como mudar a cobertura do plano de saúde

Como mudar a cobertura do plano de saúde

Mudar a cobertura do plano de saúde tornou-se um assunto bastante procurado e pesquisado pelas pessoas, principalmente depois da crise econômica que a pandemia Covid-19 causou. 

Conforme um relatório emitido pelo Guia ANS, que é uma ferramenta de consulta da ANS (Agência Nacional de Saúde), o índice teve um aumento de 50% somente nos quatro primeiros meses de 2021.

Isso aconteceu porque as pessoas estão procurando por opções mais baratas de planos de saúde. 

Sendo assim, elas vão em busca de coberturas que caibam no seu bolso para que ainda com menos benefícios não perca a segurança de ter um atendimento de qualidade caso necessitem. 

Mas, existem algumas exigências e critérios que você precisa saber antes de mudar a cobertura do plano de saúde. 

Por isso, fiz esse artigo para lhe explicar o que você precisa ter em mãos para mudar a cobertura do seu plano e como você pode fazer isso sem cumprir novamente os prazos de carência. 

Fique comigo até o final para aprender a mudar a cobertura do plano de saúde do jeito certo!

Quais as coberturas do plano de saúde?

Para entender o processo de mudança de plano de saúde, você primeiro precisa conhecer quais são os planos existentes e quais procedimentos eles cobrem. 

Dessa forma, vou lhe apresentar a segmentação assistencial de cada plano de saúde que existe. 


A segmentação assistencial é a composição das coberturas, isto é a definição do tipo de atendimento que o usuário terá direito ao contratar um plano.

Os planos mais comuns são ambulatorial, referência, hospitalar sem e com obstetrícia, odontológico, porém existem outros diversos tipos.

Dessa forma, para cada segmentação, a ANS definiu uma lista de procedimentos com cobertura obrigatória descrita no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde.

Veja a seguir alguns tipos de planos e sua cobertura obrigatória:

Ambulatorial

Neste plano, estão incluídas consultas médicas em clínicas e consultórios, exames, tratamentos e demais procedimentos ambulatoriais.

Hospitalar sem obstetrícia

Inclui serviços em regime de internação hospitalar, com exceção de partos.

Hospitalar com obstetrícia

Aqui sim inclui partos, além do regime de internação.

Referência

Este plano inclui assistência médico-ambulatorial e hospitalar com obstetrícia e acomodação em enfermaria;

Odontológico

Engloba assistência odontológica que inclui consultas, exames, atendimento de urgência e emergência. 

Além disso também inclui tratamentos e demais procedimentos feitos em ambulatórios, desde que solicitados pelo profissional para complementar o diagnóstico.

Tipos de mudança da cobertura do plano de saúde

como mudar a cobertura do plano de saúde

Agora que você já conhece as coberturas, chegou a hora de saber como você pode mudar de cobertura. 

Assim sendo, conheça as duas formas possíveis:

  1. Downgrade ou;
  2. Upgrade

Uma das propostas de solução para quem deseja cortar gastos durante a crise econômica, sem abrir mão do plano de saúde, é fazer o downgrade de categoria.

Desse modo, em vez de cancelar, você muda o plano para um padrão abaixo dentro da mesma operadora.

Além disso, você também pode optar pelo processo contrário, ou seja, você pode solicitar o upgrade do plano de saúde, aumentando sua rede credenciada por um reajuste no valor da mensalidade.

Como mudar a cobertura do plano de saúde? 

Bom, as exigências e critérios são básicos.

A solicitação de mudança de cobertura somente pode ser feita por beneficiários de planos individuais, familiares ou coletivo por adesão (contratados por meio de entidades de classe, sindicatos, etc), após 12 meses de contrato.

Depois da alteração, você passa a ter acesso à rede credenciada da nova categoria. 

Além disso, também há possibilidade de alterar a abrangência geográfica e o tipo de acomodação.

Caso você esteja com algum tratamento em andamento, não se preocupe, ele continuará assegurado. 

Contudo, não poderá ser realizado nos locais que deixaram de ser credenciados em casos de downgrade.

Para realizar a troca é você terá de realizar um pedido formal à operadora, que irá avaliar a solicitação. 

