saiba que se escolher a acomodação individual, o valor do seu plano também irá aumentar.

5. Analise a rede credenciada

Avaliar quais são as redes credenciadas ao seu plano é crucial. E para isso lembre-se de priorizar qualidade ao invés de quantidade. 

Veja quais são as redes de hospitais, clínicas, laboratórios e médicos, e avalie se os prestadores são suficientes, se possuem bons profissionais, etc.

6. Verifique a carência

Legalmente, os planos de saúde podem exigir prazos de carência até a liberação dos serviços, seguindo os limites abaixo:

  • 24 horas para urgências e emergências
  • 180 dias para demais coberturas
  • 300 dias para partos a termo (gestações com mais de 37 semanas)

E você pode trocar de plano (caso já possua um) sem cumprir a carência. Basta consultar as condições de portabilidade no site da ANS.

7. Leia e preencha a proposta de adesão com cuidado

Ler o contrato antes de assinar é uma parte do processo que não deve ser transgredida. 

Leia-o e esclareça suas dúvidas com o corretor ou operadora. Não deixe de verificar se as condições que estão no documento são as mesmas do plano que você contratou.

8. Considere os reajustes

Geralmente, os planos de saúde passam por dois tipos de reajuste:

  1. Anual
  2. Aumento por mudança de faixa etária

Já o percentual máximo de reajuste para planos individuais e familiares é divulgado anualmente pela ANS.

Nos planos coletivos e empresariais, o reajuste ocorre conforme condições da operadora e acordos com empresários.

9. Avalie a reputação da operadora

Por último, mas não menos importante. Não assine o contrato do seu plano de saúde sem analisar a reputação da operadora no mercado.

No site da ANS, existe a possibilidade de você conferir o ranking de operadoras em relação à qualidade, além de verificar possíveis casos de suspensão e processos de falência.

Vale a pena também ver o Reclame Aqui e avaliar os comentários do Google para entender como os usuários avaliam o plano.  

 Conclusão

Viu que é possível contratar um plano de saúde que cabe no seu orçamento e ainda supre as suas necessidades? 

Basta que você siga o passo a passo que eu te mostrei aqui. 

E para te ajudar ainda mais nessa missão importante, eu tenho uma dica bônus para você! 

Contrate um plano da Smart Care! Você pode acessar os planos disponíveis clicando aqui

Caso fique alguma dúvida, você ainda pode entrar em contato com um de nossos consultores.

Avalie as suas necessidades e vem já contratar o seu plano de saúde!

Plano de saúde: 11 dúvidas mais comuns
Plano de saúde 11 dúvidas mais comuns

Você já deve ter pensado nas dúvidas mais comuns sobre o plano de saúde, caso cogitou adquirir um, não é Read more

Para que serve o médico endocrinologista
Para que serve o médico endocrinologista

Você sabe para que serve o médico endocrinologista? Vou te mostrar nesse artigo tudo o que você precisar sobre esse Read more

Operadora de plano de saúde: o que é e quais são as melhores opções
Operadora de plano de saúde o que é e quais são as melhores opções

Para saber qual é a melhor operadora de plano de saúde, antes preciso te explicar alguns fatores importantes. Por isso Read more

Plano de saúde é um custo ou investimento?
Plano de saúde é um custo ou investimento

Uma das dúvidas mais comuns é se o plano de saúde é um custo ou investimento. Algumas pessoas podem ver Read more

Comments are closed.