Sinusite como fazer o tratamento corretamente

Sinusite: Como fazer o tratamento corretamente?

O tratamento da sinusite pode ser um ponto crucial dependendo do quadro clínico que você se encontra. 

Em alguns casos, quando não tratada corretamente, a sinusite pode evoluir e gerar complicações que podem causar, em último caso, a morte. 

Difícil, não é? 

Como um problema, por vezes, considerado uma pequena gripe pode chegar a situações tão complicadas? 

É por isso que hoje vou falar para você como deve ser feito o tratamento da sinusite em seus possíveis quadros clínicos. 

Além disso, vou te mostrar o que é a sinusite, quais seus sintomas e como fazer um diagnóstico da enfermidade. 

Vem comigo! 

O que é sinusite?

Quando nossos seios paranasais inflamam, chamamos isso de sinusite ou sinusopatia. 

Ela pode ser resultado de infecções virais, bacterianas ou fúngicas, alergias ou problemas do sistema imunológico.

Geralmente, a sinusite vem acompanhada de rinite, que é a inflamação da cavidade nasal.

Todo esse quadro chama-se rinossinusite. 

Além disso, grande parte dos casos de rinossinusite são decorrentes de vírus respiratórios, como:

  • rinovírus
  • vírus influenza
  • vírus parainfluenza

O que são os seios paranasais?

Também chamados de seios da face, os seios paranasais são cavidades de ar que ficam dentro dos ossos cranianos e da face. 

Além disso, eles possuem comunicação com a cavidade nasal.

Sendo assim, temos quatros seios paranasais em nosso corpo:

  • Frontal.
  • Etmoidal.
  • Seio esfenoidal.
  • Seio maxilar.

Outro fato muito importante, é que os seios da face são bilaterais e simétricos.

Eles ligam-se à cavidade nasal por pequenos canais por onde é drenado o muco produzido.

Mas produzir muco é apenas uma das funções que eles desempenham. Eles também servem para:

  • Umidificar e aquecer o ar respirado pelo nariz.
  • Aumentar a ressonância da voz.
  • Equilibrar as pressões intracranianas quando há variações na pressão atmosférica 
  • Secretar muco para proteção das vias aéreas superiores.
  • Absorver impactos em casos de trauma 

Quando temos alguma alergia ou ficamos gripados, a drenagem do muco é obstruída e então temos congestão nasal e, consequentemente, ficamos com sinusite.

Tipos de sinusite

Você já sabe que temos 4 seios paranasais. Dessa forma, também é importante saber que a sinusite pode afetar qualquer um deles. 

Sendo assim, o acometimento pode ser bilateral ou unilateral. 

Os casos de sinusite podem ser classificados da seguinte forma:

  • Aguda: quando os sintomas duram menos de 4 semanas.
  • Subaguda: quando os sintomas duram entre 4 e 12 semanas
  • Sinusite crônica: quando os sintomas duram mais que 12 semanas.
  • Sinusite recorrente: quando há 4 ou mais episódios de sinusite durante o ano.

Geralmente, as sinusites agudas são de origem viral ou alérgica. 

Contudo, às vezes, elas podem se transformar em sinusite bacteriana.

Isso porque a obstrução do muco nos seios paranasais permitem que as bactérias se proliferem muito rápido. 

Por isso, é muito importante buscar ajuda quando os sintomas aparecerem.

Afinal, sinusites bacterianas quando não são tratadas devidamente podem progredir para um quadro de sinusite crônica.

Sintomas da Sinusite

Dependendo do quadro de sinusite, os sintomas podem variar. 

Dessa forma, trouxe os principais sintomas da sinusite aguda, pois é o quadro mais comum entre a população. 

Eles são:

  • Congestão nasal
  • Corrimento nasal purulento (coriza amarelada)
  • Dor de cabeça.
  • Dores na face
  • Dor na arcada dentária superior
  • Dor em volta dos olhos
  • Sensação de pressão quando abaixa a cabeça
  • Ouvidos entupidos
  • Tosse (principalmente à noite)
  • Diminuição do paladar e do olfato

Além disso, o paciente diagnosticado com sinusite pode ter mau hálito (halitose), fadiga ou irritabilidade e náuseas.

Sintomas da Sinusite Bacteriana

Esse é um quadro clínico que tratarei de modo particular, pois a falta de tratamento pode progredir para uma situação crônica. 

Provavelmente, se você for contaminado por bactérias terá febre. 

Mas, como a gripe pode causar tanto sinusite quanto febre, a distinção entre uma sinusite viral e uma sinusite bacteriana não é um diagnóstico fácil. 

Como já foi dito, a sinusite pode iniciar como uma infecção viral ou um quadro alérgico.

Contudo, após alguns dias, pode se transformar em sinusite bacteriana.

Em algumas situações não é possível diferenciar uma sinusite viral de uma sinusite bacteriana nos primeiros 10 dias de doença.

Dessa forma, você deve ficar de olho nos seguintes sintomas para identificar a existência de uma rinossinusite bacteriana aguda:

  1. Sinais ou sintomas de sinusite aguda com duração de 10 ou mais dias sem melhora.
  2. Início do quadro já com sintomas mais graves, como febre maior que 39ºC e descarga nasal purulenta, com duração de pelo menos três dias.
  3. Quadro de sinusite aguda que melhora após poucos dias, mas subitamente volta a piorar, surgindo febre, dor na face e coriza purulenta.

Diagnóstico da Sinusite

O diagnóstico da rinossinusite é quase sempre clínico. 

Nesse caso, é feito por um médico otorrinolaringologista, o qual analisará os sintomas apresentados pelo paciente e as vias aéreas. 

Geralmente, ele pede alguns exames de imagem dos seios da face e a endoscopia nasal confirmar o diagnóstico, assim como a coleta de amostras da secreção nasal, para identificar a presença de microorganismos.

Complicações

Além de possuir sintomas um pouco mais graves que os da sinusite aguda, a sinusite bacteriana pode levar a complicações graves.

Uma vez que os seios da face apresentam íntima relação com órgãos nobres, como olhos, ouvidos e cérebro.

Assim sendo, é essencial procurar atendimento médico assim que houver os seguintes sinais de complicação:

  • Febre acima de 39ºC
  • Edema ou vermelhidão na face
  • Edema e vermelhidão em volta dos olhos
  • Visão dupla ou qualquer outra alteração visual
  • Confusão mental
  • Dor de cabeça muito intensa
  • Rigidez de nuca
  • Prostração intensa

Quero chamar sua atenção para outro fato: são poucos os casos de morte por sinusite bacteriana.

