Quanto custa parto particular

Quanto custa parto particular?

Se você não tem plano de saúde e pretende engravidar (ou já está grávida) uma das principais dúvidas é: quanto custa o parto particular? 

Essa dúvida é comum porque muitas mulheres têm receio de ganhar o seu filho em um hospital público sem recursos que garantem uma tranquilidade. 

No entanto, sem um plano de saúde, os custos para um parto particular podem sem bem altos. Vou te explicar. 

Qual é o valor do parto particular?

O preço para um parto particular deve estar dentro dos padrões referenciais mínimos determinados pela Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM)

Mas, de modo geral, um parto particular pode custar entre R$ 10 a R$ 15 mil. No entanto, esses valores dependem da região em que você mora, qual o hospital, tipo de acomodação e equipe médica. 

Por isso, para saber exatamente quanto custa um parto particular você precisa verificar quanto custa:

  • O atendimento (médico, anestesista, instrumentador);
  • A estrutura hospitalar (incluindo UTI);
  • A acomodação;
  • As taxas;
  • Os custos com acompanhantes; 
  • Entre outros.

Além disso, é importante verificar também os custos com testes e vacinas. Eles devem ser aplicados logo nas primeiras horas do recém-nascido como, por exemplo, teste da orelhinha e vacina BCG.

Qual é o mais caro parto normal ou cesárea?

Geralmente, o mais caro é o parto cesáreo. Isso porque tem o uso de materiais do centro cirúrgico, medicamentos, tempo de internação da paciente, honorários médicos, entre outros custos que envolvem a estrutura hospitalar.

Apesar de o parto normal trazer mais benefícios para a mãe e a criança Como, por exemplo, a rápida recuperação da mãe e melhora da respiração da criança.

O Brasil,  segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), possui elevada taxa no número de cesáreas (55,5%) e ocupa o segundo lugar no ranking mundial.

Isso pode ser por causa de inúmeros fatores como a falta de assistência ao parto normal, escassez da equipe de profissionais da saúde e médicos, baixa remuneração e até escolha pessoal da paciente.

O importante é entender que, se a mãe nem o bebê correrem risco, a melhor opção é o parto normal. Por isso, a gestante deve conversar com o seu médico sobre essa opção ainda durante a gravidez. 

Como funciona o plano de saúde para o parto?

Agora que você já viu quanto custa um parto particular, vou te mostrar como o plano de saúde funciona quando a beneficiária está grávida. 

A primeira coisa que você precisa saber é que a melhor forma de usufruir de todos os benefícios do plano de saúde na gravidez é contratá-lo com antecedência. Ou seja, assim que estiver pensando em aumentar a família. 

Sei que nem sempre esse planejamento familiar é possível de ser seguido, mas mesmo depois de grávida ter um plano de saúde é essencial para a segurança e conforto da mamãe e do bebê.

Como escolher o plano de saúde?

Se você pretende contratar um plano de saúde por conta da gravidez, o primeiro passo que você deve tomar é escolher uma operadora que possua a opção de obstetrícia de acordo com a sua necessidade. 

Verifique quais são os hospitais que fazem parte da cobertura, se a acomodação é igual a que você deseja e qual o período de carência estabelecido. 

Qual a carência para o plano de saúde cobrir o parto?

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o tempo de carência máximo para o plano de saúde cobrir o parto é de 300 dias, ou seja, um pouco mais de 9 meses.

Esse prazo pode ser menor dependendo da operadora. Mas, normalmente, é melhor se guiar por esse período para fazer um planejamento familiar. 

Quais as vantagens de ter um plano de saúde durante a gravidez?

A principal vantagem de ter um plano de saúde antes mesmo da gravidez é que a beneficiária pode escolher um médico da rede credenciada que a acompanhe durante toda a gravidez até o momento do parto.

Além disso, pode escolher com antecedência o hospital da sua preferência sem se preocupar com localidade ou lotação dos quartos.

Outra vantagem é que de acordo com a cobertura escolhida, a gestante pode optar por um quarto particular. Garantindo assim a privacidade para esse momento tão importante para a família.

Sem contar que com o plano de saúde, o pré-natal e custos relacionados aos primeiros dias de vida do recém-nascido também pode fazer parte da cobertura do plano sem a necessidade de aumentar o valor.

Isso porque a inclusão do bebê no plano de saúde acontece automaticamente. Isto é sem custos extras, por um período de 30 dias, contados a partir do nascimento. Somente após esse prazo que o recém-nascido deve ser incluído como dependente.

Além disso, a gestante com plano de saúde também tem direito a:

  • Um acompanhante durante o trabalho de pré-parto, parto e pós-parto imediato;
  • Cobertura das despesas referentes à alimentação dos acompanhantes;
  • Cobertura de taxas relacionadas à permanência dos acompanhantes.     

O plano de saúde pode cobrar por fora?

É importante lembrar que ao contratar a operadora a beneficiária deve verificar se o contrato é com ou sem coparticipação.

Se for com comparticipação, a contratante fica responsável pelo pagamento de um percentual para cada procedimento (os valores são fixos no contrato). 

No entanto, se esse não for o caso, o plano de saúde nem os médicos credenciados podem cobrar qualquer outra taxa extra. 

De acordo com a ANS, a famosa “taxa de disponibilidade”, quando o profissional exige um honorário adicional para realizar o parto a qualquer hora, é INDEVIDA.

Se houver qualquer tipo de cobrança o beneficiário deve entrar em contato com a operadora ou com a ANS.

Conclusão

No artigo de hoje, te mostrei quanto custa um parto particular. Você viu a diferença entre o parto normal e o cesáreo e ainda te mostrei como funciona o plano de saúde nessa situação. 

Te expliquei como você pode escolher o melhor plano de saúde para você, quais as vantagens de contratar uma operadora e como funciona o período de carência. 

Se você tiver alguma dúvida sobre esse assunto, deixe um comentário. A nossa equipe fará o possível para te ajudar.

Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC): o que é e quais são os sintomas
Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) o que é e quais são os sintomas

Você sabe o que é transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)? Muitas vezes usamos  a expressão “TOC” para rotular uma pessoa ou justificar Read more

Plano de saúde cobre cirurgia plástica?
Plano de saúde cobre cirurgia plástica?

Se você quer saber se o plano de saúde cobre cirurgia plástica precisar ler esse artigo até o final.  Isso Read more

Quando consultar um psicólogo?
Quando consultar um psicólogo?

Você sabe quando é o momento certo de consultar um psicólogo?  Sei que a vida é cheia de desafios e Read more

O que são doenças genéticas?
O que são doenças genéticas?

Você sabe o que são doenças genéticas? Provavelmente você conheça uma ou duas. Ou conhece alguém que tem.  Mas se Read more