Como fazer um plano de saúde 10 dicas essenciais que você precisa saber

Como fazer um plano de saúde: 11 dicas essenciais que você precisa saber

Para saber como fazer um plano de saúde você precisa de papel, caneta e dedicação. 

Isso porque escolher o plano de saúde ideal para você e sua família deve ser uma tarefa realizada com planejamento.

Ou seja, não dá pra escolher qualquer plano que te oferecem antes de ter todas as informações essenciais para você se decidir. 

Por isso, fique atento a todas as dicas que vou te passar. Elas vão te dar a segurança que você precisa para contratar o plano de saúde perfeito para o seu perfil.

1) Realize pesquisas

Não recomendo você se decidir por um plano de saúde antes de fazer uma boa pesquisa.

Isso porque você precisa saber de todos os detalhes que vou te apresentar nesse artigo antes de se decidir. 

Já te adianto que essa pesquisa não deve ser apenas em relação ao preço. Afinal de contas, o barato nem sempre é o ideal para as suas necessidades e da sua família.

Sendo assim, faça uma pesquisa pelo Google e aqui no nosso site e anote todas as informações relevantes de cada operadora. 

Além disso, você também pode pedir indicação para amigos e familiares sobre os planos de saúde que eles usam ou já utilizaram. 

Mas nesse momento não se decida com base na experiência individual de uma única pessoa, observe e anote todas as informações com neutralidade.

Isso porque ainda não é hora de escolher o plano de saúde, mas sim colher informações.

Aliás, você também pode olhar o site oficial da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Ao acessar você pode verificar o índice que mede a satisfação dos consumidores e o nível dos serviços prestados (IDSS). 

2) Faça um mapeamento das suas necessidades

Responda as seguintes perguntas:

  • Para que você e sua família precisa de um plano de saúde?
  • Você quer mais segurança quando precisa de consultas médicas?
  • Quer começar as consultas para um planejamento familiar?

Ou seja, liste todas as necessidades que você e sua família precisa, desde as consultas até em caso de cirurgias. Assim você terá mais clareza de qual plano de saúde é a melhor opção. 

3) Faça um planejamento financeiro  

Faça um planejamento financeiro- como fazer um plano de saúde

Apesar de ainda não ter feito nenhuma cotação. Se você seguiu a primeira dica você já sabe mais ou menos quanto custa um plano de saúde.

Por isso, já anota esse custo na sua planilha de gastos financeiros. Além disso, verifique qual o valor máximo você pode contratar um plano de saúde sem comprometer outras contas.

4) Procure uma seguradora

Agora que você já fez uma pesquisa, um mapeamento das suas necessidades e um planejamento financeiro. É hora de procurar uma seguradora especializada em plano de saúde. 

Nela você vai encontrar profissionais capacitados para te orientar a fazer a melhor escolha de operadora para você e sua família. 

5) Solicite uma cotação e compare os preços 

Depois de escolher a seguradora é hora de solicitar uma cotação. Lembre-se de pedir mais de uma operadora, assim você vai conseguir comparar os preços e as vantagens de cada uma.

Além disso, nesse momento você também pode perguntar sobre as possibilidades de deixar aquela opção mais barata.

6) Entenda os termos

Entenda os termos - como fazer plano de saúde

Ao analisar as opções oferecidas você precisa entender  5 termos essenciais que vão te ajudar a se decidir.

Sendo assim, faça a seguinte análise ou pergunte para o seu corretor:

Qual o perfil do contrato? 

O contrato do plano de saúde é coletivo ou individual? É familiar ou empresarial?

Isto é essa informação define o valor que você vai pagar no plano de saúde. Por exemplo, é comum os  preços iniciais dos planos coletivos serem menores.

Como é feito o reajuste do plano? 

Os planos individuais e familiares têm dois tipos de reajuste: anual e por faixa etária.

Já os planos coletivos e empresariais têm três: anual, por faixa etária e por sinistralidade, que considera a frequência de uso dos serviços.

Por isso, informe-se sobre os índices para você ter ideia de quanto o seu plano de saúde vai aumentar ao longo dos anos.

Qual o tipo de cobertura? 

A cobertura é o rol de serviços que você tem no seu plano de saúde. Isto é, ele pode ser: ambulatorial, hospitalar com ou sem obstetrícia, referência ou odontológico. Veja só:

  • Plano de referência: é o plano mais completo. Cobre consultas, exames e tratamentos, além de cirurgias e transplantes;
  • Plano ambulatorial: é o plano mais básico. Pode cobrir consultas, procedimentos ambulatoriais, internação e cirurgias. No entanto, podem existir restrições de acordo com cada operadora.
  • Plano Hospitalar: além da cobertura básica, oferece internação hospitalar em quarto comum ou em UTI, sem limite de prazos. Também cobre médicos e enfermeiras durante a internação.
  • Hospitalar com obstetrícia: além da cobertura hospitalar, inclui pré-natal, parto, assistência ao recém-nascido, eventuais complicações pós-parto e cirurgias no geral.

Posso ser atendido em qualquer lugar? 

Outra informação importante é você saber quais são os hospitais que fazem parte da cobertura dos planos de saúde.

Sendo assim, se você tem um hospital de preferência já verifique se ele faz parte das opções apresentadas pela seguradora.

A partir de quando posso usar o plano? 

Lembre-se que a maioria dos planos de saúde tem períodos de carência. Por isso, verifique quais são elas no plano apresentados. 

Segundo a ANS, os prazos de carência máxima são:

  • 24 horas para urgência e emergência; 
  • 180 dias para internações, cirurgias e procedimentos de alta complexidade; 
  • e 300 dias para parto. 

A operadora pode exigir prazos menores, mas isso deve ser garantido por escrito.

7) Se puder, prefira contratar com um CNPJ

Se puder, prefira contratar com um CNPJ - como fazer plano de saude

O plano de saúde empresarial são até  35% mais barato do que os demais, são mais abrangentes e oferecem grupos de hospitais e laboratórios melhores.

Por isso, se você tiver um CNPJ faça a contação para esse tipo de plano de saúde. 

Além disso, não precisa ter uma empresa de grande porte. Você pode ter uma empresa de pequeno porte e até mesmo ser um microempreendedor individual (MEI).  

8) Faça sua escolha consciente

Agora sim você pode fazer uma escolha consciente do melhor plano de saúde para você e sua família. 

Portanto, converse com o seu corretor, tire todas as dúvidas necessárias e opte pela operadora que mais se encaixa a sua realidade. 

9) Envie a sua documentação

O próximo passo é enviar toda a sua documentação e dos demais beneficiários para o seu corretor.

Ele que vai enviar os seus documentos para a operadora aprovar e emitir o seu contrato. 

Por certo, os documentos solicitados nos planos de saúde individual ou familiar são:

  • Cópia do RG;
  • Cópia do CPF;
  • Comprovante de residência.

Já nos plano de saúde PME ou empresarial são:

  • Cópia do contrato social;
  • Número do CNPJ;
  • Guia de recolhimento do FGTS;
  • RG e CPF de todas as pessoas que vão aderir ao plano.

10) Pague o primeiro boleto

Pague o primeiro boleto - como fazer plano de saude

Contrato assinado, hora de pagar o primeiro boleto.  Por certo, o prazo para vencimento é de 60 dias.

Lembre-se que o seu plano de saúde só será implantado após o pagamento do primeiro boleto emitido pela empresa prestadora.

Por isso, quanto antes este pagamento for feito, mais cedo você terá acesso aos serviços do seu convênio.

11) Aguarde a sua carteirinha

Seja a carteirinha física ou a online, é a partir do recebimento dela que você terá acesso aos serviços.

Além disso, o período após a contratação e a chegada das carteirinhas depende de cada operadora, fique atento a essa informação também.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei como fazer um plano de saúde.

Antes de tudo, te dei 10 dicas essenciais que vão te ajudar a se decidir sobre a melhor opção para você e sua família.

Você viu que é importante fazer uma pesquisa, mapear as suas necessidades e fazer um planejamento financeiro antes de entrar em contato com uma seguradora. 

Depois te mostrei tudo o que você precisa conversar com o seu corretor. Ainda te expliquei quais são os passos que você precisa dar até conseguir utilizar os serviços do seu contrato. 

Tem mais alguma dúvida sobre esse assunto? Deixe um comentário! A nossa equipe fará o possível para te responder!

12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco
12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco

O Plano de Saúde Empresarial Bradesco possui ativos que você precisa conhecer agora para se decidir. Poderia dizer na introdução todas Read more

5 passos para escolher um plano de saúde ideal
5 passos para escolher um plano de saúde ideal

Se você estar querendo escolher um plano de saúde para você e sua família, significa que você é alguém que Read more

Por que ter um plano de saúde? 12 motivos que vão te ajudar a fazer a melhor escolha
Por que ter um plano de saúde 12 motivos que vão te ajudar a fazer a melhor escolha

Você está com dúvida sobre por que ter um plano de saúde? Fique tranquilo que no artigo de hoje vou Read more

Para quem é indicado o plano de saúde com coparticipação
Para quem é indicado o plano de saúde com coparticipação

Se você quer saber para quem é indicado o plano de saúde com coparticipação, provavelmente, você está considerado contratar esse Read more

Como fazer inclusão de dependentes em plano de saúde empresarial

Como fazer inclusão de dependentes em plano de saúde empresarial?