Contudo, embora, tenha taxas baixas de mortalidade, essa é uma infecção que não deve ser tratada com desconsideração ou negligência. 

Se você sentir ou perceber quaisquer sinais descritos acima, então procure um médico imediatamente.

A sinusite bacteriana quando em casos graves, pode trazer complicações como:

  • infecção dos olhos
  • meningite
  • abscesso cerebral
  • infecção dos ossos da face
  • otite 
  • labirintite

Tratamento da Sinusite

Em grande parte dos casos de sinusite aguda, ela melhora naturalmente em 7 a 10 dias. 

Dessa forma, o tratamento  é basicamente sintomático. 

Alguns médicos indicam que os pacientes diagnosticados façam lavagem da cavidade nasal com solução salina (soro fisiológico) e aplicação de corticoides nasais em spray. 

Também é recomendado fazer compressas mornas sobre o rosto, pois isso pode trazer alívio, e ingestão vigorosa de líquidos ajuda a diluir as secreções.

Sendo assim, veja algumas possíveis formas de tratar naturalmente a sinusite:

  1. Umidifique o ar
  2. Use soro fisiológico para limpar o nariz
  3. Use uma solução salina caseira
  4. Inspire vapores de ervas
  5. Beba mais água
  6. Coma refeições mornas
  7. Descanse o suficiente

Além das formas naturais de tratamento, talvez seja necessário o uso de medicamentos.

Tratamento da Sinusite: descongestionantes nasais

Caso seja necessário, indica-se o seu uso por no máximo 3 dias, pois estas drogas estão associadas a recaídas, provocadas por congestão nasal de rebote. 

Isso porque o paciente quando usa o descongestionante, apresenta alívio temporário dos sintomas.

Entretanto, a suspensão do uso faz a congestão nasal retornar. 

Essa situação cria um ciclo vicioso.

Tratamento da Sinusite: antibióticos

Da mesma forma, os antibióticos só devem ser utilizados quando há evidências de sinusite bacteriana. 

Consulte o médico antes para não usar antibiótico indiscriminadamente para que não haja seleção de bactérias resistentes. 

Sendo assim, se a sinusite não tiver traços de origem bacteriana, não há motivos para usar antibióticos.

Tratamento da Sinusite Crônica

Se a sinusite permanecer por mais de 12 semanas consecutivas apesar do tratamento deve-se considerar um quadro de sinusite crônica.

Além disso, forma crônica está muito associada à presença de desvio de septo nasal e/ou pólipos nasais. 

Nesse caso, ambos possibilitam o quadro crônico, pois causa obstrução da comunicação entre os seios paranasais e as vias nasais.

A sinusite crônica pode ser causada por:

  • Fungos
  • Doença do Refluxo Gastroesofágico
  • Alergia Respiratória Recorrente
  • HIV
  • Asma 
  • Fibrose Cística

Em casos de sinusite crônica, recomenda-se a busca imediata por um especialista.

Apesar de ser de difícil cura, ela pode ser controlada com tratamento adequado.

Como buscar tratamento para a sinusite? 

Em conclusão, o tratamento para sinusite deve se iniciar dentro de casa, se os sintomas forem leves. Depois disso, se eles persistirem, procure um otorrinolaringologista. 

O especialista poderá te ajudar com a doença e saberá te diagnosticar da melhor maneira possível.

Além disso, possuir um plano de saúde irá ajudar você, pois com um plano de saúde é mais fácil conseguir atendimento imediato. 

Os planos de saúde podem proporcionar mais tranquilidade e atendimento de qualidade quando mais se precisa. 

Desse modo, entre em contato com nossa equipe para verificar a melhor opção para você e sua família, é só clicar aqui.

Conjuntivite: o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir
Conjuntivite o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir

Você sabe o que é conjuntivite? Muitas pessoas morrem de medo de ter esse problema ocular. Porém, esse diagnóstico pode Read more

10 maneiras de melhorar a saúde mental no trabalho
10 maneiras de melhorar a saúde mental no trabalho

A melhor forma de melhorar a saúde mental no trabalho é falando sobre o assunto. Não tem como fugir desse Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse
Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer.  Por isso, no artigo Read more

Plano de saúde cobre cirurgia de desvio de septo?
Plano de saúde cobre cirurgia de desvio de septo?

Se você quer saber se o plano de saúde cobre cirurgia de desvio de septo, provavelmente você já pesquisou sobre Read more

Conjuntivite o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir

Conjuntivite: o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir

Você sabe o que é conjuntivite? Muitas pessoas morrem de medo de ter esse problema ocular. Porém, esse diagnóstico pode ser facilmente evitado ou também tratado. Com apenas algumas precauções você pode prevenir essa situação.

Por isso, neste artigo você vai descobrir o que é, quais suas causas, sintomas, formas de tratamento e muito mais. 

Vem com a gente!

O que é conjuntivite?

O olho humano é coberto por uma membrana chamada conjuntiva. Ela permite que o olho esteja sempre lubrificado e também facilita o movimento ocular para que as pessoas possam enxergar corretamente. 

Contudo, essa membrana pode inflamar e com isso ocorre o diagnóstico da conjuntivite. 

Ao contrário do que muitos pensam, a conjuntivite é um problema ocular muito comum e pode aparecer em qualquer pessoa devido a motivos diversos, pois é causada por agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus.

Por isso, é importante se atentar para suas causas se você quiser evitar ter esse tipo de diagnóstico.

Do ponto de vista clínico, pode ser classificada por diferentes critérios: 

  • Aguda, sub-aguda e crônica;
  • Serosa, mucosa, purulenta e pseudomembranosas;
  • Folicular, papilar, flictenular e papilar gigante;
  • Blefaroconjuntivite ou ceratoconjuntivite.

Quais são os tipos e o que causa conjuntivite?

Quais são os tipos e o que causa conjuntivite

Os diferentes tipos de conjuntivite variam de acordo com o agente patogênico envolvido. Sendo assim, os principais tipos são:

1. Conjuntivite viral

É originada por um vírus. Muitas vezes, a inflamação da conjuntiva é apenas uma manifestação de uma infecção como a gripe e neste caso a evolução da conjuntivite acompanha o desenvolvimento da infeção que lhe deu origem.

