O que são doenças genéticas?

O que são doenças genéticas?

Você sabe o que são doenças genéticas? Provavelmente você conheça uma ou duas. Ou conhece alguém que tem. 

Mas se você está aqui neste artigo é porque precisa de mais informações sobre o assunto. 

Por isso, vou começar pelo conceito básico de gene. 

O que é um gene?

O que é um gene

Genes são seções ou segmentos de DNA que são carregados nos cromossomos e determinam características humanas específicas. Por exemplo, altura ou cor do cabelo.

Algumas características vêm de um único gene, enquanto outras vêm de combinações de genes.

Sendo assim, como cada pessoa tem cerca de 25 mil genes diferentes, há um número quase infinito de combinações possíveis.

Enfim, para entender como os genes funcionam, vou revisar alguns fundamentos da biologia. 

Fundamentos da biologia

A maioria dos organismos vivos é composta de células que contêm DNA.

O DNA tem quatro substâncias químicas (adenina, timina, citosina e guanina – A, T, C e G) que são amarradas em padrões em fitas finas enroladas na célula.

Os genes são feitos de DNA. E diferentes padrões de A, T, G e C codificam as instruções para fazer as coisas de que seu corpo precisa para funcionar.

Como, por exemplo, as enzimas para digerir os alimentos ou o pigmento que dá a cor aos seus olhos)

Sendo assim, à medida que suas células se duplicam, elas passam essa informação genética para as novas células.

Além disso, o DNA é agrupado para formar estruturas chamadas cromossomos. A maioria das células do corpo humano tem 23 pares de cromossomos, perfazendo um total de 46. 

Genes e Hereditariedade

Hereditariedade é a passagem de genes de uma geração para a outra. Como, por exemplo, você herdar os genes de seus pais. 

A hereditariedade ajuda a torná-lo a pessoa que você é hoje: baixo ou alto, com cabelo preto ou loiro, com olhos castanhos ou azuis.

Mas o que acontece se uma pessoa alterar (ou fazer uma mutação) em um gene?

Às vezes, as mudanças causam pequenas diferenças, como a cor do cabelo. No entanto, outras mudanças nos genes podem causar problemas de saúde.

Mutações em um gene acabam fazendo com que aquela cópia específica do gene não execute seu trabalho da maneira que deveria.

Como temos duas cópias de cada gene, normalmente ainda há uma cópia de trabalho “normal” do gene.

Nestes casos, normalmente nada de extraordinário acontece, uma vez que o corpo ainda pode fazer as tarefas de que necessita. Ou seja, este é um exemplo de traço autossômico recessivo.

Sendo assim, para alguém ter uma doença ou característica recessiva, a pessoa deve ter uma mutação genética em ambas as cópias do par de genes. Fazendo assim com que o corpo não tenha cópias funcionais desse gene específico.

Uma pessoa pode nascer com mutações genéticas ou podem ocorrer ao longo da vida.

As mutações podem ocorrer quando as células estão envelhecendo ou foram expostas a certos produtos químicos, ou radiação.

Felizmente, as células em geral reconhecem esses tipos de mutações e as reparam por si mesmas. Outras vezes, porém, podem causar doenças, como alguns tipos de câncer.

Além disso, se a mutação genética existe nos óvulos ou espermatozoides, as crianças podem herdar a mutação genética de seus pais.

Sendo assim, quando a mutação está em todas as células do corpo, o corpo não é capaz de “reparar” a mudança genética.

O que é uma doença genética?

O que é uma doença genética

Enfim, você já sabe o que é gene, agora fica fácil entender o que é uma doença genética.

Sendo assim, uma doença genética é qualquer doença causada por uma anormalidade na composição genética de um indivíduo. 

A anormalidade genética pode variar de minúscula a maior. Ou seja, de uma mutação discreta em uma única base no DNA de um único gene a uma anormalidade cromossômica bruta. Envolvendo assim a adição ou subtração de um cromossomo inteiro, ou conjunto de cromossomos. 

Algumas pessoas herdam doenças genéticas dos pais, enquanto mudanças adquiridas ou mutações em um gene, ou grupo de genes preexistente causam outras doenças genéticas.

Além disso, as mutações genéticas podem ocorrer aleatoriamente ou devido a alguma exposição ambiental.

