Conjuntivite o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir

Conjuntivite: o que é, sintomas, tratamento e como se prevenir

Você sabe o que é conjuntivite? Muitas pessoas morrem de medo de ter esse problema ocular. Porém, esse diagnóstico pode ser facilmente evitado ou também tratado. Com apenas algumas precauções você pode prevenir essa situação.

Por isso, neste artigo você vai descobrir o que é, quais suas causas, sintomas, formas de tratamento e muito mais. 

Vem com a gente!

O que é conjuntivite?

O olho humano é coberto por uma membrana chamada conjuntiva. Ela permite que o olho esteja sempre lubrificado e também facilita o movimento ocular para que as pessoas possam enxergar corretamente. 

Contudo, essa membrana pode inflamar e com isso ocorre o diagnóstico da conjuntivite. 

Ao contrário do que muitos pensam, a conjuntivite é um problema ocular muito comum e pode aparecer em qualquer pessoa devido a motivos diversos, pois é causada por agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus.

Por isso, é importante se atentar para suas causas se você quiser evitar ter esse tipo de diagnóstico.

Do ponto de vista clínico, pode ser classificada por diferentes critérios: 

  • Aguda, sub-aguda e crônica;
  • Serosa, mucosa, purulenta e pseudomembranosas;
  • Folicular, papilar, flictenular e papilar gigante;
  • Blefaroconjuntivite ou ceratoconjuntivite.

Quais são os tipos e o que causa conjuntivite?

Quais são os tipos e o que causa conjuntivite

Os diferentes tipos de conjuntivite variam de acordo com o agente patogênico envolvido. Sendo assim, os principais tipos são:

1. Conjuntivite viral

É originada por um vírus. Muitas vezes, a inflamação da conjuntiva é apenas uma manifestação de uma infecção como a gripe e neste caso a evolução da conjuntivite acompanha o desenvolvimento da infeção que lhe deu origem.

Em geral, esse tipo é bastante contagioso. Contudo, costuma melhorar em alguns dias mesmo sem tratamento médico.

2. Conjuntivite bacteriana

É causada por bactérias e geralmente costuma ser de difícil extração. Por isso, esse tipo necessita de tratamento com colírios e/ou pomadas com antibióticos. Tende a ser frequente, autolimitada, benigna e ocasionalmente pode ser grave. 

3. Conjuntivite alérgica

Substâncias alergênicas, como pólen, poeira e pelos de animais, ocasionam o problema em pessoas suscetíveis. A conjuntivite alérgica pode ser sazonal ou aparecer durante o ano todo, dependendo do causador da alergia.

4. Conjuntivite tóxica

Aqui o problema é causado através do contato da conjuntiva com algum produto e substância tóxica, como produtos de limpeza, shampoos e inseticidas. Se não houver um tratamento correto nesse caso, a visão pode sofrer danos permanentes.

O que é conjuntivite: sintomas comuns

Os sintomas de conjuntivite variam de acordo com o tipo. Mas alguns sinais podem ser comuns em todos os tipos, indiferentemente do tipo de agente causador.

Geralmente, os primeiros sintomas costumam ser ardência, lacrimejamento, sensação de areia nos olhos e como se as pálpebras estivessem coladas ao acordar. 

Em seguida, os olhos podem ficar vermelhos e uma secreção pode surgir (excesso de remela), principalmente se for bacteriana.

Outros sintomas que você pode observar são:

  • Coceira nos olhos;
  • Dor;
  • Inchaço nas pálpebras;
  • Fotofobia (intolerância à luz forte).

É muito comum que o paciente sinta muito incômodo nos olhos, mas a visão não é afetada por isso. Então, se tiver pegado conjuntivite, irá enxergar normalmente.

Qual o tratamento para conjuntivite?

Qual o tratamento para conjuntivite

Assim como os sintomas variam conforme o agente causador, o tipo de tratamento também é diferente para cada uma de suas formas. 

Na conjuntivite viral não existem medicamentos específicos, então o tratamento costuma ser feito somente para amenizar os sintomas. 

Sendo assim, você pode fazer a aplicação de uma compressa fria e úmida nos olhos várias vezes ao dia.

No tratamento da conjuntivite bacteriana, o oftalmologista pode prescrever colírios ou pomadas antibióticas.

Já na conjuntivite alérgica, medicamentos para alergia geralmente podem ajudar a prevenir ou reduzir as crises. 

Mas atenção! A indicação de qualquer remédio somente pode ser feita por um médico. Alguns colírios são altamente contra-indicados, pois podem provocar complicações graves e agravar o problema. 

Sendo assim, não se automedique! Procure um oftalmologista assim que perceber que está com conjuntivite.

É importante que haja o acompanhamento do oftalmologista para um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

Como prevenir a conjuntivite?