Para isso, não se esqueça de levar alguns documentos. Listei-os abaixo para te ajudar:

  • Cópia do contrato ou declaração, ambos emitidos pela operadora do plano de saúde;
  • Abrangência Geográfica;
  • Segmentação Assistencial;
  • Tipo de Contratação;
  • Regulamentação;
  • Data de inclusão;
  • CPT – Cobertura Parcial Temporária;
  • Nome do Titular e dependentes;
  • Cópia dos três últimos boletos vencidos quitados;
  • Cópia da proposta de adesão.

Não deixe de analisar as condições com calma, principalmente cláusulas que tratam de reajuste e políticas de reembolso. 

E certifique-se de que os médicos ou hospitais de sua preferência fazem parte da nova rede credenciada.

E caso eu queira fazer portabilidade de plano de saúde sem cumprir carência?

Segundo a ANS, a portabilidade de carências é um direito garantido a todos os beneficiários de planos de saúde contratados a partir de 01/01/1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98. 

Essa opção está disponível aos clientes de qualquer modalidade de contratação, seja o plano individual, coletivo empresarial ou coletivo por adesão.

Para conseguir efetuar a portabilidade de carências, o beneficiário deve cumprir alguns critérios. Veja abaixo:

  • O plano atual deve ter sido contratado após 1º de janeiro de 1999 ou ter sido adaptado à Lei dos Planos de Saúde (Lei nº 9.656/98);
  • O plano de destino deve ter faixa de preço compatível com o atual;
  • O contrato deve estar ativo, ou seja, o plano de saúde atual não pode estar cancelado;
  • O cliente deve estar em dia com o pagamento das mensalidades;
  • O beneficiário deve ter cumprido o prazo mínimo de permanência no plano

Quais os prazos de permanência no plano?

Se a sua situação for de primeira portabilidade então o prazo mínimo é de 2 anos no plano de origem. 

Entretanto, pode se estender a 3 anos se tiver cumprido a Cobertura Parcial Temporária (CPT) para uma Doença ou Lesão Preexistente.

Agora se for a segunda portabilidade, ou seja, se em outros momentos você já havia realizado uma portabilidade, então o prazo de permanência exigido é de pelo menos 1 ano.

Mas esse prazo pode se estender por até 2 anos caso tenha feito portabilidade para o plano atual com coberturas não previstas no plano anterior.

Ademais, vale ressaltar também que é possível fazer a portabilidade da carência de um plano mais caro para um mais barato.

Todavia, observe o requisito de compatibilidade da faixa de preço.

Além disso, saiba que o pedido de portabilidade deve ser analisado em até dez dias pela operadora do plano de destino.

Depois disso, se não houver resposta, a troca é considerada válida. 

Desse modo, a partir da mudança, o usuário tem cinco dias para cancelar o plano anterior.

Caso contrário, estará sujeito a cumprir carências do novo plano.

Outro fato importante é que caso o plano de destino tenha coberturas não previstas no plano atual, o usuário poderá cumprir carência apenas para esses serviços. 

Nesse caso, o período de carência é limitado a 300 dias para partos e 180 dias para as demais coberturas.

Conclusão

Neste artigo, você aprendeu que é possível mudar a cobertura do plano de saúde e até fazer a portabilidade sem o cumprimento de carências. 

Se você está pensando nessa possibilidade para diminuir seus gastos ou deseja fazer um upgrade do seu plano, encontrou aqui boas respostas para suas dúvidas. 

Além disso, não deixe de avaliar as opções antes de tomar a sua decisão e fale com a sua operadora para tirar dúvidas sobre o seu contrato atual. 

Todas as informações fizeram sentido para você? 

Diga para mim nos comentários, tá pensando em fazer um downgrade ou upgrade? 