Em geral, esse tipo é bastante contagioso. Contudo, costuma melhorar em alguns dias mesmo sem tratamento médico.

2. Conjuntivite bacteriana

É causada por bactérias e geralmente costuma ser de difícil extração. Por isso, esse tipo necessita de tratamento com colírios e/ou pomadas com antibióticos. Tende a ser frequente, autolimitada, benigna e ocasionalmente pode ser grave. 

3. Conjuntivite alérgica

Substâncias alergênicas, como pólen, poeira e pelos de animais, ocasionam o problema em pessoas suscetíveis. A conjuntivite alérgica pode ser sazonal ou aparecer durante o ano todo, dependendo do causador da alergia.

4. Conjuntivite tóxica

Aqui o problema é causado através do contato da conjuntiva com algum produto e substância tóxica, como produtos de limpeza, shampoos e inseticidas. Se não houver um tratamento correto nesse caso, a visão pode sofrer danos permanentes.

O que é conjuntivite: sintomas comuns

Os sintomas de conjuntivite variam de acordo com o tipo. Mas alguns sinais podem ser comuns em todos os tipos, indiferentemente do tipo de agente causador.

Geralmente, os primeiros sintomas costumam ser ardência, lacrimejamento, sensação de areia nos olhos e como se as pálpebras estivessem coladas ao acordar. 

Em seguida, os olhos podem ficar vermelhos e uma secreção pode surgir (excesso de remela), principalmente se for bacteriana.

Outros sintomas que você pode observar são:

  • Coceira nos olhos;
  • Dor;
  • Inchaço nas pálpebras;
  • Fotofobia (intolerância à luz forte).

É muito comum que o paciente sinta muito incômodo nos olhos, mas a visão não é afetada por isso. Então, se tiver pegado conjuntivite, irá enxergar normalmente.

Qual o tratamento para conjuntivite?

Qual o tratamento para conjuntivite

Assim como os sintomas variam conforme o agente causador, o tipo de tratamento também é diferente para cada uma de suas formas. 

Na conjuntivite viral não existem medicamentos específicos, então o tratamento costuma ser feito somente para amenizar os sintomas. 

Sendo assim, você pode fazer a aplicação de uma compressa fria e úmida nos olhos várias vezes ao dia.

No tratamento da conjuntivite bacteriana, o oftalmologista pode prescrever colírios ou pomadas antibióticas.

Já na conjuntivite alérgica, medicamentos para alergia geralmente podem ajudar a prevenir ou reduzir as crises. 

Mas atenção! A indicação de qualquer remédio somente pode ser feita por um médico. Alguns colírios são altamente contra-indicados, pois podem provocar complicações graves e agravar o problema. 

Sendo assim, não se automedique! Procure um oftalmologista assim que perceber que está com conjuntivite.

É importante que haja o acompanhamento do oftalmologista para um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

Como prevenir a conjuntivite?

É fácil evitar problemas oculares como conjuntivites. Basta apenas você tomar medidas que vão diminuir o risco de você adquirir uma, como, por exemplo:

  • Evitar nadar em piscinas sem cloro ou em lagos;
  • Usar óculos de mergulho para nadar, ou óculos de proteção se você trabalha com produtos químicos;
  • Lavar com frequência o rosto e as mãos para evitar a transmissão de micro-organismos patogênicos;
  • Não coçar os olhos;
  • Evitar abraços, beijos e cumprimentos com as mãos com pessoas infectadas;
  • Aumentar a frequência de troca as toalhas do banheiro ou use toalhas de papel para enxugar o rosto e as mãos;
  • Trocar as fronhas dos travesseiros diariamente enquanto perdurar a crise;
  • Não compartilhar esponjas, rímel, delineadores ou qualquer outro produto de beleza.

Conclusão

Neste artigo, te mostramos o que é a conjuntivite, quais são as suas principais causas, sintomas, formas de tratamento e como evitar esse problema ocular. 

Também te explicamos quais são as diferenças entre as conjuntivites bacterianas, virais e alérgicas.

Não deixe de seguir as recomendações para evitar a sua contaminação e procure o medicamento assim que presumir que está com conjuntivite. 

Você já teve conjuntivite? O que fez para curar esse problema? Conte-nos aqui nos comentários!

Plano de saúde: 11 dúvidas mais comuns
Plano de saúde 11 dúvidas mais comuns

Você já deve ter pensado nas dúvidas mais comuns sobre o plano de saúde, caso cogitou adquirir um, não é Read more

Para que serve o médico endocrinologista
Para que serve o médico endocrinologista

Você sabe para que serve o médico endocrinologista? Vou te mostrar nesse artigo tudo o que você precisar sobre esse Read more

Operadora de plano de saúde: o que é e quais são as melhores opções
Operadora de plano de saúde o que é e quais são as melhores opções

Para saber qual é a melhor operadora de plano de saúde, antes preciso te explicar alguns fatores importantes. Por isso Read more

Plano de saúde é um custo ou investimento?
Plano de saúde é um custo ou investimento

Uma das dúvidas mais comuns é se o plano de saúde é um custo ou investimento. Algumas pessoas podem ver Read more

10 maneiras de melhorar a saúde mental no trabalho

10 maneiras de melhorar a saúde mental no trabalho

A melhor forma de melhorar a saúde mental no trabalho é falando sobre o assunto.

Não tem como fugir desse tema ou fingir que ele não existe, principalmente, no momento que estamos passando atualmente. 

Por isso, vou te mostrar o que você e a sua empresa podem fazer para melhorar a saúde mental da sua equipe

Mas antes, você sabe o que é saúde mental?

O que é saúde mental?

A saúde mental, de acordo com a OMS, está relacionada à forma como uma pessoa reage às exigências, desafios e mudanças da vida.

Além disso, também está relacionado ao modo como harmoniza suas ideias e emoções.

Ou seja, tem a ver com sentimentos deprimidos, estressados ​​ou de medo que podem ser intensos demais ao ponto de afetar nossa vida diária. Se transformando assim em um problema de saúde mental, como ansiedade ou depressão

Qual a relação da saúde mental com o trabalho?

Há diversos fatores de risco para a saúde mental que podem estar presentes no ambiente de trabalho.

Podem, por exemplo, estar relacionados ao ambiente organizacional e gerencial, as habilidades e competências dos funcionários, etc.