É fácil evitar problemas oculares como conjuntivites. Basta apenas você tomar medidas que vão diminuir o risco de você adquirir uma, como, por exemplo:

  • Evitar nadar em piscinas sem cloro ou em lagos;
  • Usar óculos de mergulho para nadar, ou óculos de proteção se você trabalha com produtos químicos;
  • Lavar com frequência o rosto e as mãos para evitar a transmissão de micro-organismos patogênicos;
  • Não coçar os olhos;
  • Evitar abraços, beijos e cumprimentos com as mãos com pessoas infectadas;
  • Aumentar a frequência de troca as toalhas do banheiro ou use toalhas de papel para enxugar o rosto e as mãos;
  • Trocar as fronhas dos travesseiros diariamente enquanto perdurar a crise;
  • Não compartilhar esponjas, rímel, delineadores ou qualquer outro produto de beleza.

Conclusão

Neste artigo, te mostramos o que é a conjuntivite, quais são as suas principais causas, sintomas, formas de tratamento e como evitar esse problema ocular. 

Também te explicamos quais são as diferenças entre as conjuntivites bacterianas, virais e alérgicas.

Não deixe de seguir as recomendações para evitar a sua contaminação e procure o medicamento assim que presumir que está com conjuntivite. 

Você já teve conjuntivite? O que fez para curar esse problema? Conte-nos aqui nos comentários!

Para que serve o médico endocrinologista
Para que serve o médico endocrinologista

Você sabe para que serve o médico endocrinologista? Vou te mostrar nesse artigo tudo o que você precisar sobre esse Read more

Operadora de plano de saúde: o que é e quais são as melhores opções
Operadora de plano de saúde o que é e quais são as melhores opções

Para saber qual é a melhor operadora de plano de saúde, antes preciso te explicar alguns fatores importantes. Por isso Read more

Plano de saúde é um custo ou investimento?
Plano de saúde é um custo ou investimento

Uma das dúvidas mais comuns é se o plano de saúde é um custo ou investimento. Algumas pessoas podem ver Read more

Plano de Saúde mais barato: 4 opções vantajosas
Plano de Saúde mais barato 4 opções vantajosas

Se você quer encontrar um Plano de Saúde mais barato, precisa ler esse artigo até o final. Isso porque eu Read more

O que é hipermetropia na visão e os principais sintomas

O que é hipermetropia na visão e os principais sintomas

Se você quer saber o que é hipermetropia na visão continua lendo esse artigo, pois além de te mostrar a definição você também vai ver:

  • Quais são os sintomas, as causas e as complicações;
  • Quando ver um médico;
  • Qual o tratamento.

Enfim… Vamos lá? 

O que é hipermetropia?

O que é hipermetropia

Hipermetropia é uma condição de visão comum em que você pode ver objetos distantes claramente, mas os objetos próximos podem estar borrados.

Em geral, a hipermetropia está presente no nascimento e tende a passar de geração para geração. 

No entanto, a boa notícia é que você pode facilmente corrigir essa condição com óculos ou lentes de contato. Outra opção de tratamento é a cirurgia.

Quais os sintomas da hipermetropia?

Os principais sintomas da hipermetropia são:

  • Objetos próximos podem parecer desfocados;
  • Você precisa apertar os olhos para ver claramente;
  • Tem fadiga ocular, incluindo ardência nos olhos e dor nos olhos ou ao redor deles;
  • Você sente desconforto geral nos olhos ou dor de cabeça depois de realizar tarefas de perto, como, ler, escrever, trabalhar no computador ou desenhar, por um tempo.

Quais as causas da hipermetropia?

Quais as causas da hipermetropia

O nosso olho tem duas partes que focam as imagens:

  • A córnea: superfície frontal transparente em forma de cúpula do olho;
  • A lente: uma estrutura clara sobre o tamanho e a forma de um doce M&M.

Sendo assim, em um olho de formato normal, cada um desses elementos de foco tem uma curvatura perfeitamente lisa, como a superfície de uma bola de gude.

Assim uma córnea e lentes com tal curvatura dobram (refratam) toda a luz que entra para fazer uma imagem nitidamente focada diretamente na retina, na parte posterior do olho.

Por outro lado, se a sua córnea ou cristalino não tiver curvas uniformes e suaves, os raios de luz não são refratados adequadamente e você tem um erro de refração.

Dessa forma, a hipermetropia ocorre quando o globo ocular é mais curto do que o normal ou a córnea é curvada muito pouco. 

Outros erros de refração

Além da hipermetropia, outros erros de refração incluem:

Miopia

A miopia ocorre quando o globo ocular é mais longo do que o normal ou a córnea é curvada muito acentuadamente.

Sendo assim, em vez de ser focada precisamente na retina, a luz é focalizada na frente da retina, resultando em uma aparência borrada para objetos distantes.

Astigmatismo

O astigmatismo ocorre quando sua córnea ou lente é curvada de forma mais acentuada em uma direção do que em outra.