A inclusão de dependentes em plano de saúde empresarial é uma das melhores formas de cuidar da saúde da sua família. 

Por isso, nesse artigo eu vou te mostrar tudo o que você precisa saber para incluir os seus familiares nesse benefício. Além de te mostrar:

  • O que é um dependente;
  • Quem pode ser incluído no plano de saúde empresarial;
  • Como fazer essa inclusão;
  • Quando incluir os dependentes;
  • Qual a documentação necessária;
  • Como contratar um plano de saúde empresarial.

Vamos lá?

O que é um dependente e quem pode ser incluído no plano de saúde empresarial?

No plano de saúde empresarial, segundo a Agência Nacional e Saúde Suplementar (ANS), o dependente é a pessoa relacionada ao beneficiário do plano (funcionários e empresários). 

Nesse caso, pode ser incluído no plano de saúde empresarial:

  • Cônjuge ou companheiro, o que respeita as relações homoafetivas;
  • Parentes de:
    • Primeiro grau consanguíneo, como pais e filhos;
    • Segundo grau consanguíneo, como irmãos, avós e netos;
    • Terceiro grau consanguíneo, como tios, sobrinhos, bisnetos e bisavôs.

É importante destacar que todos os dependentes possuem os mesmo benefícios presentes na cobertura do plano de saúde do titular.

Como fazer à inclusão de dependentes no plano de saúde empresarial?

Em regra, o setor de Recursos Humanos é responsável por tratar sobre o processo de inclusão de dependentes no plano de saúde empresarial

Ou seja, é o setor de RH que pode te orientar sobre como funciona o plano, qual familiar você pode incluir, etc.

Agora, se você é microempreendedor individual apenas uma pessoa (no máximo duas) pode ser seu dependente. Aliás, pode ser um funcionário ou familiar (respeitando o grau de parentesco).

Além disso, é importante verificar também se o contrato do plano de saúde da empresa tem alguma regra de inclusão para dependentes. Pois há alguns contratos com cláusulas específicas.

Como, por exemplo, o limite de idade do filho dependente ou o grau de parentesco (apenas pais e filhos contemplados).

Quando incluir os dependentes no plano?

A própria operadora estabelece a burocracia para incluir os dependentes no plano de saúde empresarial. 

Por isso, é importante verificar essa informação na hora de assinar o contrato. Em regra, essa inclusão é realizada na assinatura do contrato. Por outro lado, algumas operadores permitem incluir depois. 

A diferença recorre sobre o prazo de carência. Se a inclusão foi realizada em até 30 dias, contados da assinatura ou da vinculação do empregado à empresa, o dependente não precisa cumprir a carência ou o prazo de Cobertura Parcial Temporária (se o plano for com mais de 30 vidas). Após esse período a operadora poderá pedir os prazos de carência.

Além disso, é importante observar quando o dependente for recém-nascido, filho biológico ou adotivo. Uma vez que a inclusão pode ser feita no plano do pai ou da mãe, aproveitando as carências cumpridas pelo titular. 

Nesse caso, deve ser respeitado os seguintes critérios:

  • A inscrição deve ser feita em até 30 dias da data de nascimento ou de adoção;
  • O plano deve incluir a categoria hospitalar com obstetrícia.

Fique atento! O parto não precisa ter sido coberto pelo plano para que a operadora aceite a inclusão do dependente nessas condições. 

Qual documentação é necessária para realizar a inclusão?

Os documentos necessários para a inclusão de dependentes em plano de saúde empresarial varia de acordo com o grau de parentesco o beneficiário titular. 

Para inclusão do cônjuge deve-se apresentar a certidão de casamento. Se for união estável, o documento exigido é:

  • Escritura pública de união estável; ou
  • Outros documentos que permitam a comprovação do convívio em comum de forma pública, duradoura e estável.

Para filhos até 38 anos é necessário a certidão de nascimento ou documento de identidade. 

Nos demais casos (neto, genro, nora, enteado, sobrinho, irmãos e cunhado) deve-se apresentar documentos oficiais aptos a comprovar o grau de parentesco. Como, por exemplo, RG, CPF, comprovante de residência.

Como fazer a exclusão de dependentes?

Segundo a ANS, caso um beneficiário queira excluir um dependente do seu plano de saúde empresarial ele deve fazer a solicitação para a empresa. 

Ou seja, em regra, é o setor de Recursos Humanos que vai ficar responsável pelo processo de exclusão do dependente. Além disso, ele também deve comunicar a operadora do plano de saúde em até 30 dias.

Caso isso não ocorra, o próprio beneficiário pode solicitar a exclusão do seu dependente com a operadora do plano.

Mas nesse caso, a operadora deverá processar o pedido imediatamente e prestar todas as informações sobre as consequências do cancelamento.

Como contratar um plano empresarial?

A melhor forma de contratar um plano de saúde empresarial é encontrar uma seguradora que vá te mostrar as melhores opções do mercado. 

Dessa forma, você irá descobrir qual tipo de plano tem mais afinidade com as suas necessidades. A seguradora vai te apresentar as diferenças de coberturas, abrangências e redes credenciadas de cada operadora, permitindo assim que você faça uma escolha consciente. 

Além disso, fique atento também:

  • As condições do contrato;
  • As vantagens oferecidas;
  • Qual plano se adequá ao tamanho da empresa; e
  • A quantidade de colaboradores que serão cobertos.

Outro fator importante é o preço. Em geral, o desconto é progressivo, ou seja, de acordo com a inclusão de mais trabalhadores, mais barato fica. 

Agora, caso tenha alguma dúvida entre em contato com a gente! Vamos te ajudar a escolher o plano ideal para você e a sua empresa.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei como fazer a inclusão de dependentes em plano de saúde empresarial. 

Antes de tudo, você viu o que é um dependente, quem pode ser incluído no plano de saúde empresarial e quando incluir os dependentes.

Além disso, te mostrei qual a documentação necessária e como contratar um plano de saúde empresarial.

Tem mais alguma dúvida sobre esse assunto? Deixe um comentário! A nossa equipe está preparada para te ajudar!

12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco
12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco

O Plano de Saúde Empresarial Bradesco possui ativos que você precisa conhecer agora para se decidir. Poderia dizer na introdução todas Read more

5 passos para escolher um plano de saúde ideal
5 passos para escolher um plano de saúde ideal

Se você estar querendo escolher um plano de saúde para você e sua família, significa que você é alguém que Read more

Por que ter um plano de saúde? 12 motivos que vão te ajudar a fazer a melhor escolha
Por que ter um plano de saúde 12 motivos que vão te ajudar a fazer a melhor escolha

Você está com dúvida sobre por que ter um plano de saúde? Fique tranquilo que no artigo de hoje vou Read more

Para quem é indicado o plano de saúde com coparticipação
Para quem é indicado o plano de saúde com coparticipação

Se você quer saber para quem é indicado o plano de saúde com coparticipação, provavelmente, você está considerado contratar esse Read more

Como fazer portabilidade plano de saúde individual para empresarial

Como fazer portabilidade plano de saúde individual para empresarial?

Se você quer saber como fazer a portabilidade plano de saúde individual para empresarial, pode ser que você já sabe das vantagens de um plano de saúde para empresas. 

Além do valor ser menos de 35% do que no individual, o plano de saúde empresarial também pode ter um prazo de carência diferenciado (dependendo do número de vidas).

Sem contar que é uma ótima forma de atrair novos talentos para o seu negócio. 

Uma vez que uma empresa com o benefício do plano de saúde atrai mais candidatos qualificados para as vagas abertas da sua empresa. 

Além disso, se você é microempreendedor individual você também pode fazer um plano de saúde empresarial e ter acesso aos principais benefícios desse serviço. 

Agora se você já tem um plano de saúde individual ou familiar e pretende mudar para um plano de saúde empresarial, você precisa entender:

  • O que é portabilidade de plano de saúde;
  • Quem pode fazer a portabilidade;
  • Como fazer a portabilidade;
  • Qual a documentação exigida no procedimento;
  • O que é preciso fazer para garantir a portabilidade;
  • O que fazer quando o pedido for aceito;
  • E o que fazer quando ele não for. 

O que é portabilidade de plano de saúde?

Portabilidade de plano de saúde é um procedimento em que o beneficiário solicita trocar de plano, seja na mesma operadora ou não. 

Além disso, ocorre sem a necessidade de cumprir de novo o período de carência.

No entanto, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) estabelece algumas exigências que devem ser cumpridas para que a portabilidade seja aceita. 

Quem pode fazer a portabilidade de plano de saúde?

Desde 2019, a ANS permite que beneficiários de todas as modalidades de contratação possam solicitar a portabilidade de plano de saúde.

Além disso, os demitidos e aposentados também podem fazer a portabilidade sem precisar cumprir novos períodos de carência ao mudar de plano de saúde.

Como fazer a portabilidade de plano de saúde?

Para fazer a portabilidade do seu plano de saúde é preciso seguir este passo a passo:

  1. Veja se você cumpre todos os requisitos exigidos;
  2. Leve a documentação necessária para a operadora que deseja mudar;
  3. A operadora tem até 10 dias para responder. Mas caso não responda, a proposta é considerada aceita;
  4. Cancele o contrato com a sua antiga operadora (se for o caso).