Sequelas de infarto: como viver bem após um infarto?
Sequelas de infarto como viver bem após um infarto

Você acha que é possível sobreviver com sequelas de infarto? Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, o infarto já fez Read more

Plano de saúde após demissão: o que você precisa saber para continuar com ele
Plano-de-saude-apos-demissao-o-que-voce-precisa-saber-para-continuar-com-ele

Você perdeu o emprego, mas quer continuar usando o plano de saúde após demissão?  No meio dessa pandemia e também Read more

9 dicas para contratar um plano de saúde
9 dicas para contratar um plano de saúde

Se você está buscando um melhor acompanhamento para a sua saúde, veja agora nove dicas para contratar um plano de Read more

Urgência e emergência para os planos de saúde: o que é e como funciona?
Urgência e emergência para os planos de saúde o que é e como funciona

Você sabe o que é urgência e emergência para os planos de saúde?  A gente chega no hospital e vê Read more

Novas coberturas dos planos de saúde ANS analisa proposta de normativa

Novas coberturas dos planos de saúde: ANS analisa proposta de normativa

A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) analisou, nesta quarta-feira (10/02), a proposta de Resolução Normativa (RN) que irá atualizar o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde.

Na reunião, foram apresentados os resultados da consulta pública que reuniu contribuições para a incorporação de novas tecnologias na lista de cobertura dos planos de saúde e as sugestões que foram consolidadas após análise técnica.

Os diretores apreciaram a minuta da RN, que deverá, agora, passar pelos ajustes finais antes de ser aprovada em definitivo pelo colegiado e seguir para publicação no Diário Oficial da União (DOU). 

O que é o Rol de Procedimentos e Evento em Saúde?

O Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde garante e torna público o direito assistencial dos beneficiários dos planos de saúde, válida para planos de saúde contratados a partir de 1º de janeiro de 1999, contemplando os procedimentos considerados indispensáveis ao diagnóstico, tratamento e acompanhamento de doenças e eventos em saúde, em cumprimento ao disposto na
Lei nº 9.656, de 1998.

O que diz a proposta de atualização da cobertura do plano de saúde?

As propostas de atualização sugeridas contemplam a incorporação de:

  • 60 novas tecnologias em saúde
    • Sendo 46 relativas a medicamentos; e
    • 14 referentes a procedimentos como exames, terapias e cirurgias.

Na lista de medicamentos estão:

  • 24 antineoplásicos orais contra diversos tipos de câncer;
  • 21 imunobiológicos para tratamento de doenças inflamatórias, crônicas e autoimunes, como psoríase, asma e esclerose múltipla; e
  • um para tratamento de doença que leva a deformidades ósseas.

Entre os procedimentos estão:

  • Exames;
  • Terapias; e
  • Cirurgias para diagnóstico e tratamento de enfermidades do coração, intestino, coluna, pulmão, mama, entre outras.

Além disso, está sendo ampliada a cobertura de outros quatro procedimentos já existentes no Rol, através de alterações nas Diretrizes de Utilização (DUTs).  

Além das incorporações de tecnologias, estão sendo propostas outras 41 atualizações entre alterações em DUTs e aprimoramento de termos descritivos de procedimentos já elencados no Rol.

Com isso, a Agência busca aprimorar a redação e consolidar regras previstas em entendimentos já divulgados pela ANS. 

O que acontece agora?

As propostas de atualização analisadas pela diretoria da ANS serão agora consolidadas e a minuta final de normativa seguirá para aprovação na próxima reunião dos diretores, prevista para ocorrer ainda este mês.

Depois de publicada no DOU, as operadoras de planos de saúde terão 30 dias para se adequarem à norma, e na sequência as novas coberturas passarão a vigorar.

O Rol de Procedimentos é válido para os beneficiários de planos de saúde contratados a partir de 02 de janeiro de 1999, os chamados planos novos, e para os usuários de planos contratados antes dessa data, mas que foram adaptados à Lei dos planos de saúde. 

Fonte: ANS
Plano de saúde para PME: como escolher a melhor opção?

Você sabe escolher um plano de saúde para PME?  As pequenas e médias empresas que desejam contratar um plano de Read more

Plano de saúde após demissão: o que você precisa saber para continuar com ele
Plano-de-saude-apos-demissao-o-que-voce-precisa-saber-para-continuar-com-ele

Você perdeu o emprego, mas quer continuar usando o plano de saúde após demissão?  No meio dessa pandemia e também Read more

Recursos Humanos na área da saúde: 7 estratégias para aplicar na sua empresa
Recursos Humanos na área da saúde 7 estratégias para aplicar na sua empresa

Se você é funcionário de alguma empresa, seja pública ou privada, precisa entender qual a importância dos Recursos Humanos na Read more

9 dicas para contratar um plano de saúde
9 dicas para contratar um plano de saúde

Se você está buscando um melhor acompanhamento para a sua saúde, veja agora nove dicas para contratar um plano de Read more

Plano de saúde cobre cirurgia de desvio de septo?