Provavelmente, você já percebeu que quando um funcionário não está bem mentalmente, ele começa a cometer erros bobos, procrastina mais ou então pegar mais tarefas do que conseguem finalizar no ambiente de trabalho. 

Dessa forma, os problemas de saúde mental e estresse podem afetar negativamente o funcionário como, por exemplo, no:

  • Comunicação com colegas de trabalho;
  • Engajamento com o trabalho;
  • Desempenho e produtividade no trabalho;
  • Capacidade física e funcionamento diário.

O que pode ser feito para melhorar a saúde mental no trabalho?

Para melhorar a saúde mental no trabalho, as empresas podem disponibilizar planos de saúde com acompanhamento psicológico incluído. 

Dessa forma, os profissionais de saúde podem perguntar aos pacientes sobre qualquer depressão ou ansiedade e recomendar exames, tratamento e serviços conforme apropriado.

Além disso, os psicólogos podem incluir assistentes sociais, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e outros profissionais de saúde aliados como parte das equipes principais de tratamento para fornecer atendimento abrangente e holístico.

As empresas também podem:

  • Desenvolver um guia de “como fazer” para ajudar no desenho, implementação e avaliação de programas de saúde no local de trabalho que abordem questões de saúde mental e estresse;
  • Criar um cartão de pontuação de saúde mental que os empregadores possam usar para avaliar seu ambiente de trabalho e identificar áreas de intervenção;
  • Desenvolver um programa de reconhecimento que recompensa os empregadores que demonstram melhorias baseadas em evidências nas métricas de saúde mental e bem-estar e resultados de negócios mensuráveis;
  • Estabelecer programas de treinamento em parceria com escolas de negócios para ensinar os líderes como construir e manter uma força de trabalho mentalmente saudável.

Como você pode melhorar a saúde mental da sua equipe

Como você pode melhorar a saúde mental da sua equipe

Felizmente, existem várias maneiras de apoiar o bem-estar mental de seus funcionários. 

Por isso, separei 10 maneiras de melhorar a saúde mental no trabalho. Vamos lá? 

1) Fale francamente sobre saúde mental 

O primeiro passo para vencer o estigma é parar de tratar as doenças mentais como tabu. 

Quer seja um artigo que você leu, um programa que assistiu ou uma experiência pessoal que teve, falar sobre isso abertamente e sem vergonha ajudará os outros a perceberem que não estão sozinhos.

2) Continue a conversa

A cultura do local de trabalho deve ser estimulada, o que significa que você não pode mencionar saúde mental apenas uma vez e esperar que ela pegue. 

Por isso, encontrei várias oportunidades para incorporar o assunto ao dia a dia dos funcionários para que fique sempre em primeiro lugar.

3) Inclui todos os níveis de pessoal

Seus funcionários não acreditarão que você realmente se preocupa com o bem-estar deles, a menos que todos os gerentes e executivos também demonstrem a importância da saúde mental.

Sendo assim, fique atento para que a cultura da saúde mental passe por todos os níveis da empresa.

4) Incentive os funcionários a tirar dias de folga para saúde mental

Se você ainda exigir que seus funcionários forneçam um atestado médico ou outro motivo “legítimo” para faltar ao trabalho, pode ser hora de parar. 

Parte da saúde preventiva envolve dar uma folga à mente e ao corpo de vez em quando. 

Ou seja, permitir que sua equipe falte ao trabalho para se recarregar pode ajudá-los a evitar problemas de saúde mais sérios no futuro.

5) Preste atenção e esteja pronto para ajudar

Se você notar um funcionário se comportando de maneira diferente (por exemplo, irritabilidade ou baixo-astral), não hesite em perguntar se está tudo bem. 

Mesmo se eles disserem que está bem, lembre-os de que você está lá para ajudar e que eles têm acesso a recursos de assistência.

6) Certifique-se de que as ferramentas e recursos são relevantes

Não importa quantas informações você forneça a seus funcionários, nunca adiantará se estiverem desatualizadas ou irrelevantes. Na verdade, pode até causar danos.

Sendo assim, atualize com frequência seus recursos de saúde mental para certificar-se de que estão precisos, atualizados e contém conselhos práticos que seus funcionários podem usar para melhorar.

7) Facilite o acesso a esses recursos

Semelhante ao ponto anterior, sua equipe não aproveitará muito as informações se elas forem difíceis de encontrar. 

Por isso, elimine barreiras de acesso, fornecendo o conteúdo em uma variedade de formatos (áudio, vídeo, escrito, etc.). Além disso, minimize o número de etapas necessárias para encontrá-lo.

8) Priorize a confidencialidade e o anonimato

Mesmo que a saúde mental possa estar normalizada em seu local de trabalho, algumas pessoas ainda podem se sentir desconfortáveis ​​em discutir isso, especialmente se lutam contra vícios, traumas ou pensamentos suicidas. 

Dessa forma, tranquilize sua equipe de que a privacidade deles é sua principal preocupação e que o uso de recursos de saúde mental nunca será monitorado ou rastreado.

9) Projete um espaço de trabalho mentalmente saudável

É importante que seus funcionários se sintam energizados e estimulados pelo ambiente de trabalho. 

Uma pesquisa mostrou que a produtividade, o envolvimento e o bem-estar geral aumentam quando as pessoas se sentem confortáveis ​​em locais de trabalho com iluminação natural, plantas e outras características positivas.

10) Concentre-se no positivo

A doença mental é um problema sério, mas ainda pode ser tratada de uma maneira que faça as pessoas se sentirem compreendidas, apreciadas e esperançosas.

Por isso, lembre-se sempre de deixar seus funcionários com a sensação de que têm um plano de ação claro pela frente e que eles ou seus entes queridos podem ficar bem.