Ou seja, se você vai mudar de uma operadora para outra. O cancelamento do seu plano atual só pode ser feito após ingressar em uma nova operadora. 

Qual é a documentação para portabilidade de plano de saúde?

Para iniciar você precisa dos seguintes comprovantes:

  • De pagamento das três últimas mensalidades;
  • Do prazo de permanência;
  • De compatibilidade entre plano novo e antigo.

O que é preciso para fazer portabilidade de plano de saúde?

Para ter direito à portabilidade, é necessário:

  • Manter o vínculo ativo com o plano atual;
  • Estar adimplente junto à operadora;
  • Que o plano de destino tenha faixa de preço igual ou inferior ao plano de origem. 

Aliás, os planos de saúde empresarial permite mudar de um plano com tipo de cobertura maior que o de origem. Desde que as carências para as novas coberturas sejam cumpridas.

Já nos planos de pós-pagamento, modalidade exclusiva dos planos coletivos onde a quitação dos custos é feita após a utilização do serviço. Também não será exigida compatibilidade de preço, pois o custo desse produto não é fixo.

Além disso, também é necessário ter cumprido o prazo de permanência exigido no plano. 

Sendo assim, se for a primeira portabilidade, o beneficiário deve ter cumprido no mínimo dois anos no plano de origem ou três anos se tiver cumprido Cobertura Parcial Temporária (CPT). 

Agora se for da segunda em diante, o prazo mínimo é de um ano de permanência no plano de origem ou no mínimo dois anos.

Isso se o beneficiário mudar para um plano com coberturas que não estão previstas no plano de origem. 

Fique atento! Não há mais a janela, ou seja, a portabilidade pode ser feita a qualquer tempo, desde que cumpridos os prazos mínimos de permanência apresentados. 

Tutorial de Como Fazer Portabilidade de Plano de Saúde

Agora vou te mostrar como você pode fazer a portabilidade de plano de saúde com um vídeo institucional. Veja só:

O que fazer quando o pedido de portabilidade for aceito?

Depois que o pedido de portabilidade for aceito você deve entrar em contato com a sua operadora antiga para comunicar que houve a portabilidade de plano de saúde.

Lembre-se de pedir a sua carteirinha e demais documentos do novo plano também. 

O prazo para o novo plano entrar em vigor é de 10 dias depois que a proposta é aceita. Enquanto isso você ainda vai estar vinculado ao plano antigo. 

Por isso, é importante encerrar o contrato com o plano antigo apenas quando o novo entrar em vigor. Assim você evita as cobranças realizadas indevidamente.

E se a portabilidade não for aceita, o que fazer?

Se você verificou todos os requisitos que te mostrei antes e se encaixa nas opções apresentadas, entre em contato com a operadora para verificar o que ocorreu. 

No entanto, se não obtiver um retorno, a melhor forma de resolver a situação é entrar em contato com a ANS. 

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei como fazer a portabilidade do plano de saúde individual para o empresarial. 

Antes de tudo, você viu o que é portabilidade de plano de saúde, quem pode fazer e como fazer a portabilidade.

Além disso, te mostrei também qual a documentação exigida, o que é preciso para garantir a portabilidade, o que fazer depois que o pedido for aceito e quando ele não for.

Tem mais alguma dúvida sobre esse assunto? Deixe um comentário! A nossa equipe está preparada para te ajudar! 

12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco
12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco

O Plano de Saúde Empresarial Bradesco possui ativos que você precisa conhecer agora para se decidir. Poderia dizer na introdução todas Read more

O plano de saúde cobre vasectomia?
O plano de saúde cobre vasectomia

Sim, o plano de saúde cobre vasectomia. Desde 2008 o procedimento foi incluído no Rol de Cobertura da ANS. A Read more

Como pedir reembolso plano de saúde?
Como pedir reembolso plano de saúde

Você sabe como pedir reembolso plano de saúde? Sei que te pessoas que não sabem que essa possibilidade existe e Read more

5 passos para escolher um plano de saúde ideal
5 passos para escolher um plano de saúde ideal

Se você estar querendo escolher um plano de saúde para você e sua família, significa que você é alguém que Read more

Como funciona plano de saúde empresarial

Como funciona plano de saúde empresarial?

Para saber como funciona plano de saúde empresarial vou te mostrar tudo o que você precisa para que essa seja uma das melhores opções para você e sua empresa. 

Sendo assim, vou te mostrar:

  • Qual a diferença entre o plano de saúde individual e o empresarial;
  • Como funciona o plano de saúde empresarial;
  • Quais são os procedimentos cobertos pelo plano;
  • Como é a carência;
  • Quais são os benefícios para a empresa;
  • Como escolher o plano ideal para o seu negócio.

Antes de tudo, você precisa saber o que é o plano de saúde empresarial.

Vamos lá?

O que é o plano de saúde empresarial?

O plano de saúde empresarial é um convênio médico destinado às pessoas de uma empresa.

Além disso, ele oferece alguns benefícios específicos e vantagens que um plano individual não tem.

Uma vez que também é uma ótima oportunidade para microempreendedor individual (MEI), pois permite um plano de saúde mais em conta. 

Qual a diferença entre Plano de Saúde Individual e Plano de Saúde Empresarial?

O Plano de Saúde Individual é de livre adesão, ou seja, qualquer um que quiser pode ter o seu. 

Já o Plano de Saúde Empresarial é específico para empresas. Isto é, para contratar um plano é necessário ter um CNPJ disponível.

Além disso, os reajustes são diferenciados e varia a cada operadora e condição do plano.

Como funciona o Plano de Saúde Empresarial, na prática?

Assim como os demais planos, o Plano de Saúde Empresarial também é regulamentado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Dessa forma, os beneficiários deste plano podem ser tanto o empresário e seus funcionários, quanto os:

  • Dependentes;
  • Colaboradores aposentados;
  • Sócios;
  • Menores aprendizes;
  • Funcionários temporários; e
  • Até mesmo estagiários. 

Quais são os procedimentos cobertos pelo plano?

A cobertura de um plano de saúde empresarial funciona da mesma forma que os convênios tradicionais. Em regra, a cobertura oferece os seguintes serviços:

  • Consultas;
  • Exames;
  • Tratamentos;
  • Cirurgias.

No entanto, isso vai depender de um plano de saúde para o outro. Por exemplo, alguns convênios não oferecem internações ou a colocação de próteses.

Por isso, é importante conferir o contrato com atenção e verificar todas as coberturas e serviços dispostas nos planos de saúde empresarial.

Como é a carência nesse tipo de plano?

O período de carência também é similar aos planos individuais. Ou seja, são:

  • 300 dias para partos;
  • 180 dias para procedimentos terapêuticos, exames complexos, cirurgias e internações;
  • 30 dias para consultas e exames básicos;
  • 24 horas para urgências e emergências.

Além disso, a diferença é que esses prazos, em geral, é para empresas com menos de 30 funcionários.

Quais são os benefícios para empresa ao contratar esse serviço?

Quais são os benefícios para empresa ao contratar esse serviço

Os benefícios ao contratar um Plano de Saúde Empresarial não são apenas para os funcionários. A empresa também sai ganhando quando traz qualidade de vida, bem-estar e produtividade para os seus colaboradores.

Uma vez que um plano de saúde para a sua equipe ajuda:

  • Reduzir o absenteísmo entre os funcionários;
  • Diminuir os problemas de saúde da equipe;
  • Aumentar a produtividade por parte dos colaboradores;
  • Melhorar o clima organizacional;
  • Captar e reter mais talentos;
  • Pagar menos impostos;
  • Alavancar o nome da empresa no mercado.

Além disso, é importante demonstrar a preocupação dos gestores com a sua equipe e tornar a empresa referência no mercado em seu segmento.

Quem pode ser beneficiário em um plano coletivo empresarial?

Os beneficiários em um plano coletivo empresarial envolve:

  • Os empregados ou servidores públicos;
  • Demitidos;
  •  Aposentados;
  •  Sócios;
  •  Administradores;
  •  Estagiários.

Além disso, a empresa contratante também pode incluir como dependentes os familiares dos beneficiários.

Respeitados os graus de parentesco previstos na legislação: até o 3º grau de parentesco consanguíneo, até o 2º grau de parentesco por afinidade e cônjuge ou companheiro.

Como escolher um excelente plano de saúde empresarial?

Agora que já você sabe o que é um plano de saúde empresarial e como ele funciona, quais são os procedimentos cobertos, como é a carência e quais são os benefícios para a empresa que contrata esse tipo de serviço.

Vou te mostrar como você pode escolher um excelente plano de saúde empresarial.

Faça uma pesquisa sobre os melhores planos

Antes de tudo, você precisa pesquisar quais são os principais planos de saúde empresarial e qual a diferença entre eles. 

Você pode fazer uma lista, por exemplo, com os planos de saúde Bradesco, Amil , Unimed e SulAmericana.

Entre em contato uma seguradora

Depois de fazer essa pesquisa, você precisa entrar em contato com uma seguradora da sua confiança. Ou seja, uma que te mostre as melhores opções para o seu negócio e que escute todas as suas dúvidas. 