Em média, as pessoas provavelmente carregam de 5 a 10 genes com mutações em cada uma de suas células.

Aliás, os problemas acontecem quando o gene específico é dominante. Ou quando uma mutação está presente em ambas as cópias de um par de genes recessivos.

Os problemas também podem acontecer quando vários genes variantes interagem uns com os outros (ou com o ambiente) para aumentar a suscetibilidade a doenças.

Por exemplo, às vezes, quando um óvulo e um espermatozoide se unem, a nova célula obtém muitos ou poucos cromossomos. O que pode causar problemas para a criança.

É o que acontece com a maioria das crianças nascidas com síndrome de Down, elas têm um cromossomo extra número 21.

Teste genético

Em alguns casos, as pessoas preocupadas com a possibilidade de serem portadores de certos genes variantes podem fazer o teste genético. Assim podem descobrir as chances de seus filhos herdarem uma doença.

Além disso, mulheres grávidas também podem fazer testes para ver se o feto que estão carregando pode ter certas doenças genéticas.

O teste genético, em geral, envolve a coleta de uma amostra do sangue, pele ou líquido amniótico.

Quais são os quatro tipos de doenças genéticas?

Quais são os quatro tipos de doenças genéticas

Existem vários tipos diferentes de doenças genéticas e incluem:

  1. Herança de gene único
  2. Herança multifatorial
  3. Anormalidades cromossômicas
  4. Herança mitocondrial

Vou te explicar sobre elas agora. 

Distúrbios de herança de gene único

A herança de um único gene também é chamada de herança mendeliana ou monogenética.

Alterações ou mutações que ocorrem na sequência de DNA de um único gene causam esse tipo de herança.

Existem milhares de doenças de um único gene conhecidas. No entanto, os distúrbios de um único gene têm diferentes padrões de herança genética, incluindo:

  • Herança autossômica dominante, na qual apenas uma cópia de um gene defeituoso (de um dos pais) é necessária para causar a doença;
  • Herança autossômica recessiva, na qual duas cópias de um gene defeituoso (uma de cada pai) são necessárias para causar a doença; e
  • Herança ligada ao X, em que o gene defeituoso está presente na mulher, ou cromossomo X. A herança ligada ao X pode ser dominante, ou recessiva.

Além disso, alguns exemplos de distúrbios de um único gene são:

  • Fibrose cística;
  • Alfa e beta talassemias;
  • Anemia falciforme;
  • Síndrome de Marfan;
  • Síndrome do X frágil;
  • Doença de Huntington;
  • Hemocromatose.

Distúrbios de herança genética multifatoriais comuns

A herança multifatorial também é chamada de herança complexa ou poligênica.

Os distúrbios de herança multifatorial são causados ​​por uma combinação de fatores ambientais e mutações em vários genes. 

Por exemplo, diferentes genes que influenciam a suscetibilidade ao câncer de mama foram encontrados nos cromossomos 6, 11, 13, 14, 15, 17 e 22. Algumas doenças crônicas comuns são distúrbios multifatoriais.

Exemplos de herança multifatorial são:

  • Doença cardíaca;
  • Pressão alta;
  • Doença de Alzheimer;
  • Artrite;
  • Diabetes;
  • Câncer;
  • Obesidade.

Além disso, a herança multifatorial também está associada a características hereditárias, como padrões de impressão digital, altura, cor dos olhos e cor da pele.

Anormalidades cromossômicas

Os cromossomos, estruturas distintas constituídas por DNA e proteínas, estão localizados no núcleo de cada célula.

Como os cromossomos são os portadores do material genético, anormalidades no número ou na estrutura dos cromossomos podem resultar em doenças.

Anormalidades cromossômicas, em geral, ocorrem devido a um problema com a divisão celular.

Por exemplo, a síndrome de Down ou trissomia do cromossomo 21 é uma doença genética comum. Ela ocorre quando uma pessoa tem três cópias do cromossomo 21. Existem outras anormalidades cromossômicas, incluindo:

  • Síndrome de Turner;
  • De Klinefelter (47, XXY);
  • De “choro do gato”.

Além disso, as doenças também podem ocorrer devido à translocação cromossômica, na qual partes de dois cromossomos são trocadas.