O que os funcionários podem fazer para melhorar a saúde mental no trabalho

Além disso, os próprios funcionários também podem ajudar a melhorar a saúde mental. Como, por exemplo:

  • Incentivando a empresa a oferecer educação e programas de saúde mental e gerenciamento de estresse que atendam às suas necessidades e interesses, caso ainda não existam;
  • Participando de programas e atividades patrocinados pelo empregador para aprender habilidades e obter o apoio de que precisam para melhorar sua saúde mental;
  • Não compartilhando com atitudes inaceitáveis ​​no local de trabalho como forma de ajudar outras pessoas;
  • Compartilhando experiências pessoais com outras pessoas para ajudar a reduzir o estigma;
  • Respondendo com empatia, oferecendo apoio aos colegas e incentivando outras pessoas a buscar ajuda;
  • Adotando comportamentos que promovam o controle do estresse e a saúde mental;
  • Fazendo refeições saudáveis ​​e bem balanceadas;
  •  Praticando exercícios físicos regularmente
  • Dormindo de 7 a 8 horas por noite;
  • Participando de atividades que promovam o controle do estresse e o relaxamento, como ioga, meditação, atenção plena ou tai chi.
  • Reservando um tempo para refletir sobre experiências positivas e expressando felicidade e gratidão;
  • Entre outras ações.
Saúde mental no trabalho: por que é importante falar sobre isso?
Saúde mental no trabalho por que é importante falar sobre isso

Saúde mental no trabalho já era um tema que precisava ganhar ampla discussão. Agora, devido ao momento que estamos vivendo, Read more

Janeiro Branco: Como você cuida da sua saúde mental?
Janeiro Branco Como você cuida da sua saúde mental

Em tempos de pandemia, Janeiro Branco chega à 8.ª edição mobilizando a sociedade em prol de um grande pacto pela Read more

Por que ter um plano de saúde para os funcionários?
Por que ter um plano de saúde para os funcionários

Você sabe por que é essencial ter um plano de saúde para os funcionários da sua empresa? Se você pensa Read more

Como aumentar autoestima em 7 passos simples
Como aumentar autoestima em 7 passos simples

Saber como aumentar autoestima é essencial para você ter uma saúde mental saudável.  No entanto, nem sempre é uma tarefa Read more

O que está causando dor na sua lombar?

O que está causando dor na sua lombar?

Você sabe o que está causando dor na sua lombar? Provavelmente você está sentado errado enquanto ler esse artigo. 

Segundo o Instituto Nacional de Desordens Neurológicas e Derrame (NINDS), a dor lombar é a causa mais comum de incapacidade relacionada ao trabalho.

Além disso, a maioria das dores lombares é o resultado de uma lesão. Como, por exemplo, entorses ou distensões musculares devido a movimentos repentinos, ou mecânica corporal inadequada ao levantar objetos pesados.

Mas esses não são os únicos casos. A dor lombar também pode ser causada por certas doenças, como:

  • Câncer da medula espinhal;
  • Um disco rompido ou hérnia;
  • Ciática;
  • Artrite;
  • Infecções renais;
  • Infecções da coluna.

Por certo, a dor lombar ocorre em indivíduos entre 30 e 50 anos. Isso porque em parte às mudanças ocorrem no corpo com o envelhecimento.

Ou seja, conforme você envelhece, há uma redução no conteúdo de fluido entre as vértebras da coluna vertebral.

Quais são as causas da dor lombar?

Quais são as causas da dor lombar

Vou te mostrar agora quais são as principais causas de dor na lombar. Veja só:

Deformação

Os músculos e ligamentos das costas podem esticar ou romper devido ao excesso de atividade. 

Os sintomas incluem dor e rigidez na parte inferior das costas, bem como espasmos musculares.

Sendo assim, o repouso e a fisioterapia são remédios para esses sintomas.

Lesão de disco

Os discos nas costas estão sujeitos a lesões. Aliás, esse risco pode aumentar com a idade. 

A hérnia de disco, também conhecida como disco rompido, ocorre quando a cartilagem ao redor do disco empurra a medula espinhal ou as raízes nervosas. 

Além disso, a lesão do disco ocorre repentinamente após levantar algo ou torcer as costas.

Ao contrário de uma distensão nas costas, a dor de uma lesão no disco, geralmente, dura mais de 72 horas.

Ciática

A ciática pode ocorrer com uma hérnia de disco se o disco pressionar o nervo ciático.

Isto é, como o nervo ciático conecta a coluna às pernas, a ciática pode causar dor nas pernas e nos pés

Estenose espinal

A estenose espinhal ocorre quando a coluna vertebral se estreita, pressionando a medula espinhal e os nervos espinhais.

Sendo assim, a pressão sobre os nervos espinhais causa sintomas como dormência, cólicas e fraqueza.

Curvaturas anormais da coluna

Doenças congênitas (Escoliose, cifose e lordose), em geral, são diagnosticadas pela primeira vez durante a infância ou adolescência. 

A curvatura anormal causa dor e má postura porque coloca pressão sobre os músculos, tendões, ligamentos e vértebras.

Outras condições

Existem várias outras condições que causam dores na parte inferior das costas. Enfim, essas condições incluem:

  • Artrite (uma inflamação das articulações);
  • Fibromialgia (dor prolongada e sensibilidade nas articulações, músculos e tendões);
  • Espondilite (uma inflamação das articulações entre os ossos da coluna vertebral);
  • A espondilose (doença degenerativa que pode causar perda da estrutura e função normais da coluna vertebral).

Além disso, condições adicionais de saúde podem causar dor na lombar também.

Como, por exemplo, problemas de rim e bexiga, endometriose cistos ovarianos miomas uterinos e câncer.

Como a dor lombar é diagnosticada?

Como a dor lombar é diagnosticada

O médico, provavelmente, vai começar solicitando um histórico de saúde completo.

Ou seja, vai conduzir um exame físico para determinar onde você está sentindo a dor e como ela está afetando sua amplitude de movimento.

O médico também pode verificar seus reflexos e suas respostas a certas sensações. Isso determina se a dor lombar está afetando seus nervos.

Além disso, o médico também pode monitorar sua condição por algumas semanas antes de enviá-lo para o teste.

Afinal de contas, a maioria das dores lombares se resolve com tratamentos simples de autocuidado.

Por outro lado, certos sintomas requerem mais testes, sobretudo quando houver falta de controle do intestino, fraqueza, febre e perda de peso.

Aliás, se a dor lombar persistir após o tratamento em casa, seu médico pode solicitar exames adicionais.

Portanto, procure atendimento médico imediatamente se sentir algum desses sintomas além de dor lombar.

Além disso, pode ser necessários exames de imagem como raios-X, tomografias computadorizadas, ultrassom e ressonâncias magnéticas.

Quais são as opções de tratamento para a dor lombar?

Quais são as opções de tratamento para a dor lombar

Agora que você já sabe quais são as causas da dor na lombar e como essa condição pode ser diagnosticada.