Plano de saúde cobre cirurgia de desvio de septo?

Se você quer saber se o plano de saúde cobre cirurgia de desvio de septo, provavelmente você já pesquisou sobre esse tipo de procedimento. 

No entanto, antes de te responder essa pergunta eu preciso deixar claro sobre tudo o que você precisa saber sobre esse assunto. 

Sendo assim, se você já quer saber a resposta se o plano de saúde cobre ou não a cirurgia de desvio de septo é só clicar aqui

Agora se você quer saber mais sobre esse assunto, continue comigo que no próximo tópico vou te mostrar o que é o desvio de septo.

O que é desvio de septo nasal?

O que é desvio de septo nasal?

Desvio de septo nasal é quando há uma descentralização da membrana que divide as cavidades. 

Sendo assim, as pessoas com desvio de septo têm obstrução e a congestão nasal. Também podem sentir dores de cabeça e sinusite.

No entanto, nem sempre essa condição é perceptível. Por isso, é importante fazer exames com um médico para verificar se você tem desvio de septo ou não.

Além disso, nem sempre a cirurgia é a primeira opção neste caso. Com a consulta com o especialista, você pode ter a opção de um tratamento apenas com medicamentos.

Como é a cirurgia de desvio de septo?

A cirurgia de desvio de septo também é chamada de septoplastia. Ela tem duração aproximada de duas horas e necessita de anestesia local ou geral.

Realiza-se a septoplastia de duas maneiras: aberta ou fechada. Vou te explicar cada uma delas. 

Septoplastia Aberta

Neste caso ocorre uma incisão na pele para o descolamento do nariz. É um procedimento que permite uma melhor visualização das estruturas nasais.

Sendo assim, é recomendado quando o objetivo é realizar correções complexas.

Além disso, em geral, o corte é imperceptível após o processo de cicatrização.

Septoplastia Fechada

O corte é realizado na parte interna do nariz, ou seja, não há pontos externos.

Sendo assim, essa opção é indicada nos casos em que a pele não cicatriza com facilidade ou quando o problema é mais simples de corrigir.

A partir de que idade é recomendado a cirurgia de desvio de septo?

O recomendado é que a septoplastia seja realizada em pacientes com mais de 16 anos. 

Isso porque a fase de crescimento do septo já está encerrada. 

No entanto, em casos especiais, indica-se o procedimento mais cedo.

Por isso, é importante conversar com um médico otorrinolaringologista e verificar essas possibilidades.

Como é o pós-operatório da cirurgia de desvio de septo?

Por ser um procedimento simples, em geral, o pós-operatório é indolor. A cirurgia dura em torno de duas horas e o paciente pode ter alta na manhã seguinte. Ficando no hospital apenas para observação. 

No entanto, ainda sim pode ter sangramento discreto nos dois primeiros dias. Por isso, também é necessário repouso durante duas semanas. 

Quando o plano de saúde cobre septoplastia?

Quando o plano de saúde cobre septoplastia?

Agora que você entendeu o que é o desvio de septo nasal e como acontece a cirurgia. Vamos para a pergunta principal desse artigo: o plano de saúde cobre a cirurgia de desvio de septo?

Em geral, se existe uma indicação médica, os planos de saúde são obrigados a cobrir a realização da septoplastia. 

Sendo assim, o paciente precisa passar por consulta para ter um diagnóstico detalhado para apresentar o laudo médico quando for solicitar a cirurgia.

E se a operadora negar o procedimento?

Se a operadora de plano de saúde negar o procedimento, você deve verificar qual é o motivo. 

Em geral, isso acontece porque o médico solicitou a realização da septoplastia com videolaparoscopia, que não está listada no Rol da ANS

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei se o plano de saúde cobre cirurgia de desvio de septo. 

Antes de tudo, te mostrei o que é desvio de septo e como ocorre a cirurgia (sendo ela aberta ou fechada). 