Distúrbios de herança genética mitocondrial

Este tipo de distúrbio genético é causado por mutações no DNA não nuclear da mitocôndria.

As mitocôndrias são pequenas organelas redondas ou em forma de bastão. Elas estão envolvidas na respiração celular e são encontradas no citoplasma de células vegetais e animais.

Além disso, cada mitocôndria pode conter 5 a 10 pedaços circulares de DNA. Como os óvulos, mantêm suas mitocôndrias durante a fertilização, o DNA mitocondrial é sempre herdado do pai feminino.

Exemplos de doença mitocondrial incluem:

  • Atrofia óptica hereditária de Leber (LHON), uma doença ocular;
  • Epilepsia mioclônica com fibras vermelhas irregulares (MERRF); e
  • Encefalopatia mitocondrial, acidose láctica e episódios como AVC.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei o que são doenças genéticas. Antes de tudo, te mostrei o que é um gene.

Além disso, te mostrei também quais são os quatro tipos de doenças genéticas.

Gostou do artigo? Compartilhe nas redes sociais! Tem alguma dúvida? Deixa um comentário! A nossa equipe fará o possivel para te responder.

Como aumentar autoestima em 7 passos simples
Como aumentar autoestima em 7 passos simples

Saber como aumentar autoestima é essencial para você ter uma saúde mental saudável.  No entanto, nem sempre é uma tarefa Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse
Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer.  Por isso, no artigo Read more

10 dicas para reduzir o consumo de álcool
10 dicas para reduzir o consumo de álcool

Você pensa em reduzir o consumo de álcool? Provavelmente, você tenha experimentado alguns efeitos negativos para a saúde por causa Read more

Como é diagnosticado o câncer de mama
Como é diagnosticado o câncer de mama

No artigo de hoje vou te mostrar quais são os principais procedimentos e exames solicitados para diagnosticar o câncer de Read more

Como aumentar autoestima em 7 passos simples

Como aumentar autoestima em 7 passos simples

Saber como aumentar autoestima é essencial para você ter uma saúde mental saudável. 

No entanto, nem sempre é uma tarefa fácil. Por isso, neste artigo eu vou te mostrar 7 passos simples para você aumentar autoestima. 

Além disso, também vou te mostrar:

  • O que é autoestima;
  • O que causa baixa autoestima;
  • Como a baixa autoestima nos afeta;
  • Qual profissional procurar.

O que é autoestima?

O que é autoestima

Autoestima, de maneira bem simples, é a opinião que temos de nós mesmos.

Quando temos uma autoestima saudável, tendemos a nos sentir positivos a respeito de nós mesmos e da vida em geral. Isso nos torna mais capaz de lidar com os altos e baixos da vida.

Por outro lado, quando nossa autoestima está baixa, tendemos a ver a nós mesmos e nossa vida de uma maneira mais negativa e crítica.

Assim, também nos sentimos menos capazes de enfrentar os desafios que a vida nos lança.

O que causa baixa autoestima?

A baixa autoestima geralmente começa na infância. Isso acontece porque nossos professores, amigos, irmãos, pais e até mesmo a mídia nos enviam mensagens positivas e negativas sobre nós mesmos. 

A mensagem de que você não é bom o suficiente é a que fica com você, talvez você tenha achado difícil corresponder às expectativas das outras pessoas ou às suas próprias expectativas.

Além disso, a baixa autoestima também pode acontecer por causa do estresse e os eventos difíceis da vida, como uma doença grave ou uma perda.

A personalidade também pode desempenhar um papel. Algumas pessoas são mais propensas a pensamentos negativos, enquanto outras estabelecem padrões impossivelmente elevados para si mesmas.

Como a baixa autoestima nos afeta?

Se você tem baixa autoestima pode se esconder de situações sociais, parar de tentar coisas novas e evitar coisas que considera desafiadoras.

No curto prazo, evitar situações desafiadoras e difíceis pode fazer você se sentir seguro.

A longo prazo, isso pode sair pela culatra porque reforça suas dúvidas e medos.

Isso acontece porque você começa a acreditar que a única maneira de lidar com as situações desafiadoras é evitando-as.