Vou te mostrar quais são suas opções de tratamento. Veja só: 

Autocuidado

Os métodos de autocuidado são úteis nas primeiras 72 horas após o início da dor.

Sendo assim, se a dor não melhorar após 72 horas de tratamento em casa, você deve chamar seu médico.

Nesse primeiro momento, você deve parar suas atividades físicas normais por alguns dias e aplicar gelo na parte inferior das costas. 

Os médicos geralmente recomendam o uso de gelo nas primeiras 48 a 72 horas e, em seguida, a troca para aquecimento. Ou seja, alterne gelo e calor para relaxar os músculos.

Também tome analgésicos de venda livre para aliviar a dor e quando for deitar fique de lado com os joelhos dobrados e um travesseiro entre as pernas. 

Além disso, um banho quente ou uma massagem geralmente podem relaxar os músculos rígidos das costas.

Tratamento médico

A dor lombar pode ocorrer com uma série de condições diferentes. Sendo assim, existem vários tratamentos médicos possíveis, incluindo:

  • Medicamentos;
  • Aparelhos médicos;
  • Fisioterapia.

Dessa forma, seu médico determinará a dosagem apropriada e a aplicação de drogas e medicamentos com base em seus sintomas.

Por isso, alguns medicamentos que seu médico pode prescrever incluem:

  • Relaxantes musculares;
  • Anti-inflamatórios não esteroides;
  • Drogas narcóticas, como codeína, para o alívio da dor;
  • Esteroides para reduzir a inflamação;
  • injeções de corticosteroide

Seu médico também pode prescrever fisioterapia, incluindo:

  • Massagem;
  • Alongamento;
  • Exercícios de fortalecimento;
  • Manipulação de costas e coluna.

Cirurgia

Para casos graves, a cirurgia pode ser necessária. A cirurgia geralmente é apenas uma opção quando todos os outros tratamentos falham. No entanto, se houver perda do controle do intestino ou da bexiga, ou uma perda neurológica progressiva, a cirurgia se torna uma opção de emergência.

Como posso prevenir a dor lombar?

Como posso prevenir a dor lombar

Existem muitas maneiras de prevenir a dor lombar. Praticar técnicas de prevenção também pode ajudar a diminuir a gravidade dos seus sintomas:

  • Exercitar os músculos do abdômen e das costas;
  • Perder peso se você estiver acima do peso;
  • Levantar itens adequadamente, dobrando os joelhos e levantando com as pernas;
  • Mantendo postura adequada;
  • Dormir em uma superfície firme;
  • Sentar-se em cadeiras de apoio que estejam na altura correta;
  • Evitar sapatos de salto alto;
  • Pare de fumar.

A nicotina causa degeneração dos discos espinhais e também reduz o fluxo sanguíneo.

Converse com seu médico sobre sua dor lombar. Eles podem diagnosticar a causa e ajudá-lo a criar um plano de tratamento que funcione melhor para você.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei o que pode estar causando a sua dor na lombar.

Antes de tudo, você viu como a dor na lombar pode ser diagnosticada e quais são as opções de tratamento. 

Além disso, também te mostrei como você pode prevenir a dor na lombar.

Gostou do artigo? Deixa um comentário! A nossa equipe está ansiosa para conversar com você.

Sinusite: Como fazer o tratamento corretamente?
Sinusite como fazer o tratamento corretamente

O tratamento da sinusite pode ser um ponto crucial dependendo do quadro clínico que você se encontra.  Em alguns casos, Read more

Conjuntivite: o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir
Conjuntivite o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir

Você sabe o que é conjuntivite? Muitas pessoas morrem de medo de ter esse problema ocular. Porém, esse diagnóstico pode Read more

10 maneiras de melhorar a saúde mental no trabalho
10 maneiras de melhorar a saúde mental no trabalho

A melhor forma de melhorar a saúde mental no trabalho é falando sobre o assunto. Não tem como fugir desse Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse
Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer.  Por isso, no artigo Read more

O que o diabético pode comer no cafe da manhã

O que o diabético pode comer no cafe da manhã

Saber o que o diabético pode comer no cafe da manhã é extremamente importante.

Pois pular essa refeição aumenta o risco de desenvolver diabetes tipo 2. 

Além disso, é essencial criar um plano alimentar para evitar que você faça uma escolha que pode elevar o nível de açúcar no sangue a curto prazo, enquanto afeta o controle da glicose no final do dia. 

Por isso, nesse artigo vou te mostrar:

  • A importância de um café da manhã amigo do diabetes;
  • Como construir uma refeição amiga do diabetes;
  • Dicas para um café da manhã saudável;
  • Receitas para café da manhã.

Enfim… Vamos lá?

Por que um café da manhã amigo do diabetes é importante

Por que um café da manhã amigo do diabetes é importante

O açúcar no sangue tende a aumentar após o café da manhã até duas vezes mais do que após o almoço. 

Por isso, o açúcar elevado no sangue, após as refeições, pode resultar em ânsias de carboidratos.

Sendo assim, o açúcar permanece na corrente sanguínea em vez de ir para as células e, em seguida, as células sinalizam ao corpo que ele precisa comer mais açúcar (ou carboidratos) para se abastecer de forma eficaz.

Por outro lado, comer um café da manhã com baixo teor de carboidratos minimizará a resposta de glicose resultante. Ou seja, o açúcar no sangue ficará mais equilibrado durante o dia.

Além disso, estudos mostraram que comer um café da manhã com alto teor de gordura e proteína moderada  pode realmente ajudar a reduzir o açúcar no sangue em jejum.

A razão provável é que esses tipos de opções de café da manhã têm baixo teor de carboidratos. 

Como construir uma refeição amiga do diabetes

Como construir uma refeição amiga do diabetes

Há quatro pilares principais a serem considerados ao planejar uma refeição para diabetes. Eles consistem em:

  1. Fibra: aveia, pães integrais e muffins de trigo/farelo;
  2. Proteína magra: ovos, peixe, feijão ou nozes;
  3. Gorduras saudáveis: azeite, abacate, manteiga e laticínios alimentados com erva, coco e nozes;
  4. Legumes: pimentão, tomate, cebola e, principalmente, folhas verdes escuras.