Além disso, te falei sobre a idade recomendada para o procedimento e o que você deve fazer se a operadora negar o seu pedido. 

Enfim… Ficou com alguma dúvida? Deixa um comentário! A nossa equipe está prepara para te auxiliar!

Como mudar a cobertura do plano de saúde
como mudar a cobertura do plano de saúde

Mudar a cobertura do plano de saúde tornou-se um assunto bastante procurado e pesquisado pelas pessoas, principalmente depois da crise Read more

Novas coberturas dos planos de saúde: ANS analisa proposta de normativa
Novas coberturas dos planos de saúde ANS analisa proposta de normativa

A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) analisou, nesta quarta-feira (10/02), a proposta de Resolução Normativa (RN) Read more

O que são doenças genéticas?
O que são doenças genéticas?

Você sabe o que são doenças genéticas? Provavelmente você conheça uma ou duas. Ou conhece alguém que tem.  Mas se Read more

Treinamento de força e resistência: como e por que fazer
Treinamento de força e resistência: como e por que fazer

Provavelmente, você já ouviu que o treinamento de força e resistência é essencial para quem deseja se manter ativo mesmo Read more

O que é acomodação coletiva

O que é acomodação coletiva?

Saber o que é acomodação coletiva é essencial para se decidir qual plano de saúde você vai contratar. Isso porque tem uma grande diferença em como será a sua internação.

Sei que pode parecer que há somente desvantagens. No entanto, escolher a enfermaria pode ser um diferencial.

Sem contar que você pode economizar e acima de tudo ter um bom atendimento.

Por isso, no artigo de hoje vou te explicar o que é acomodação coletiva. Além de te mostrar como ela funciona e responder perguntas que vão te ajudar a mudar de acomodação. 

Além disso, também vou te explicar como funciona a cobertura do plano de saúde. 

Agora, se você tiver alguma dúvida sobre o assunto é só deixar nos comentários! Afinal, a nossa equipe fará o possível para te responder.

Diante disso, nos tópicos do artigo de hoje vou te mostrar:

  • Como funciona a acomodação coletiva;
  • Como saber qual tipo de acomodação tem no seu plano;
  • Se é possível mudar seu plano de saúde para apartamento;
  • Qual a melhor acomodação;
  • Como funciona a cobertura no plano de saúde.

Vamos lá?

Como funciona a acomodação coletiva?

A acomodação coletiva (ou enfermaria) é um quarto que, geralmente, possui até 3 leitos.

Ou seja, isso significa que o paciente quando tiver internado pode dividir o quarto com outras duas pessoas.

Além disso, na enfermaria também há algumas restrições para o acompanhante.

Em outras palavras, é um ambiente compartilhado com outras pessoas que deve evitar tumultos e exposições. Além disso, o horário de visita é mais restrito.

Por outro lado, é garantido por lei que pacientes menores de 18 anos e maiores de 60 possuem direito a um acompanhante. Se bem que há algumas operadoras que ampliam essa faixa etária. 

Sendo assim, é importante você verificar no contrato. Ou entrar em contato com a sua operadora para verificar a informação.

Além disso, é importante lembrar que o acompanhante e os pacientes internados devem ser do mesmo sexo. A fim de evitar os constrangimentos durante a internação.

O banheiro também é compartilhado com todos os pacientes na acomodação. Uma vez que há apenas um banheiro por quarto.

Porém, a grande vantagem de escolher um plano de saúde com acomodação coletiva é que o valor da mensalidade é mais barato. 

Como saber qual tipo de acomodação tem no meu plano?

A informação sobre qual tipo de acomodação tem no seu plano de saúde está disposto no contrato. 

Assim como algumas operadoras também disponibilizam essa informação na carteirinha do usuário.

Porém, caso não encontre essa informação em nenhum desses lugares, entre em contato com a sua operadora por meio do canal de atendimento.

É possível mudar meu plano de acomodação coletiva para apartamento?

A maioria das operadoras permite que o beneficiário mude o seu plano de enfermaria para apartamento. 

No entanto, você deve conversar com a sua operadora para descobrir qual a diferença de valores entre eles. Isso porque as acomodações coletivas são mais baratas.