Além disso, viver com baixa autoestima pode prejudicar sua saúde mental e levar a problemas como depressão e ansiedade.

Você também pode desenvolver hábitos prejudiciais, como fumar e beber demais, para lidar com a situação.

7 passos simples para melhorar a su autoestima

7 passos simples para melhorar a su autoestima

Agora que você já sabe o que é autoestima, o que causa e como a baixa autoestima nos afeta, vou te mostrar 7 passos simples que podem ajudá-lo a se sentir melhor consigo mesmo.

1) Identifique e desafie suas crenças negativas

O primeiro passo é identificar, e então desafiar, suas crenças negativas sobre si mesmo.

Observe seus pensamentos sobre você. Por exemplo, você pode se pegar pensando “Não sou inteligente o suficiente para fazer isso” ou “Não tenho amigos”.

Ao fazer isso, procure evidências que contradizem essas afirmações. Anote a afirmação e as evidências para se lembrar de que suas crenças negativas sobre você não são verdadeiras.

2) Reconheça no que você é bom 

Para aumentar autoestima, você precisa entender que todos somos bons em alguma coisa, seja cozinhar, cantar, resolver quebra-cabeças ou ser amigos.

Além disso, também tendemos a gostar de fazer as coisas em que somos bons, o que pode ajudar a melhorar o seu humor.

3) Construa relacionamentos positivos

Se você descobrir que certas pessoas tendem a deixá-lo para baixo, tente passar menos tempo com elas ou diga-lhes como você se sente a respeito de suas palavras ou ações.

Aliás, o ideal é tentar construir relacionamentos com pessoas positivas e que o apreciem.

4) Seja gentil com você mesmo

Ser gentil consigo mesmo significa eliminar ou diminuir a vontade de ser autocrítico.

Além disso, pense no que você diria a um amigo em uma situação semelhante. Frequentemente, damos conselhos muito melhores aos outros do que a nós mesmos.

5) Aprenda a ser assertivo

Outra forma de aumentar autoestima é você respeitar as opiniões e necessidades das outras pessoas e esperar o mesmo delas.

Um truque é olhar para outras pessoas que agem de forma assertiva e copiar o que fazem.

Não se trata de fingir que você é alguém que não é,  mas sim de pegar dicas e sugestões de pessoas que você admira.

6) Comece a dizer “não”

Pessoas com baixa autoestima muitas vezes sentem que têm que dizer sim para outras pessoas, mesmo quando, na verdade, não querem.

O risco é que você fique sobrecarregado, ressentido, zangado e deprimido.

Na maioria das vezes, dizer “não” não perturba os relacionamentos.

Pode ser útil continuar dizendo não, mas de maneiras diferentes, até que recebam a mensagem.

7) Dê a si mesmo um desafio

Todos nós nos sentimos nervosos ou com medo de fazer coisas às vezes.

Mas as pessoas com autoestima saudável não permitem que esses sentimentos as impeçam de tentar coisas novas ou de aceitar desafios.

Além disso, estabeleça uma meta para você, como participar de uma aula de ginástica ou ir a um evento social. Alcançar seus objetivos ajudarão a aumentar sua auto-estima.

Qual profissional procurar quando estiver com baica autoestima?

Você pode encontrar ajuda para baixa autoestima em terapias psicológicas como aconselhamento ou terapia cognitivo-comportamental (TCC).

Marque uma sessão com um psicologo e converse sobre ele como você está se sentido

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei 6 passos simples para você melhorar a sua autoestima.

Antes de tudo, você viu o que é autoestima e o que causa baixa autoestima.

E também te mostrei como a baixa autoestima nos afeta e qual profissional você deve procurar.

Gostou do artigo? Deixa um comentário e vamos conversar mais sobre esse assunto. 

Janeiro Branco: Como você cuida da sua saúde mental?
Janeiro Branco Como você cuida da sua saúde mental

Em tempos de pandemia, Janeiro Branco chega à 8.ª edição mobilizando a sociedade em prol de um grande pacto pela Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse
Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer.  Por isso, no artigo Read more

Quais os benefícios do registro no diário para saúde mental
Quais os benefícios do registro no diário para saúde mental

Você sabe quais são os benefícios do registro no diário para a saúde mental? Eu não sei você, mas eu Read more

Como contar calorias para perder peso e manter a saúde
Como contar calorias para perder peso e manter a saúde

Para saber como contar calorias você precisa entender que há uma maneira correta de fazer isso para perder peso e Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer. 