Além disso, lembre-se que uma seguradora tem como objetivo te mostrar as melhores opções e te ajudar a fazer a escolha certa.

Para entrar em contato com a SmartCare é só clicar aqui.

Verifique se há cobrança da sinistralidade

Verifique se há cobrança da sinistralidade – plano-de-saude-empresarial

A sinistralidade é um cálculo de taxas adicionais que são cobradas a partir do nível de periculosidade de uma determinada função.

Ou seja, quanto mais perigoso for um trabalho maior será a sinistralidade e,  em consequência, maior será o valor cobrado. 

Por isso, verifique se essa taxa será cobrada em algum momento, já que nem sempre ela é repassada no início no contrato. 

Fique atento ao contrato

Depois de verificar todas as opções, está na hora de ficar atento ao contrato. Sendo assim, você precisa ler cada linha, verificar toda a cobertura, quais serão os reajustes, quais são as outras taxas…

Além disso, depois anote todas as dúvidas, converse com a seguradora e feche contrato quando sentir segurança. 

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei como funciona o plano de saúde empresarial.

Antes de tudo, você viu o que é o plano, qual a diferença dele para o individual e quais são os procedimentos que podem ser cobertos. 

Além disso, te mostrei quais são benefícios de um plano de saúde empresarial para a sua equipe e como escolher plano ideal para o seu negócio.

Agora é sua vez! Se tiver qualquer dúvida sobre esse assunto, entre em contato com um dos nossos consultores. A nossa equipe está preparada para te ajudar.

Empresas poderão ter benefício fiscal para custear planos de saúde de colaboradores
Empresas poderão ter benefício fiscal para custear planos de saúde de colaboradores

O Projeto de Lei 4393/20 institui um benefício fiscal para as empresas contratarem planos de saúde privados para seus empregados. Read more

12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco
12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco

O Plano de Saúde Empresarial Bradesco possui ativos que você precisa conhecer agora para se decidir. Poderia dizer na introdução todas Read more

O plano de saúde cobre vasectomia?
O plano de saúde cobre vasectomia

Sim, o plano de saúde cobre vasectomia. Desde 2008 o procedimento foi incluído no Rol de Cobertura da ANS. A Read more

Como pedir reembolso plano de saúde?
Como pedir reembolso plano de saúde

Você sabe como pedir reembolso plano de saúde? Sei que te pessoas que não sabem que essa possibilidade existe e Read more

Quais vantagens de ser MEI 9 motivos para regularizar

Quais vantagens de ser MEI: 9 motivos para regularizar

Saber quais são as vantagens de ser MEI é extremamente importante para você que pensa em regularizar o seu negócio. 

Muitas vezes as pessoas pensam que vão pagar impostos absurdos e que vale muito mais a pena não descontar nada do seu lucro do que de fato conseguir algumas garantias que a regularização possui. 

Por exemplo, já pensou se você fica grávida e precisa parar de trabalhar? Como fica as contas que você precisa pagar? 

Bom… Vou te explicar melhor sobre essa e outras vantagens de ser MEI. Mas antes disso, você sabe…

O que é um Microempreendedor Individual (MEI)?

O microempreendedor individual é uma pessoa que trabalha por conta própria (autônoma) que se formalizou, virando assim um empresário.

Ou seja, são todas aquelas pessoas que desempenham alguma atividade a partir da sua casa  (ou um pequeno escritório) ou presta algum serviço, seja pessoalmente ou pela internet.

Além disso, para ser considerado um MEI o empresário deverá ter um faturamento que não ultrapasse R$ 81 mil por ano e não pode ter outra empresa em seu nome.

Mas… E se passar desse valor de faturamento?

Há uma tolerância de 20%, ou seja, o faturamento pode ser de até R$97,2 mil em um ano.

No entanto, se esse valor permanecer você deverá ser enquadrado em outro tipo de regime tributário e outra categoria no ano seguinte.

Agora que você já sabe o que é um microempreendedor individual vou te mostrar 9 vantagens de ser MEI. Vamos lá?

1) Não tem custo para abertura do negócio

Diferente de outros negócios, para a abertura do CNPJ como MEI você não terá custo nenhum. 

Basta você acessar o Portal do Empreendedor e fazer o cadastro

No entanto, é importante destacar que há uma quantia fixa mensal, bastante acessível, referente à impostos e contribuição previdenciária. Vou te falar dela nas próximas linhas.

2) Direitos previdenciários

Uma das maiores vantagens de ser MEI é que ele também tem os direitos previdenciários. 

Com a contribuição que o MEI faz mensalmente ele tem direito a: auxílio-doença, aposentadoria, salário-maternidade, pensão por morte e auxílio-reclusão.

A diferença é que para ter acesso a esses benefícios, o MEI precisa cumprir um período de contribuição. Veja só:

  • Auxílio-doença: 12 meses de contribuição;
  • Aposentadoria por invalidez: 12 meses de contribuição;
  • Aposentadoria por idade: 180 meses de contribuição;
  • Salário-maternidade: 10 meses de contribuição;
  • Pensão por morte: 24 meses de contribuição;
  • Auxílio-reclusão: 24 meses de contribuição.

3) Contratar um funcionário (vantagem de ser MEI)

Outra vantagem de ser MEI é que você pode contratar um funcionário. Mas se atente que é apenas um mesmo. O bom de tudo isso é que o custo para manter esse empregado é relativamente baixo.

Em empresas enquadradas em outros regimes o custo do funcionário pode ser alto, mas para o MEI, esse funcionário custará 3% do salário mínimo (para a previdência) e 8% de FGTS, contados sobre o salário pago, por mês.

4) Declaração de renda feita simplificada

Diferente das outras empresas o MEI só precisa declarar os rendimentos apenas uma vez ao ano.

Por isso, é importante que as contas devem estar sempre em ordem, ou seja, o faturamento precisa ser controlado todo mês. 

5) Facilidade para obter crédito

Os bancos normalmente possuem crédito fácil e com taxas diferentes para MEI. Isso acontece para incentivar o microempreendedor a expandir o seu negócio. 

Os bancos públicos, por exemplo, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil atendem às necessidades desse público.

6) Ser MEI é trabalhar de carteira assinada ao mesmo tempo

Você tem carteira assinada e quer abrir um MEI? Você pode fazer isso. Isso porque todo trabalhador celetista pode ter um registro como pessoa jurídica e prestar serviços para clientes e outras empresas de forma autônoma.

Ou seja, você pode começar a empreender enquanto ainda tem um registro de CLT. Caso não der certo como empreendedor, depois é só dar baixa no cadastro de microempreendedor.

7) Cursos gratuitos (ventagem de ser MEI)

Várias instituições que incentivam o empreendedorismo como, por exemplo, o SEBRAE, possuem cursos gratuitos para que o MEI possa desenvolver-se profissionalmente.

Além disso, há outros cursos que apenas cobram o valor da matrícula. Fique atento a cada uma das situações.

8) Impostos menores

Um MEI paga impostos mais baixos do que uma empresa de pequeno e médio porte. Esse imposto deve ser pago mensalmente e se resume em uma taxa simplificada que pode ser paga via boleto ou mesmo débito automático (DAS MEI).

O valor depende da atividade exercida pelo MEI e de acordo com o Portal do Empreendedor o valor de 2020 é:

MEIs – AtividadeINSSICMS/ISSTotal
Comércio e Indústria (ICMS)52,251,0053,25
Serviços (ISS)52,255,0057,25
Comércio e Serviços (ICMS e ISS)52,256,0058,25

9) MEI pode ter plano de saúde mais barato

MEI pode ter plano de saúde mais barato

Outra grande vantagem de ser MEI é a possibilidade de contratar um plano de saúde empresarial (que é mais barato do que um plano de saúde individual).

Segundo a Agência Nacional de Saúde (ANS), um MEI pode pagar pelo plano de saúde cerca de 35% a menos do que é pago em um plano individual.

Além disso, você ainda tem a possibilidade de adicionar mais uma pessoa no plano de saúde, podendo ser um funcionário ou familiar.

Conclusão Vantagens de ser MEI

No artigo de hoje eu te mostrei quais as vantagens para ser MEI. Você viu que não tem custo algum com a abertura do registro, que os impostos são mais baixos e que você ter um plano de saúde mais em conta.

Além disso, te mostrei também que um MEI tem direitos trabalhistas, facilidade para obter crédito e grandes oportunidades de cursos gratuitos. 

Se você tiver qualquer dúvida sobre esse assunto, entre em contato com a gente e deixe um comentário. A nossa equipe fará o possível para te responder.

12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco
12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco

O Plano de Saúde Empresarial Bradesco possui ativos que você precisa conhecer agora para se decidir. Poderia dizer na introdução todas Read more

5 passos para escolher um plano de saúde ideal
5 passos para escolher um plano de saúde ideal

Se você estar querendo escolher um plano de saúde para você e sua família, significa que você é alguém que Read more

Por que ter um plano de saúde? 12 motivos que vão te ajudar a fazer a melhor escolha
Por que ter um plano de saúde 12 motivos que vão te ajudar a fazer a melhor escolha

Você está com dúvida sobre por que ter um plano de saúde? Fique tranquilo que no artigo de hoje vou Read more

Para quem é indicado o plano de saúde com coparticipação
Para quem é indicado o plano de saúde com coparticipação

Se você quer saber para quem é indicado o plano de saúde com coparticipação, provavelmente, você está considerado contratar esse Read more

Plano de Saúde para MEI oportunidade indispensável para seu negócio

Plano de Saúde para MEI: oportunidade indispensável para seu negócio

Você sabe por que o Plano de Saúde para MEI é uma oportunidade indispensável para o seu negócio?