Por isso, separei para você algumas dicas para construir um café da manhã saudável:

Esteja consciente dos carboidratos

A quantidade total de carboidratos que você ingere no café da manhã dependerá do seu plano pessoal de alimentação e de como seu corpo lida com os carboidratos pela manhã. 

Muitos alimentos tradicionais para o café da manhã contêm carboidratos, por isso é importante controlar quais alimentos em seu café da manhã contêm carboidratos e o que todos eles representam. 

Aliás, cereais, leite e frutas contêm carboidratos e podem se acumular rapidamente quando combinados. 

Escolha gorduras saudáveis

As gorduras podem ajudá-lo a se sentir satisfeito por mais tempo, mas escolha com sabedoria. 

Por exemplo, bacon, salsicha e ovos fritos na manteiga são ricos em gorduras saturadas, o que pode aumentar o risco de doenças cardíacas.

Em vez disso, frite os ovos em um pouco de azeite de oliva, escolha bacon de peru ou salsicha de frango em vez de carne de porco e incorpore gorduras insaturadas saudáveis ​​de nozes, sementes e abacate.

Inclua proteína magra e fibra

Um dos principais objetivos do café da manhã é mantê-lo satisfeito até a hora do almoço.

Proteínas e fibras são digeridas lentamente e evitam os hormônios da fome para que você se sinta satisfeito por mais tempo. 

Sendo assim, um café da manhã com alto teor de proteínas e fibras pode ajudar a reduzir os desejos antes do almoço e ajudar a manter o nível de açúcar no sangue sob controle.

Dicas para café da manhã saudável para diabetes:

Agora vou te mostrar opções sobre o que o diabético pode comer no cafe da manhã:

  • Mude de torradas brancas para versões integrais, como pão com sementes, sementes múltiplas, celeiro, soja e linhaça;
  • Use farinha de trigo integral;
  • Em vez de geleia, experimente purê de banana. Outras opções saudáveis ​​são queijo com baixo teor de gordura, queijo cottage com algumas tâmaras frescas picadas ou manteiga de amendoim e banana picada;
  • Tente limitar a quantidade de óleo ao cozinhar. Cozinhe com óleos vegetais insaturados, como girassol, oliva ou colza, em vez de manteiga;
  • Adicione frutas e vegetais extras para aumentar sua ingestão de fibras sempre que puder;
  • Adicione frutas vermelhas, frutas secas ou meia banana ao seu cereal, ou tomates grelhados aos ovos com torradas.

Receitas para café da manhã de diabetes

Receitas para café da manhã de diabetes

A maneira mais fácil de garantir que você escolha um café da manhã saudável é preparando a refeição antecipadamente. 

Por isso, separei para você 7 receitas de café da manhã para diabetes. 

1) Omelete de ovo de vegetais assados

Você pode jogar qualquer coisa em uma omelete.

Usar as sobras de vegetais da noite anterior é uma ótima maneira de aumentar sua nutrição, prevenir a deterioração e aumentar o teor de fibras para ajudar a mantê-lo satisfeito.

Além disso, os vegetais assados ​​adicionam uma textura agradável e doçura à omelete. 

2) Power Yogurt Parfait

Abandone a granola e a fruta com xarope e use iogurte grego (que contém mais proteína do que o iogurte normal) e  frutas frescas ou congeladas para um café da manhã com alto teor de proteínas e fibras. 

3) Embrulho cremoso de salada de ovo

O abacate contém gordura e fibras saudáveis ​​para o coração, além disso é um ótimo substituto para a maionese.

Basta misturar os ovos cozidos picados com o abacate e preencher um envoltório de tortilha. 

4) Tigela de Blueberry com abóbora e quinoa

A quinoa é uma semente de baixo índice glicêmico, alta fibra e alta proteína.

Além disso, é uma ótima troca para a aveia e é naturalmente sem glúten. 

5) Manteiga de amendoim grelhada e sanduíche de morango

Em vez de queijo grelhado, faça um sanduíche de manteiga de amendoim grelhado no pão integral.

Pique alguns morangos para adicionar fibra e doçura.

A combinação de proteínas e fibras irá ajudá-lo a ficar satisfeito e satisfeito. 

6) Smoothie de frutas silvestres

Adicione proteína em pó de enchimento e gorduras saudáveis ​​na forma de leite de coco ou manteiga de nozes e você certamente se sentirá satisfeito mesmo horas depois.

Como um bônus, adicione um pouco de couve ou espinafre para vitaminas e nutrição extras. 

7) Panquecas de queijo cottage de aveia

Troque as típicas panquecas de farinha branca por essas panquecas feitas com queijo cottage rico em proteínas e aveia cheia de fibras.

Um grande lote vem junto em 20 minutos, mas você também pode prepará-los com antecedência, congelá-los e reaquecê-los na torradeira para refeições quase instantâneas.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei o que o diabético pode comer no cafe da manhã.

Antes de tudo, você viu como construir uma refeição amiga do diabetes e dicas para um café da manhã saudável.

Além disso, separei para você algumas receitas para café da manhã do diabetes. 

Gostou do artigo? Deixe um comentário e compartilhe nas redes sociais!

Sinusite: Como fazer o tratamento corretamente?
Sinusite como fazer o tratamento corretamente

O tratamento da sinusite pode ser um ponto crucial dependendo do quadro clínico que você se encontra.  Em alguns casos, Read more

Conjuntivite: o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir
Conjuntivite o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir

Você sabe o que é conjuntivite? Muitas pessoas morrem de medo de ter esse problema ocular. Porém, esse diagnóstico pode Read more

10 maneiras de melhorar a saúde mental no trabalho
10 maneiras de melhorar a saúde mental no trabalho

A melhor forma de melhorar a saúde mental no trabalho é falando sobre o assunto. Não tem como fugir desse Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse
Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer.  Por isso, no artigo Read more

Qual a diferença entre miopia e astigmatismo?

Qual a diferença entre miopia e astigmatismo?

É muito comum uma pessoa ter algum problema de visão, mas você sabe qual a diferença entre miopia e astigmatismo?

Vou te mostrar primeiro cada um deles para depois te explicar a diferença entre eles.

Além disso, também vou te falar como é a visão de quem tem miopia e astigmatismo e quais os tratamentos possíveis. Vamos lá?

O que é miopia e quais são seus sintomas?

Um ciclo de visão normal acontece da seguinte maneira: entre as partes do olho encontramos a córnea da íris, a pupila da retina cristalina e o nervo óptico.