Por isso, no artigo de hoje vou te mostrar:

  • O que é estresse;
  • Como identificar os sinais de estresse;
  • O que fazer quando se sentir estressado;
  • Sete etapas para ajudar a se proteger do estresse.

O que é estresse?

O que é estresse

Estresse é uma sensação de estar sob pressão anormal.

Essa pressão pode vir de diferentes aspectos do seu dia a dia: uma carga de trabalho aumentada, um período de transição, uma discussão ou preocupações. 

Aliás, você pode descobrir que tem um efeito cumulativo, com cada estressor se acumulando. Por exemplo, você já teve um dia que um simples acontecimento desencadeou estresse para o resto dia? 

É comum, durante essas situações, você se sentir ameaçado ou chateado e seu corpo criar uma resposta ao estresse.

No entanto, o problema é que isso pode causar uma variedade de sintomas físicos, mudar a maneira como você se comporta e levá-lo a sentir emoções mais intensas. 

Ou seja, o estresse nos afeta de várias maneiras, tanto física quanto emocionalmente, e em intensidades variadas. 

Como posso identificar os sinais de estresse?

Embora o estresse afete a todos de maneira diferente, existem sinais e sintomas comuns que você pode observar, como, por exemplo:

  • Sensação de estar sobrecarregado;
  • Sentimentos de preocupação ou ansiedade constantes;
  • Dificuldade de concentração;
  • Irritabilidade ou temperamento explosivo;
  • Mudanças de humor;
  • Dificuldade em relaxar;
  • Baixa autoestima;
  • Depressão;
  • Comendo mais (ou menos) do que o normal;
  • Usar álcool, tabaco ou drogas ilegais para relaxar;
  • Mudanças em seus hábitos de sono;
  • Dores, especialmente tensão muscular;
  • Sensação de náusea ou tontura;
  • Diarreia e constipação;
  • Perda do desejo sexual.

Além disso, é importante frisar que se você está experimentando esses sintomas por um período prolongado.

Ou sente que eles estão afetando sua vida cotidiana ou fazendo você se sentir mal, você precisa consultar um médico. 

O que fazer quando se sentir estressado?

O que fazer quando se sentir estressado

Agora que você já entende o que é estresse e como você pode identificar os sinais, você precisa saber como gerenciar o estresse. 

Por isso, vou te mostrar agora 3 atitudes simples para te ajudar quando você se sentir estressado.

1) Perceba quando isso está causando um problema

O primeiro passo é entender quando você está ficando estressado regularmente. É no trânsito? No trabalho? Quando acorda cedo?

Isto é, tente fazer a conexão entre sentir-se cansado ou doente e as pressões que você enfrenta.

Além disso, esteja atento a avisos físicos, como músculos tensos, cansaço excessivo, dores de cabeça ou enxaquecas.

2) Identifique as causas

Tente identificar as causas subjacentes. Isto é, classifique as possíveis razões para o seu estresse em três categorias:

  1. Uma solução prática;
  2. Vão melhorar com o tempo; 
  3. Você não pode fazer nada.

Por exemplo: se você se estressa muito quando está o trânsito uma solução prática é você optar pelo transporte público. 

Sendo assim, o segredo é tentar liberar a preocupação dos que estão no segundo e terceiro grupos e deixá-los ir.

3) Revise seu estilo de vida

Depois de fazer essas avaliações você precisa revisar seu estilo de vida.

Por exemplo: você poderia estar assumindo muito? Existem coisas que você está fazendo que poderiam ser entregues a outra pessoa? Você consegue fazer as coisas de uma forma mais tranquila?

Para agir de acordo com a resposta a essas perguntas, você precisa priorizar as coisas que está tentando alcançar e reorganizar sua vida.

Assim você libera a pressão que pode advir de tentar fazer tudo de uma vez.