Simples: porque há várias vantagens que o plano de saúde individual não tem. 

Antes de tudo, quando você se torna Microempreendedor Individual (MEI) é como se estivesse dizendo ao mercado que está levando o seu negócio mais a sério. Afinal de contas, você está formalizando a sua atividade. 

Por isso, além do direito aos benefícios do INSS e impostos menores, outra vantagem de ser MEI é o direito a contratação do plano de saúde empresarial.

No entanto, para fazer essa contratação algumas regras precisam ser seguidas e é isso que vou te mostrar agora. 

O que é o plano de saúde para MEI?

A Agência Nacional da Saúde Suplementar (ANS), em 2018,  determinou que o empresário individual (autônomo) pode contratar um plano de saúde empresarial. Pois é uma espécie de plano em que pessoa precisa ter um CNPJ para adquirir. 

Isso foi uma vitória para categoria. Afinal, entre as vantagens de um plano para MEI, está a redução de preço, que pode chegar até 35% do valor. 

Quem pode fazer um plano de saúde para MEI?

Para fazer o plano de saúde o microempreendedor individual precisa ter: 

  • No mínimo 6 meses de registro de MEI;
  • Pelo menos um dependente.

Ou seja, se você abrir um MEI hoje precisa esperar, pelo menos, 6 meses para contratar um plano de saúde empresarial. 

Por outro lado, a vantagem é que o dependente não precisa ser um funcionário. Pode ser também alguma pessoa da família do microempreendedor.

Quantas pessoas são necessárias para fazer um plano para MEI?

Em geral, para fazer um plano para MEI precisa de pelo menos duas pessoas ou três.

Ou seja, pode ser ele mesmo e mais um funcionário ou familiar. 

O preço das mensalidades do plano de saúde para MEI é mais barato?

Sim, os preços das mensalidades do plano para MEI costumam ser mais baratos.

Assim sendo, a redução do valor pode chegar até a 35% de diferença entre o plano coletivo empresarial e o individual.

Como funciona a carência no plano de saúde para MEI?

A carência é um período necessário que o contratante precisa cumprir para realizar alguns procedimentos médicos. 

Segundo a ANS, as seguradoras podem exigir um prazo de carência similar aos existentes nos planos individuais e familiares.

Afinal de contas, o plano para MEI é um plano empresarial para poucas vidas (abaixo de 30).

Sendo assim, podem pedir os seguintes prazos de carência:

SituaçãoTempo a ser aguardado após a contratação do plano de saúde*
Casos de urgência, acidentes pessoais ou complicações no processo gestacional, e emergência, risco imediato à vida ou lesões irreparáveis.24 horas
Partos a termo, excluídos os partos prematuros300 dias
Demais situações180 dias

Ou seja, dependendo da operadora ela pode ou não cobrar esses prazos e até mesmo isentar o beneficiário.

Por isso, para saber mais informações, o indicado é entrar em contato com a sua seguradora.

Como é a cobertura?

Assim como nos planos individuais, o plano de saúde para MEI pode haver diferentes coberturas. 

Em geral, elas são divididas em:

  • Ambulatorial;
  • Hospitalar sem obstetrícia;
  • Hospitalar com obstetrícia; e
  • Odontológica. 

A diferença entre elas é que a cobertura ambulatorial envolve consultas médicas em clínicas e consultórios, além de exames e outros procedimentos ambulatoriais. 

A cobertura hospitalar sem obstetrícia contém a internação hospitalar, sem limite de dias, prevendo cirurgias e tratamentos mais complexos. Já cobertura hospitalar com obstetrícia, além disso, também abrange a atenção no parto. 

Além disso, a cobertura odontológica, como o próprio nome sugere, cobre:

  • Consultas;
  • Exames;
  • Tratamentos; e
  • Atendimentos de urgência e emergência odontológicos. 

A operadora pode rescindir o plano de saúde empresarial para MEI?

De acordo com a ANS, a operadora pode rescindir, por vontade unilateral, o plano de saúde para MEI. 

No entanto, para fazer isso ela precisa de motivos concretos. Dentre esses motivos estão:

  • Não comprovação, quando solicitado pela seguradora, que o MEI ainda está ativo; 
  • Não pagamento das mensalidades do plano;
  • Outra razão apresentada pela seguradora. 

Por isso, nesse último caso, a operado só pode rescindir com 1 ano após o contrato.

Além disso, o beneficiário tem que receber aviso com 60 dias de antecedência.

Há reajuste no plano de saúde para MEI? 

Sim, o reajuste no plano de saúde para MEI acontece como nas outras modalidades.

Ou seja, quando a pessoa muda de faixa etária e na data de aniversário do contrato (uma vez ao ano).

Existe plano de saúde para MEI com coparticipação?

No Plano de Saúde com coparticipação os serviços oferecidos são os mesmos e com a mesma qualidade. No entanto, as mensalidades costumam ter um valor menor.

Uma vez que o beneficiário paga um valor específico no momento do atendimento no hospital ou na clínica.

Além disso, é importante verificar a tabela de preços com a operadora para saber se vale a pena ou não fazer um contrato com coparticipação.

Lembre-se: essa possibilidade é indicada para quem não utiliza o plano de saúde com tanta frequência.

Como funciona a portabilidade no plano de saúde empresarial?

Desde 2019, a ANS possibilita a portabilidade de plano de saúde empresarial.

Por isso, os empresários têm o direito de realizar a portabilidade para outra operadora ou outro plano sem necessidade de cumprir nova carência.

Mas antes de fazer o pedido de portabilidade, verifica com a sua operadora se não possui um tempo mínimo de permanência no plano de origem.

Em geral, elas exigem pelo menos 2 anos de contrato antes da primeira portabilidade.

Quais os documentos necessários para obter um Plano de Saúde MEI?

Os documentos necessários para obter um Plano de Saúde para MEI são:

  • Inscrição no Órgão Competente, como a Junta Comercial;
  • Registro Ativo perante a Receita Federal;
  • Certificado do MEI (checar a data de abertura do MEI para a comprovação do tempo de atividade da empresa).
  • Outros documentos que a operadora considera necessário.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei que o plano de saúde para MEI é uma oportunidade indispensável para o seu negócio.

Antes de tudo, você viu que é muito vantajoso optar por essa modalidade. Pois você pode ter um custo 35% inferior ao plano de saúde individual e ainda pode adicionar mais uma pessoa.

Além disso, você viu também:

  • Quem pode fazer o plano de saúde para MEI;
  • Quantas pessoas são necessárias;
  • Como funciona a carência, a cobertura e a portabilidade;
  • Além de outros assuntos.

Agora é a sua vez! Se você tiver qualquer outra dúvida sobre este assunto, deixe um comentário. A nossa equipe fará o possível para te responder. 

O plano de saúde cobre vasectomia?
O plano de saúde cobre vasectomia

Sim, o plano de saúde cobre vasectomia. Desde 2008 o procedimento foi incluído no Rol de Cobertura da ANS. A Read more

Como pedir reembolso plano de saúde?
Como pedir reembolso plano de saúde

Você sabe como pedir reembolso plano de saúde? Sei que te pessoas que não sabem que essa possibilidade existe e Read more

Por que ter um plano de saúde para os funcionários?
Por que ter um plano de saúde para os funcionários

Você sabe por que é essencial ter um plano de saúde para os funcionários da sua empresa? Se você pensa Read more

Por que ter um plano de saúde? 12 motivos que vão te ajudar a fazer a melhor escolha
Por que ter um plano de saúde 12 motivos que vão te ajudar a fazer a melhor escolha

Você está com dúvida sobre por que ter um plano de saúde? Fique tranquilo que no artigo de hoje vou Read more

O que significa carência no plano de saúde

O que significa carência no plano de saúde?

Um dos objetivos no blog é tirar todas as suas dúvidas, por isso no artigo de hoje vou te explicar o que significa carência no plano de saúde. 

Apesar de ser um termo comum no dia a dia para quem trabalha nessa área, muitas pessoas não sabem como a carência funciona. Por isso, vou mostrar para você:

  • O que é carência;
  • Quanto tempo é preciso aguardar para usar determinados procedimentos;
  • Como funciona carência nos diversos tipos de planos de saúde;
  • Entre outras informações importantes sobre o assunto.

O que é a carência de plano de saúde?

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), carência de plano de saúde é o período que deve ser aguardado para o consumidor começar a usar o plano.

Ou seja, ao contratar um plano de saúde você precisa verificar depois de quantos dias você pode utilizar determinados serviços.

É importante frisar que a carência é uma proteção para que os convênios não tenham prejuízo.

Por isso, para você também não se sentir prejudicado, precisa conhecer os prazos máximos de carência de plano de saúde estabelecidos por lei.

Quanto tempo preciso aguardar até ser atendido ao contratar um plano de saúde?