A luz que penetra no olho é focada pelo cristalino e pela córnea, é refletida na retina e é transmitida ao cérebro através do nervo óptico para ser percebida como uma imagem.

No entanto, quando uma pessoa tem miopia, a luz que entra no olho se reproduz na frente da retina e não nela, causando visão embaçada de objetos que estão a longa distância.

Em geral, a causa da miopia é um defeito na curvatura da córnea que permite que a luz se projete distante da retina.

Ou seja, quanto mais longe a luz é projetada no olho, mais nítida é a miopia.

O principal sintoma da miopia é a dificuldade de ver claramente os objetos que estão a longa distância.

Além disso, você também pode identificar essa condição ser perceber:

  • Visão embaçada ou turva de objetos a longa distância;
  • Dor de cabeça de tensão;
  • Apertar os olhos para focar em objetos distantes.

Eu, por exemplo, descobri que tinha miopia quando entrei na faculdade. Eu estava fazendo um curso para concurso público antes de iniciar as aulas de Jornalismo e, como ia de carona, estava chegando atrasada nas aulas. 

Dessa forma, eu sempre sentava longe do quadro. Algo que na escola eu não fazia, pois me distraio fácil com muitas pessoas na minha frente. 

No curso eu percebi que não enxergava as anotações do professor no quadro e foi aí que descobri que precisava usar óculos.

O que é astigmatismo e quais são seus sintomas?

O astigmatismo é uma condição que ocorre quando um defeito na córnea ou na lente impede que as imagens sejam focalizadas corretamente. 

Quando os raios de luz penetram em um olho com astigmatismo, eles se concentram em vários pontos da retina ao mesmo tempo, o que causa visão turva.

Frequentemente, essa condição é causada por uma curvatura anormal em diferentes partes da córnea.

O astigmatismo pode se desenvolver em qualquer idade e entre seus principais sintomas encontramos:

  • Visão turva a longa e curta distância;
  • Fadiga visual;
  • Visão dupla;
  • Olhos vermelhos;
  • Dificuldade em dirigir à noite;
  • Aperte os olhos para focar.

Na época que descobri que tinha miopia, também descobri que tinha astigmatismo. Foi aí que entendi porque minha cabeça doía com a claridade e, constantemente, eu tinha dores de cabeça. 

Diferença entre miopia e astigmatismo

A principal diferença entre miopia e astigmatismo é que são dois erros de refração diferentes.

Vou te explicar.

A miopia impede o foco adequado de objetos a longas distâncias e o astigmatismo causa visão turva a qualquer distância. Além disso: 

MiopiaAstigmatismo
Ocorre quando a luz se forma na frente da retina e não sobre elaA luz se concentra em várias partes da retina ao mesmo tempo
Causada por um defeito ocular no diâmetro do olho ou por uma curvatura excessiva da córneaOcorre quando há uma curvatura anormal em várias partes da córnea.
Ocorre frequentemente durante a infância e pode desaparecer por si mesma aos 20 anosPode ocorrer em qualquer idade
Faz com que as pessoas apertem os olhos para focar à distânciaOs olhos são semicerrados para focalizar qualquer imagem
Pode causar estrabismoPode causar visão dupla
Causa fadiga ocularSensibilidade à luz.

Existe relação entre Miopia e Astigmatismo?

O astigmatismo pode sim ter uma relação com miopia ou com outros problemas de refração. Mas isso não significa que as pessoas que possuem a miopia necessariamente vão desenvolver o astigmatismo e vice-versa.

Por exemplo, eu tenho os dois. No entanto, tenho uma prima que só possui a miopia. 

Além disso, a miopia e o astigmatismo podem tanto aparecer juntos em um mesmo olho quanto separados, um em cada olho.

Como é a visão de uma pessoa que tem miopia com astigmatismo ao mesmo tempo?

Quem tem astigmatismo e miopia juntos não consegue enxergar claramente tanto de perto quanto de longe. É o meu caso, eu não posso ficar sem os óculos, caso o contrário, não exergo quase nada. 

Por exemplo, para enxergar as letras na tela do computador sem óculos eu preciso ficar, pelo menos, um palmo de distância.

No entanto, há casos em que a dificuldade para enxergar de perto é menos perceptível, sendo que a visão de objetos mais distantes fica mais borrada e embaçada.

Qual o tratamento para miopia e astigmatismo?

Embora a diferença entre miopia e astigmatismo seja clara, ambos os erros têm as mesmas alternativas para seu tratamento e correção. Entre eles:

Óculos e lentes de contato

A forma mais comum de combater a miopia e o astigmatismo é por meio do uso de óculos ou lentes de contato que permitem à pessoa focar qualquer imagem de maneira adequada, independentemente da distância.

Para utilizar este método tradicional é necessário saber o número de dioptrias que a pessoa possui e, com base nelas, fabricar lentes especializadas que corrigem o defeito e permitem que a luz seja projetada na retina.

Cirurgia

Por outro lado, nem todas as pessoas desejam usar óculos e lentes de contato e preferem optar por uma correção definitiva. 

Nestes casos, ela pode optar por uma cirurgia de correção. Um exemplo é a Cirurgia Lasik, que consiste em aumentar a cobertura da córnea com a tecnologia a laser.

Conclusão

No artigo de hoje te mostrei qual a diferença entre miopa e astigmatismo. Você viu o que é a miopia, o que é astigmatismo e quais são os sintomas de cada um. 

Além disso, te expliquei se existe uma relação entre as duas condições, como é a visão de uma pessoa que tem astigmatismo e miopia e qual é o tratamento para elas. 

Gostou do artigo? Deixa um comentário e compartilhe nas redes sociais!

Sinusite: Como fazer o tratamento corretamente?
Sinusite como fazer o tratamento corretamente

O tratamento da sinusite pode ser um ponto crucial dependendo do quadro clínico que você se encontra.  Em alguns casos, Read more

Conjuntivite: o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir
Conjuntivite o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir

Você sabe o que é conjuntivite? Muitas pessoas morrem de medo de ter esse problema ocular. Porém, esse diagnóstico pode Read more

10 maneiras de melhorar a saúde mental no trabalho
10 maneiras de melhorar a saúde mental no trabalho

A melhor forma de melhorar a saúde mental no trabalho é falando sobre o assunto. Não tem como fugir desse Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse
Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer.  Por isso, no artigo Read more