Sete etapas para ajudar a se proteger do estresse

Sete etapas para ajudar a se proteger do estresse

Para finalizar vou te mostrar agora 7 etapas que podem te ajudar a se proteger do estresse. Veja só:

1. Alimente-se de maneira saudável

Comer de maneira saudável pode reduzir os riscos de doenças. Sem contar que a comida afeta nosso humor.

Sendo assim, você pode proteger sua sensação de bem-estar garantindo que sua dieta forneça quantidades adequadas de nutrientes para o cérebro, como vitaminas e minerais essenciais, além de beber água.

2. Esteja ciente de fumar e beber álcool

Pare, ou reduza, a quantidade que você fuma e bebe álcool. Mesmo que pareçam reduzir a tensão inicialmente, isso é enganoso, pois costumam piorar os problemas.

3. Pratique exercício físico

Experimente e integre o exercício físico ao seu estilo de vida, pois pode ser muito eficaz no alívio do estresse

Aliás, sair e tomar um pouco de ar fresco e fazer alguns exercícios físicos leves, como ir para uma caminhada, pode ajudar.

4. Tire um tempo para relaxar

Alcance o equilíbrio entre responsabilidade para com os outros e responsabilidade para consigo mesmo.

Ou seja, diga a si mesmo que não há problema em priorizar o autocuidado. 

Sei que às vezes nos punimos por estar assistindo Netflix ao invés de estudar, mas às vezes é esse tempo de descanso que vai te ajudar a ser mais produtivo. 

5. Esteja atento

Tente praticar a atenção plena regularmente. Você pode fazer isso, por exemplo, com a meditação mindfulness, que pode ser praticada em qualquer lugar a qualquer momento.

Em resumo, a Mindfulness é uma abordagem mente-corpo da vida que nos ajuda a nos relacionarmos de maneira diferente com as experiências.

Além disso, envolve prestar atenção aos nossos pensamentos e sentimentos de uma forma que aumente nossa capacidade de gerenciar o estresse em situações difíceis e fazer escolhas sábias.

6. Tenha um sono reparador

Você está descobrindo que está lutando para dormir? Este é um problema comum quando você está estressado e sua saúde física ou mental pode estar afetando sua capacidade de dormir.

Por isso, altere seu ambiente para ajudar a melhorar seu sono. Assim você pode se levantar em vez de ficar na cama quando sua mente está se preocupando à noite.

7. Não seja muito duro consigo mesmo

Tente manter as coisas em perspectiva. Lembre-se de que ter um dia ruim é uma experiência humana universal.

Sendo assim, quando o seu crítico interno ou externo encontra falhas, tente encontrar a verdade e a exceção ao que está sendo dito.

Por exemplo, se você sentir que falhou, não se culpe. Aja como se você fosse seu melhor amigo: seja gentil e apoie.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei (quase) tudo que você precisa saber sobre gerenciar o estresse.

Antes de tudo, você viu o que é estresse e como identificar os sinais de estresse.

Você viu também o que fazer quando se sentir estressado e sete etapas para ajudar a se proteger do estresse.

Gostou do artigo? Deixa um comentário e compartilhe com alguém que precisa saber disso. 

Janeiro Branco: Como você cuida da sua saúde mental?
Janeiro Branco Como você cuida da sua saúde mental

Em tempos de pandemia, Janeiro Branco chega à 8.ª edição mobilizando a sociedade em prol de um grande pacto pela Read more

Como aumentar autoestima em 7 passos simples
Como aumentar autoestima em 7 passos simples

Saber como aumentar autoestima é essencial para você ter uma saúde mental saudável.  No entanto, nem sempre é uma tarefa Read more

Quais os benefícios do registro no diário para saúde mental
Quais os benefícios do registro no diário para saúde mental

Você sabe quais são os benefícios do registro no diário para a saúde mental? Eu não sei você, mas eu Read more

Como contar calorias para perder peso e manter a saúde
Como contar calorias para perder peso e manter a saúde

Para saber como contar calorias você precisa entender que há uma maneira correta de fazer isso para perder peso e Read more

10 dicas para reduzir o consumo de álcool

10 dicas para reduzir o consumo de álcool

Você pensa em reduzir o consumo de álcool? Provavelmente, você tenha experimentado alguns efeitos negativos para a saúde por causa da bebida. 

Sendo assim, se a quantidade de álcool que você bebeu excede as diretrizes recomendadas.