Estou internado e quero mudar para apartamento, posso?

Se você já estiver internado pode pedir para sair da acomodação coletiva de duas formas.

A primeira é entrar em contato com a operadora e solicitar a troca. No entanto, isso pode demorar algum tempo para de fato ficar no registro. 

E a outra possibilidade é você pedir a troca diretamente no hospital. Mas dessa maneira você paga de forma particular sem envolver a operadora.

Qual é o melhor: acomodação coletiva ou apartamento?

Depende. Você precisa primeiro entender como funciona cada uma das acomodações e verificar qual se caixa com a sua necessidade. 

Eu já falei como funciona a enfermaria. Geralmente, possui no máximo três leitos e um banheiro em comum. 

Já o apartamento é um quarto exclusivo do paciente durante a internação. Logo há um único banheiro e a chance de ter um acompanhante.

Existe tempo limite de internação diferente para as acomodações? 

Não existe tempo limite de internação em nenhum dos tipos de acomodação. Ou seja, o paciente deve ficar internado até que esteja recuperado. 

No entanto, você precisa ficar atento sobre qual tipo de cobertura o seu plano cobre. Afinal de contas, essa informação pode fazer diferença na hora da internação. 

Sendo assim, vou te explicar sobre como funciona a cobertura do plano de saúde.

Como funciona a cobertura do plano de saúde?

Assim como você já sabe o que é uma acomodação coletiva e qual é a diferença dela para o apartamento. Vou te mostrar como funciona a cobertura do plano de saúde. 

As coberturas são: Ambulatorial, Hospitalar sem obstetrícia, Hospitalar com obstetrícia e Odontológica. 

Vou te explicar cada uma delas.

Cobertura ambulatorial

A cobertura ambulatorial abrange consultas médicas em clínicas e consultórios. Além disso, há também exames e outros procedimentos ambulatoriais. 

No caso de emergência, o atendimento fica restrito às primeiras 12 horas da ocorrência. Caso a internação passe desse período, os custos ficam para o beneficiário.

Cobertura hospitalar sem obstetrícia

A cobertura hospitalar sem obstetrícia abrange a internação hospitalar, sem limite de dias. Sendo assim, prevê cirurgias e tratamentos mais complexos. 

Fique atento que nessa opção, não dá direito à atenção ao parto.

Já em relação à emergência o atendimento é 24 horas. Exceto se ainda estiver no prazo de carência. Nesse caso, a cobertura da internação é garantida por até 12 horas.

Cobertura hospitalar com obstetrícia

A cobertura hospitalar com obstetrícia é similar a anterior, a diferença é que ela abrange a atenção no parto. 

É importante ressaltar que a assistência à mãe e ao bebê se estende por 30 dias após o nascimento. Além disso, essa regra abrange filhos biológicos e adotivos.

Cobertura odontológica

A cobertura odontológica abrange:

  • Consultas;
  • Exames;
  • Tratamentos; e
  • Atendimentos de urgência e emergência odontológicos. 

Conclusão

No artigo de hoje te expliquei o que é acomodação coletiva. Por isso, te mostrei como ela funciona e respondi perguntas que vão te ajudar a mudar de acomodação. 

Além disso, te expliquei também como funciona a cobertura do plano de saúde. 

Agora… Quero saber de você? Tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixa nos comentários! A nossa equipe fará o possível para te responder.

Urgência e emergência para os planos de saúde: o que é e como funciona?
Urgência e emergência para os planos de saúde o que é e como funciona

Você sabe o que é urgência e emergência para os planos de saúde?  A gente chega no hospital e vê Read more

Conjuntivite: o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir
Conjuntivite o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir

Você sabe o que é conjuntivite? Muitas pessoas morrem de medo de ter esse problema ocular. Porém, esse diagnóstico pode Read more

Plano de saúde: 11 dúvidas mais comuns
Plano de saúde 11 dúvidas mais comuns

Você já deve ter pensado nas dúvidas mais comuns sobre o plano de saúde, caso cogitou adquirir um, não é Read more

Para que serve o médico endocrinologista
Para que serve o médico endocrinologista

Você sabe para que serve o médico endocrinologista? Vou te mostrar nesse artigo tudo o que você precisar sobre esse Read more