Os prazos de carência máximos são determinados pela ANS. Por outro lado, as operadoras são livres para determinar quanto tempo o contratante precisa aguardar para utilizar determinados serviços. Isto é desde que o prazo esteja dentro do permitido em lei. 

Para planos individuais ou familiares novos, ou adaptados, contratados a partir de 2 de janeiro de 1999 ou adaptados à lei, a empresa que vende o plano de saúde pode exigir:

SituaçãoTempo a ser aguardado após a contratação do plano de saúde*
Casos de urgência, acidentes pessoais ou complicações no processo gestacional, e emergência, risco imediato à vida ou lesões irreparáveis.24 horas
Partos a termo, excluídos os partos prematuros300 dias
Demais situações180 dias

Lembre-se: esses são limites de tempo máximos. Isso quer dizer que a operadora de planos de saúde pode exigir no contrato um tempo de carência menor que o previsto na legislação, mas nunca um período maior que esse!

E se precisar ser atendido para tratar de uma doença que já sabia ter quando contratei o plano de saúde, o que fazer?

E se precisar ser atendido para tratar de uma doença que já sabia ter quando contratei o plano de saúde, o que fazer
Cobertura para doença preexistente

Para as doenças e lesões preexistentes, aquelas que o consumidor já sabia possuir e que informou no formulário, ele terá a Cobertura Parcial Temporária.

A CPT é um prazo máximo de 24 meses para atendimento no caos de doenças preexistentes (cirurgias, leitos de alta tecnologia e Procedimentos de Alta Complexidade).

Por outro lado, o consumidor pode preferir o atendimento mesmo nesses casos, sem ter que aguardar esse período. Neste caso, basta escolher um agravo (pagar um valor adicional).

Como funciona a carência nos planos de saúde empresarial?

Como te mostrei anteriormente, os planos de saúde individual ou familiar possui a aplicação da carência. No entanto, isso é um pouco diferente nos planos de saúde empresarial. 

No plano de saúde coletivo empresarial, funciona da seguinte maneira:

  • Com até 29 beneficiários: poderá haver aplicação de carência.
  • Com 30 ou mais beneficiários: isenção de carência desde que o beneficiário solicite o ingresso em até 30 dias da celebração do contrato ou da sua vinculação à empresa contratante.

Isso quer dizer que as regras de carência no plano empresarial variam, entre outras coisas, de acordo com o tamanho da empresa. 

Além disso, nos casos onde você precise realizar a portabilidade do plano de saúde, não entra carência.

Ou seja, você deve verificar exatamente o que diz o contrato para entender melhor os seus direitos.

Se não entender muito bem como funciona, entre em contado com a sua seguradora ou com a operadora do plano, eles podem explicar exatamente como vai funcionar os prazos dessa carência.

Como funciona a carência no plano coletivo por adesão?

Já nos planos coletivos por adesão, pode ou não haver aplicação de carência.

A isenção de carência vai ocorrer se o ingresso do beneficiário acontecer até 30 dias após a celebração do contrato ou se o ingresso acontecer no aniversário do contrato.

E se eu quiser mudar de plano de saúde, como fica a carência?

Portabilidade sem carência
Portabilidade sem carência

Fique tranquilo, desde 2019 a ANS mudou as regras para quem quer mudar de plano de saúde.

Agora aqueles que possuem contratação de um plano empresarial também podem solicitar a portabilidade sem cumprir novos prazos de carência.

Isso já era possível em outros planos, mas anteriormente para solicitar a portabilidade, era necessário estar vinculado a um plano do tipo individual, familiar ou coletivo por adesão (tendo sido contratado após o ano de 1999), ter cumprido todas as carências e já ter permanecido por pelo menos 2 anos no convênio.

Existe plano de saúde sem carência?

Como te mostrei anteriormente, uma das formas de não ter que cumprir o período de carência é se a sua contratação for do tipo coletiva. A maioria das operadoras oferece carência zero em contratações acima de 30 vidas. 

Em todo caso pode ser que nem todas as carências sejam retiradas. Algumas operadoras, por exemplo, mantêm o período de espera para parto ou procedimentos relacionados a uma condição preexistente.

Como conseguir carência zero em caso de condições preexistentes?

Lembra que te falei sobre o agravo? Ele é o pagamento de um valor adicional para conseguir a isenção do prazo de carência. 

Para realizar essa solicitação, o beneficiário precisa entrar em contato com a operadora. 

É importante que durante a negociação todas as especificidades estejam explícitas no contrato (percentual, valor a ser cobrado e o período de duração do agravo). 

Existe plano de saúde carência zero para parto?

Plano sem carência na gravidez

A carência para parto dificilmente é reduzida, mesmo no caso de contratações coletivas.

A carência estabelecida pela ANS para a cobertura de parto é de 300 dias, que excede os 9 meses de duração da gravidez, a não ser que seja uma emergência.

Por isso, o ideal é contratar um plano de saúde quando já estiver planejando a gravidez.

No entanto, nem sempre isso é possível. Só que não significa que você precise abrir mão da segurança que o plano de saúde oferece para a mãe o bebê. 

Isso porque, mesmo não cobrindo o parto, a mulher poderá realizar todos os exames e estará assegurada em casos de emergência.

Além disso, durante os primeiros 30 dias de vida, o bebê poderá usufruir de todos os benefícios do plano sem nenhum custo adicional.

Conclusão

No artigo de hoje te mostrei o que é carência no plano de saúde,  quanto tempo tem que esperar para realizar determinado procedimento e como funciona a carência do plano de saúde individual, coletivo e empresarial.

Além disso, te mostrei também  como funciona a portabilidade, se existe plano de saúde sem carência, como conseguir um plano de saúde sem carência e se existe a opção sem carência para parto.

Agora é s sua vez! Se você tiver qualquer dúvida sobre esse assunto deixa comentário! A nossa equipe fará o possível para te responder!

Empresas poderão ter benefício fiscal para custear planos de saúde de colaboradores
Empresas poderão ter benefício fiscal para custear planos de saúde de colaboradores

O Projeto de Lei 4393/20 institui um benefício fiscal para as empresas contratarem planos de saúde privados para seus empregados. Read more

12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco
12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco

O Plano de Saúde Empresarial Bradesco possui ativos que você precisa conhecer agora para se decidir. Poderia dizer na introdução todas Read more

O plano de saúde cobre vasectomia?
O plano de saúde cobre vasectomia

Sim, o plano de saúde cobre vasectomia. Desde 2008 o procedimento foi incluído no Rol de Cobertura da ANS. A Read more

Como pedir reembolso plano de saúde?
Como pedir reembolso plano de saúde

Você sabe como pedir reembolso plano de saúde? Sei que te pessoas que não sabem que essa possibilidade existe e Read more

Como deduzir plano de saúde em 2020

Como deduzir plano de saúde em 2020

Se você quer saber como deduzir plano de saúde você pode estar preocupado com o Imposto de Renda.

Em geral, pode parecer complicado, mas o que vou te mostrar agora vai clarear a sua mente sobre como deduzir o plano de saúde. Isso porque vou te mostrar:

  • Como declarar o plano de saúde;
  • Como deduzir o plano de saúde individual, empresarial e familiar;
  • O que a Receita Federal considera como despesa médica;
  • O que você não pode deduzir como despesa médica. 

Vamos lá?

Como declarar plano de saúde no Imposto de Renda 2020

Para declarar o plano de saúde no Imposto de Renda de 2020 você precisa informar: 

  • O CNPJ e o nome da operadora;
  • O valor pago;
  • E a parcela que foi reembolsada e não é dedutível. 

Além disso, é importante também você informar todos gastos que foram feitos com o seu próprio plano de saúde, o de um dependente ou de um alimentando.

Aliás, uma novidade para 2020 é que o programa do Imposto de Renda permite que o informe enviado pelas operadoras de plano de saúde seja importado.

Basta selecionar o botão “importar arquivo do plano de saúde” na ficha Pagamentos Efetuados e pronto. Isso já vai agilizar muito o processo para declarar o plano de saúde. 

Como deduzir plano de saúde individual

Como deduzir plano de saúde individual

Se você paga o seu plano de saúde individual integralmente, para deduzi-lo basta solicitar a operadora o Informe de Rendimentos 2019.

Este é um documento com os dados relacionados para conseguir realizar a declaração. Ele envolve apenas o gasto com a mensalidade paga ao longo de 2019 ao plano de saúde.

Ou seja, declaram-se os gastos com consultas médicas e outros procedimentos nos itens respectivos do formulário.

Dessa forma, lembre-se que para fazer a declaração corretamente você precisa de todos os recibos desses pagamentos ou nota fiscal.

Como deduzir plano de saúde familiar e empresarial

Para deduzir o plano de saúde familiar todos os dependentes ou alimentados precisam estar cadastrado anteriormente na declaração como dependentes.

Ou seja, precisa ser informando o CPF, mesmo que algum deles seja menor de idade.

Por outro lado, nos casos no caso que os dependentes e alimentandos estão incluídos em um plano empresarial só será deduzido do seu Imposto de Renda o valor que sai direto do seu bolso enquanto contribuinte.

O que a Receita Federal considera como despesa médica?