Além disso, o astigmatismo não corrigido embaça sua visão.

Quais as complicações associadas a hipermetropia?

Quais as complicações associadas a hipermetropia

A hipermetropia pode estar associada a vários problemas, como:

Estrabismo

Algumas crianças com hipermetropia podem desenvolver estrabismo.

Assim sendo, óculos especialmente projetados que corrigem parte ou toda a hipermetropia pode tratar esse problema.

Qualidade de vida reduzida

Com a hipermetropia não corrigida, você pode não ser capaz de realizar uma tarefa tão bem quanto deseja.

Assim sendo, sua visão limitada pode prejudicar seu prazer nas atividades do dia-a-dia.

Fadiga ocular

A hipermetropia não corrigida pode fazer com que você aperte os olhos ou force os olhos para manter o foco.

Aliás, isso pode causar fadiga ocular e dores de cabeça.

Segurança prejudicada

A sua própria segurança e a de outras pessoas podem ser comprometidas se você tiver um problema de visão não corrigido.

Isto é, principalmente, se você estiver dirigindo um carro ou operando equipamentos pesados.

Encargo financeiro

O custo de lentes corretivas, exames oftalmológicos e tratamentos médicos pode aumentar. Em especial, em uma condição crônica como a hipermetropia.

Quando ver um médico?

Você deve procurar um médico oftalmologista quando o seu grau de hipermetropia for o suficiente para que você não consiga realizar uma tarefa tão bem quanto deseja. Ou seja, se sua qualidade de visão prejudicar seu prazer nas atividades.

O oftalmologista pode determinar o grau de sua hipermetropia e aconselhá-lo sobre as opções para corrigir sua visão.

Segundo a American Academy of Ophthalmology, é recomendo os seguintes intervalos para exames regulares aos olhos:

Adultos

Se você tem alto risco de contrair certas doenças oculares, como glaucoma, faça um exame com dilatação ocular a cada um ou dois anos, a partir dos 40 anos.

Além disso, se você não usa óculos ou lentes de contato, não tem sintomas de problemas nos olhos e tem baixo risco de desenvolver doenças oculares faça um exame aos olhos nos seguintes intervalos:

  • Um exame inicial aos 40;
  • A cada dois a quatro anos entre 40 e 54 anos;
  • Cada um a três anos entre 55 e 64 anos;
  • A cada um a dois anos, começando aos 65 anos.

Crianças e adolescentes

As crianças precisam ser rastreadas para doenças oculares e ter sua visão testada por um pediatra, um oftalmologista, um optometrista ou outro rastreador treinado nas seguintes idades e intervalos:

  • Aos 6 meses de vida;
  • 3 anos;
  • Antes da primeira série e a cada dois anos durante os anos escolares.

Quais os tratamentos para hipermetropia?

Quais os tratamentos para hipermetropia

Os tratamentos comuns incluem óculos e lentes de contato, mas a cirurgia ocular a laser é uma opção duradoura para qualquer pessoa com uma prescrição de hipermetropia adequada.

Cirurgia ocular a laser e hipermetropia

A cirurgia ocular a laser pode fornecer uma solução de longo prazo para os incomodados pela visão turva que pode resultar da hipermetropia.

Quando tratada com laser, a córnea é aumentada para refocar os raios de luz que chegam diretamente na retina, restaurando assim a visão clara e focada.

Além disso, normalmente, a recuperação após a cirurgia ocular a laser é muito rápida.

Sendo assim, a maioria dos pacientes volta ao trabalho no dia seguinte ao tratamento e nota uma melhora em sua visão em poucas horas.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei o que é hipertropia na visão. Antes de tudo, você viu quais são os sintomas e quais as causas.

Além disso, te mostrei também quais as complicações, quando ver um médico e qual o tratamento para a hipertropia. 

Gostou do artigo? Deixa um comentário! A nossa equipe está ansiosa para conversar com você!

Urgência e emergência para os planos de saúde: o que é e como funciona?
Urgência e emergência para os planos de saúde o que é e como funciona

Você sabe o que é urgência e emergência para os planos de saúde?  A gente chega no hospital e vê Read more

Plano de saúde: 11 dúvidas mais comuns
Plano de saúde 11 dúvidas mais comuns

Você já deve ter pensado nas dúvidas mais comuns sobre o plano de saúde, caso cogitou adquirir um, não é Read more

Operadora de plano de saúde: o que é e quais são as melhores opções
Operadora de plano de saúde o que é e quais são as melhores opções

Para saber qual é a melhor operadora de plano de saúde, antes preciso te explicar alguns fatores importantes. Por isso Read more

Como é uma consulta com psicólogo?
Como é uma consulta com psicólogo

Se você busca saber como é uma consulta com psicólogo, preciso ser sincera com você.  Nenhuma consulta com psicólogo será Read more