Ou o coloca em risco de desenvolver problemas relacionados ao álcool, você pode tentar diminuir ou moderar o consumo.

Afinal de contas, beber muito álcool ou beber com muita frequência aumenta o risco de desenvolver uma lesão, ou doença relacionada ao álcool, como cirrose. 

Além disso, o consumo de álcool contribui para morte prematura e problemas de saúde.

Por exemplo, cerca de 25% dos consumidores de álcool na Inglaterra bebem em níveis de risco mais alto e 20% dos que bebem de alto risco tentam reduzir o consumo de álcool .

No entanto, as tentativas de reduzir não costumam levar a reduções reais no consumo de álcool.

Diante disso, separei para 10 dicas para reduzir o consumo de álcool. Veja só:

1) Defina uma meta realista

Defina uma meta realista

Anote quantas bebidas deseja beber por dia e quantos dias por semana deseja beber.

Isto é, anotar seus objetivos pode ajudar a lembrá-lo de que deseja limitar o consumo de álcool.

De acordo com o National Institutes of Health, apenas 2 em cada 100 pessoas que bebem de acordo com as diretrizes têm transtorno de uso de álcool.

Ou seja, pessoas que bebem dentro das diretrizes recomendadas têm um risco muito menor de desenvolver problemas. 

2) Conte suas bebidas

Registrar quantas bebidas você bebe também pode ajudá-lo a reduzir ou diminuir o consumo de álcool.

Sendo assim, você pode usar uma nota manuscrita ou registrar suas bebidas no smartphone, o que for mais conveniente para você.

3) Ponha-se no ritmo

Alguns bebedores que tentam reduzir o consumo tem obtido sucesso controlando seu hábito de beber.

Ou seja, eles tomam seus drinques lentamente ou certificando-se de que bebem apenas um gole por hora.

Isso porque pessoas que consomem bebidas rapidamente, especialmente as primeiras bebidas, correm maior risco de desenvolver abuso ou dependência do álcool.

4) Espaço entre suas bebidas

Espaço entre suas bebidas

Outro truque para reduzir o consumo de álcool é usar espaçadores: bebidas não alcoólicas entre as bebidas que contêm álcool. 

Aliás, não importa o quanto você bebe, é sempre uma boa ideia beber bastante água com suas bebidas alcoólicas.

Sendo assim, você pode alternar também com um copo de suco ou de refrigerante entre suas bebidas alcoólicas para diminuir o consumo.

5) Não se esqueça de comer

Comer alimentos pode ajudar reduzir o desejo por álcool.

Por isso, certificar-se de fazer uma refeição nos horários em que costuma beber para poder ajudá-lo a reduzir a quantidade que bebe.

Aliás, não é aconselhável beber com o estômago vazio.

6) Evite seus gatilhos

Esteja você tentando reduzir ou parar de beber, é uma boa ideia evitar situações em que você está acostumado a beber. 

Isso porque pessoas, lugares, coisas e certas atividades podem ser os gatilhos que fazem você ter vontade de beber. 

Sendo assim, evitar esses gatilhos pode impedir você de beber quando não o faria.

Além disso, pesquisas mostram que mudanças no ambiente que facilitam para as pessoas beberem menos podem ter um impacto substancial na saúde pública.

7) Faça outra coisa

Faça outra coisa

Se beber se tornou uma grande parte de sua vida, tente substituir por outras atividades durante aqueles momentos em que você costuma beber. 

Por exemplo, comece um hobby, um programa de exercícios, faça novos amigos ou passe mais tempo com sua família.

Ou seja, encontre algo que goste e que ocupe o tempo que você normalmente estaria bebendo.

8) Aprenda a dizer “não”

Provavelmente, você estará em situações em que alguém lhe oferecerá uma bebida ou espera que você beba com essa pessoa, como fazia no passado.

Por isso, aprenda a dizer educadamente “não, obrigado”, com sinceridade. Diga isso com rapidez e firmeza para não se dar tempo de mudar de ideia.

9) Não beba para “esquecer” alguma coisa

Se você estiver muio triste, com pensamos suicidas ou qualquer outro sentimento ruim não beba. Ainda mais se for para “esquecer” alguma coisa.