A Receita Federal considera como despesa médica:

  • Gastos com plano de saúde individual, familiar ou empresarial;
  • Gastos com planos de dependentes e alimentandos (beneficiários de pensão alimentícia);
  • Pagamentos efetuados a médicos de qualquer especialidade:
    • Dentistas;
    • Psicólogos;
    • Fisioterapeutas;
    • Terapeutas ocupacionais;
    • Fonoaudiólogos.
  • Hospitais e as despesas provenientes de exames laboratoriais;
  • Serviços radiológicos;
  • Aparelhos ortopédicos;
  • Próteses ortopédicas e dentárias.

Além disso, lembre-se que você precisa ter todos os comprovantes dessas despesas e guardá-los por 5 anos.

Isso é importante porque se a Receita pedir a comprovação desse gasto, você já tem toda a documentação separada. 

O que não posso deduzir como despesa médica?

O que não posso deduzir como despesa médica?

Agora que você já sabe o que deduzir como despesa médica na Receita Federal, vou te mostrar e te explicar o que NÃO pode deduzir. 

Veja só:

1) Despesas médicas sem recibo

Como te disse anteriormente, você precisa guardar todos os recebidos das suas despesas médicas. 

Caso você não tenha nota fiscal, recibo ou cópia de cheques emitidos em nome do hospital, ou profissional qualificado você não vai poder deduzir esses gastos.

Mas não se preocupe! Ainda é possível requerer essa documentação com os hospitais, clínicas e profissionais de saúde. Provavelmente, eles vão ter guardados e você pode solicitar uma cópia. 

Além disso, é importante ressaltar que se você não conseguir esses recibos não faça a dedução. Isso porque você pode cair malha fina.

2) Plano de saúde pago por empresa

Se o plano de saúde é pago integralmente pela empresa, não tem como você deduzir do Imposto de Renda.

Caso você pague parcialmente a despesa médica, você pode declarar o que pagou do bolso e informar na coluna “Parcela não dedutível/valor reembolsado” o valor pago pela empresa.

Ou seja, na hora de declarar você vai colocar somente o valor que você efetivamente pagou e que pode ser incluído na lista de possíveis deduções.

3) Plano de saúde de não dependente

Mesmo que você tenha pagado o plano de saúde da mãe, do pai, do avô, do sobrinho você não pode abater essa despesa do IR.

Isto é a não ser que essas pessoas sejam seus dependentes na declaração.

4) Remédios

Além disso, não adianta você guardar todos os comprovantes gastos com remédios. Pois, mesmo que eles sejam de uso contínuo, só poderão ser declarados se constarem na conta emitida pelo estabelecimento hospitalar.

5) Vacinas

O mesmo acontece com as vacinas: elas não podem ser deduzida. Isto é a não ser se forem constatadas na conta emitida pelo estabelecimento hospitalar.

6) Enfermeiros e massagistas

Além disso, enfermeiros particulares, cuidadores de idosos e assistentes sociais não são dedutíveis.

Ou seja, esse tipo de serviço só podem ser deduzidos se fizerem parte da conta do hospital. 

7) Viagem ao exterior para tratamento médico

Nesse caso o que não vai ser dedutível é as despesas com a viagem, ou seja, os gastos com passagens, hospedagem, transporte e alimentação.

Sendo assim, o que você vai poder deduzir como despesa médica é o tratamento hospitalar.

É claro que somente com nota fiscal emitida pelo profissional de medicina ou pelo hospital responsável.

8) Academia

Mesmo que as aulas na academia seja por recomendação médica, elas não podem ser deduzidas do Imposto de Renda.

9) Compra de óculos e lentes de contato

A compra de óculos e lentes de contatos, mesmo com a receita médica, não podem ser abatidos do Imposto de Renda.

No entanto, a única exceção são as lentes intraoculares que fizerem parte da conta do hospital ou do profissional qualificado.

10) Gastos com veterinário

Sei que tem muitas pessoas que consideram seu animal de estimação com parte da família, mas os gastos com tratamento e consultas veterinárias não podem ser deduzidos. 

Conclusão

No artigo de hoje te mostrei como deduzir o plano de saúde em 2020. Você viu o que você precisa fazer para declarar o plano de saúde empresarial, familiar e individual. 

Além disso, te mostrei também o que a Receita Federal considera como despesa médica e o que você não pode deduzir. 

Agora é a sua vez! Se você tiver qualquer dúvida sobre esse assunto, deixe um comentário. A nossa equipe fará o possível para te responder.

Empresas poderão ter benefício fiscal para custear planos de saúde de colaboradores
Empresas poderão ter benefício fiscal para custear planos de saúde de colaboradores

O Projeto de Lei 4393/20 institui um benefício fiscal para as empresas contratarem planos de saúde privados para seus empregados. Read more

12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco
12 motivos para escolher Plano de Saúde Empresarial Bradesco

O Plano de Saúde Empresarial Bradesco possui ativos que você precisa conhecer agora para se decidir. Poderia dizer na introdução todas Read more

O plano de saúde cobre vasectomia?
O plano de saúde cobre vasectomia

Sim, o plano de saúde cobre vasectomia. Desde 2008 o procedimento foi incluído no Rol de Cobertura da ANS. A Read more

Como pedir reembolso plano de saúde?
Como pedir reembolso plano de saúde

Você sabe como pedir reembolso plano de saúde? Sei que te pessoas que não sabem que essa possibilidade existe e Read more

O que é Cobertura Parcial Temporária

O que é Cobertura Parcial Temporária?

Se você quer saber o que é Cobertura Parcial Temporária (CPT), pode ser porque você está buscando mais informações sobre plano de saúde. 

Em geral, esse termo pode parecer confuso, mas o que vou te mostrar agora vai clarear a sua mente sobre esse assunto. 

Isso porque, além de te explicar o que é Cobertura Parcial Temporária, também vou te mostrar:

  • Se CPT é o mesmo que carência;
  • Como saber se o seu plano cobra a CPT;
  • Se a CPT está dentro da lei;
  • Quando declarar a doença preexistente;
  • Quando a CPT não pode ser aplicada;
  • Um pouco sobre as carências regulares dos planos de saúde.

Vamos lá?

O que é Cobertura Parcial Temporária (CPT)? 

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS),  Cobertura Parcial Temporária (CPT) é uma restrição na cobertura do plano de saúde.

Sendo assim, as operadoras de plano de saúde podem conceder no caso de Doença ou Lesão Preexistente (DLP). 

Doença preexistente é toda doença que o indivíduo já possui e sabe disso antes da contratação do serviço

Por exemplo, se antes de contratar o plano de saúde você já sabe que possui Diabetes Tipo 2 não poderá fazer procedimentos complexos relacionados a essa doença.

Além disso, a CPT pode durar no máximo 24 meses a partir da assinatura ou adesão contratual e só pode abranger:

  • Cirurgias;
  • Leitos de alta tecnologia; e
  • Procedimentos de Alta Complexidade (PAC).

Relacionados à doença ou lesão preexistente declarada pelo beneficiário, ou seu representante legal.

CPT é o mesmo que carência?

Apesar de ter características semelhantes, a CPT e a carência não são a mesma coisa.

De fato, ambas são um período em que o beneficiário não poderá utilizar determinadas coberturas previstas no contrato.

No entanto, a carência é para situações gerais e a CPT para caso relacionado à doença preexistente.

Isso quer dizer que passado o período de carência, o beneficiário pode fazer alguns procedimentos como consultas e exames simples.

Por outro lado, só após passado o prazo da CPT estipulada no contrato, o beneficiário passa a contar com a cobertura integral também em relação ao problema preexistente.

Ou seja, o plano passa a cobrir cirurgias, leitos de alta tecnologia e Procedimentos de Alta Complexidade, relacionados a doença preexistente.

Como saber se meu plano cobra CPT funciona?

Em geral, as operadoras imprimem as iniciais CPT na carteirinha entregue aos beneficiários do plano.

Logo ao lado da sigla possui uma data, que é quando acaba o prazo da cobertura parcial temporária.

No entanto, se essa informação não está na sua carteirinha e você tem dúvidas sobre o assunto. Entre em contato com a sua operadora e pergunte sobre a Cobertura Parcial Temporária.

A CPT está dentro da lei?

A CPT está dentro da lei?

Sim, a CPT está de acordo com a lei. Ela é uma forma de assegurar um plano de saúde para o consumidor mesmo que ele tenha doença preexistente. 

Ou seja, as operadoras de planos de saúde não podem negar a venda de um plano que atenda ao perfil do beneficiário. 

Mas as operadoras podem exigir que o cliente cumpra uma carência de até 24 meses para aquela doença que a pessoa declarou ter, que á  CPT.

Além disso, o preenchimento deste formulário deve conter apenas com informações verídicas.

Sendo assim, se a operadora desconfiar da veracidade dos fatos, ela pode acionar a justiça.

Da mesma forma, se o beneficiário se sentir lesado por causa da CPT ele pode entrar em contato com a ANS.

Quando declarar a doença preexistente?

Quando você contratar o plano de saúde há um formulário que você deve preencher para informar a existência de uma doença ou mesmo de um problema clínico.

Isso significa que o consumidor pode usar o plano de saúde, exceto para eventos e procedimentos que tenham relação com a doença mencionada.

Quando a CPT não pode ser aplicada?

A CPT não se aplica nos planos de saúde coletivos empresariais que tenham 30 ou mais pessoas.

Nesse caso, o funcionário precisa formalizar a sua adesão em até 30 dias de celebração do contrato ou da sua vinculação à empresa.

Agora nos casos em que o contrato empresarial tem menos de 30 pessoas, a cobertura parcial temporária pode ser exigida pela operadora do plano.

E a carência regular dos planos?

A Cobertura Parcial Temporária não anula os prazos de carência. Isso quer dizer que mesmo com CPT, as carências previstas em lei serão cobradas pela operadora de plano de saúde.

Além disso, é importante você ficar atento aos prazos máximos previstos em lei para as carências regulares. Ou seja, que não estão vinculadas às doenças ou lesões preexistentes.

Os prazos de carência são:

  • Para os casos de urgência e emergência a carência máxima é de 24 horas;
  • Para partos, excluídos os partos prematuros, o prazo é de 300 dias; e
  • Para as demais situações o prazo máximo de carência de 180 dias.

Lembrando que a cobertura para parto só é possível aos planos de saúde que contemplem a obstetrícia.

Além disso, esses prazos são o período máximo estabelecido por lei, o que significa que as operadoras como diminuir esse tempo dependendo da sua disponibilidade.

Conclusão

No artigo de hoje te mostrei  o que é a Cobertura Temporária Parcial (CPT). Você viu que ela não é mesma coisa que as carências regulares e que está de acordo com a lei. 

Te mostrei também como você pode saber se o seu plano de saúde cobra a CPT e quando acaba o seu prazo. 

Além disso, você viu quando deve declarar a doença preexistente e quando não pode ser aplicada a CPT. 

Se você tiver alguma dúvida sobre esse assunto, deixe um comentário. A nossa equipe fará o possível para te responder.

Como pedir reembolso plano de saúde?
Como pedir reembolso plano de saúde

Você sabe como pedir reembolso plano de saúde? Sei que te pessoas que não sabem que essa possibilidade existe e Read more

5 passos para escolher um plano de saúde ideal
5 passos para escolher um plano de saúde ideal

Se você estar querendo escolher um plano de saúde para você e sua família, significa que você é alguém que Read more

Quais hospitais de referência em Brasília?
Quais hospitais de referência em Brasília

Você sabe quais são os hospitais de referência em Brasília? Separei para você uma lista completa com as melhores instituições Read more

Por que ter um plano de saúde para os funcionários?
Por que ter um plano de saúde para os funcionários

Você sabe por que é essencial ter um plano de saúde para os funcionários da sua empresa? Se você pensa Read more

O que é doença preexistente

O que é doença preexistente?

Se você quer saber o que é doença preexistente você pode estar procurando mais informações sobre plano de saúde. 

Em geral, há muitos termos técnicos que podem te deixar inseguro quando vai contratar um plano de saúde.

Por isso, que o principal objetivo com esse artigo é te mostrar todas as informações essenciais para fazer a escolha certa. 

Assim sendo, no artigo de hoje vou te mostrar:

  • O que são doenças ou lesões preexistentes;
  • Exemplos de doenças preexistentes;
  • Como definir a data de início da doença;
  • O que acontece quando você não sabe que tem a doença;
  • Qual o prazo de carência para a doença preexistente;
  • Como funciona a carência e a Cobertura Parcial Temporária;
  • Se o plano de saúde pode ser negado por causa da doença preexistente. 

Vamos lá?

O que são Doenças ou Lesões Preexistentes (DLP)?

De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS):

Doenças ou Lesões Preexistentes (DLP) são aquelas que o beneficiário ou seu representante legal saiba ser portador ou sofredor, no momento da contratação ou adesão ao plano de saúde.

Ou seja, doença preexistente é toda doença que o indivíduo já possui e sabe disso antes da contratação do serviço.

Quais são exemplos de doenças preexistentes?

Aliás, qualquer doença ou lesão pode ser considerada preexistente. Ou seja, basta ter sido iniciada antes da contratação do plano de saúde.

Assim sendo, aqui estão alguns exemplos:

  • Hipertensão;
  • Diabetes tipo 2;
  • Catarata;
  • Doenças genéticas;
  • AIDS;
  • Doenças cardíacas;
  • Câncer;
  • Pedra na vesícula ou nos rins.

Como definir a data de início da doença?

Como definir a data de início da doença?

Para a medicina é quase impossível definir a data exata de quando uma doença começou.

Por isso, os contratos de plano de saúde definem essa data quando o cliente recebeu o diagnóstico e se tornou ciente da doença.

Isso quer dizer, por exemplo, que mesmo se o beneficiário for diabético há 10 anos, mas descobrir só há dois meses. A data que vai aparecer no contrato é quando ele descobriu que possui a doença. 

E quando não sabemos que temos a doença?

Muitas vezes o beneficiário não sabe que é portador da doença e contrata um plano de saúde. Portanto, não fica classificado como uma doença preexistente.

Isso porque o cliente não tem um diagnóstico anterior que comprove a existência dessa doença.

No entanto, se o plano de saúde acreditar que há uma incoerência. Ou seja, que o beneficiário sabia do diagnóstico, mas optou por omitir a informação.

A operadora terá que provar que o cliente estava doente antes de contratar o plano.

Além disso, o plano de saúde pode solicitar a Justiça que o cliente realize um exame para diagnosticar a doença.

Po outro lado, o consumidor pode pedir a intervenção da Agência Nacional de Saúde. 

Qual o prazo de carência para a lista de doenças preexistentes?

O prazo de carência para realização de procedimentos relacionados a doença preexistente é conhecido como Cobertura Parcial Temporária (CPT). 

Dessa forma, a CPT quer dizer que durante um prazo de até dois anos o plano não cobrirá a doença preexistente mencionada na declaração de saúde.

Ou seja, só após esse período de 24 meses o cliente poderá realizar todos os procedimentos para o acompanhamento e tratamento da doença.

Como funciona as carências e a CPT nos planos de saúde?

Há uma diferença mínima nas carências do plano individual (ou familiar), coletivo empresarial e coletivo por adesão.

Por outro lado, todos eles respeitam o limite máximo de:

  • 24 horas para atendimentos de urgência e emergência;
  • 300 dias para partos; e
  • 180 dias para demais casos.

E como funciona nos casos das doenças preexistentes?

Veja o quadro abaixo:

Tipo de plano de saúdeCarênciaCPT
Individuais ou familiaresPode haverPode haver
Coletivos por adesão (mais de 30 beneficiários)Pode haverNão tem
Coletivos por adesão (menos de 30 beneficiários)Pode haverPode haver
Coletivos empresariais (mais de 30 beneficiários)Não temNão tem
Coletivos empresariais (menos de 30 beneficiários) Pode haverPode haver

Pois então, nota-se que não há CPT quando o plano for:

  • Coletivo por adesão com mais de 30 beneficiários; e
  • Coletivo empresarial com mais de 30 beneficiários.

O plano de saúde pode ser negado por causa da doença preexistente?

De acordo com a ANS, nenhum plano de saúde pode negar o serviço a uma pessoa por causa da sua doença preexistente.

Por outro lado, se isso ocorrer, o indivíduo deve procurar a agência reguladora para notificar a situação.

Além disso, não se esqueça que para esses casos, o plano de saúde pode cobrar uma carência de até 24 meses (CPT).

Quem tem câncer tem direito ao plano de saúde?

Quem tem câncer ou qualquer outra doença grave pode sim ter o plano de saúde. No entanto, se o beneficiário já sabe do diagnóstico, será considerado doença preexistente. 

Isso quer dizer que os procedimentos complexos relacionados às doenças não são cobertos pelo período de até 24 meses.

Ou seja, de acordo com a ANS, durante esse período o plano de saúde não vai cobrir:

  • Quimioterapia;
  • Tomografia computadorizada;
  • Ressonância magnética;
  • Etc.

Conclusão

No artigo de hoje eu te mostrei o que é doença preexistente e quais são os seus exemplos.

Além do mais, você viu que plano de saúde define a data de início da doença de acordo com o diagnóstico que recebeu.

Te mostrei também que se o beneficiário não sabe que possui um diagnóstico e só descobre com as consultas feitas pelo plano de saúde, não é considerado doença preexistente.

Ou seja, mesmo que ele já tenha a condição há muito tempo não será cobrado a CPT.

Além disso, te mostrei como funciona a carência e a CPT em cada tipo de plano de saúde. 

Dessa forma, se você tiver qualquer dúvida sobre esse assunto. Deixe um comentário! A nossa equipe fará o possível para te responder!  

O plano de saúde cobre vasectomia?
O plano de saúde cobre vasectomia

Sim, o plano de saúde cobre vasectomia. Desde 2008 o procedimento foi incluído no Rol de Cobertura da ANS. A Read more

Como pedir reembolso plano de saúde?
Como pedir reembolso plano de saúde

Você sabe como pedir reembolso plano de saúde? Sei que te pessoas que não sabem que essa possibilidade existe e Read more

5 passos para escolher um plano de saúde ideal
5 passos para escolher um plano de saúde ideal

Se você estar querendo escolher um plano de saúde para você e sua família, significa que você é alguém que Read more

Quais hospitais de referência em Brasília?
Quais hospitais de referência em Brasília

Você sabe quais são os hospitais de referência em Brasília? Separei para você uma lista completa com as melhores instituições Read more