Aliás, o mais provável é que você não vá esquecer e no outro dia vai estar se sentido pior por beber demais. 

10) Procure ajuda

Se você perceber que nenhuma dessas dicas está surgindo efeito, procure ajude. Pode ser um médico ou associações que ajudam dependentes. 

O importante é você não ter vergonha de estar buscando ajuda para melhorar a sua saúde.

Áreas com as quais os governos poderiam trabalhar para reduzir o uso prejudicial de álcool

Áreas com as quais os governos poderiam trabalhar para reduzir o uso prejudicial de álcool

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada ano, 3 milhões de vidas são perdidas devido ao uso nocivo de álcool.

Sendo assim, a estratégia global da OMS para reduzir o uso prejudicial do álcool busca melhorar os resultados sociais e de saúde para indivíduos, famílias e comunidades, com morbidade e mortalidade consideravelmente reduzidas devido ao uso prejudicial do álcool e suas consequências sociais.

Prevê-se que a estratégia global irá promover e apoiar ações locais, regionais e globais para prevenir e reduzir o uso nocivo do álcool. 

A estratégia global concentra-se em dez áreas-chave de opções de políticas e intervenções em nível nacional. As dez áreas de ação nacional são:

  1. Liderança, consciência e comprometimento.
  2. Resposta dos serviços de saúde.
  3. Ação comunitária.
  4. Políticas e contramedidas para dirigir alcoolizado.
  5. Disponibilidade de álcool.
  6. Marketing de bebidas alcoólicas.
  7. Políticas de preços.
  8. Reduzindo as consequências negativas do consumo de álcool e intoxicação por álcool.
  9. Reduzir o impacto do álcool ilícito e do álcool produzido informalmente na saúde pública.
  10. Monitoramento e vigilância.

Conclusão

No artigo de hoje te mostrei 10 dicas para reduzir o consumo de álcool. Você viu que contar suas bebidas, evitar os gatilhos e aprender a dizer “não” são extremamente importantes para esse processo. 

Além disso, te mostrei quais áreas o governo pode trabalhar para ajudar a reduzir o uso prejudicial do álcool. 

Gostou do artigo? Deixe um comentário para gente conversar mais sobre esse assunto.

O que são doenças genéticas?
O que são doenças genéticas?

Você sabe o que são doenças genéticas? Provavelmente você conheça uma ou duas. Ou conhece alguém que tem.  Mas se Read more

Como aumentar autoestima em 7 passos simples
Como aumentar autoestima em 7 passos simples

Saber como aumentar autoestima é essencial para você ter uma saúde mental saudável.  No entanto, nem sempre é uma tarefa Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse
Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer.  Por isso, no artigo Read more

Como é diagnosticado o câncer de mama
Como é diagnosticado o câncer de mama

No artigo de hoje vou te mostrar quais são os principais procedimentos e exames solicitados para diagnosticar o câncer de Read more

Como é diagnosticado o câncer de mama

Como é diagnosticado o câncer de mama

No artigo de hoje vou te mostrar quais são os principais procedimentos e exames solicitados para diagnosticar o câncer de mama. 

Antes de tudo, os médicos usam muitos testes para encontrar ou diagnosticar o câncer de mama.

Também utilizam para saber se o câncer se espalhou para uma parte do corpo e para saber quais tratamentos funcionam melhor.

No entanto, para a maioria dos tipos de câncer. A biópsia é a única maneira segura do médico saber se uma área do corpo tem câncer.

Por outro lado, o médico também pode considerar os seguintes fatores;

  • Sinais e sintomas;
  • Idade e saúde geral;
  • Incidência de câncer na família;
  • Resultados de testes médicos anteriores.

Em geral, solicitam-se os exames quando a mulher ou o médico descobrem:

  • Uma massa;
  • Calcificações anormais em uma mamografia de rastreamento;
  • Um caroço; ou
  • Um nódulo na mama durante um exame clínico. 

Sendo assim, vou te mostrar agora os testes usados ​​para diagnosticar câncer de mama.

Mamografia diagnóstica

Utiliza-se a mamografia diagnóstica quando uma mulher apresenta sinais, como um novo nódulo ou secreção no mamilo.

Além disso, utiliza-se também quando encontra algo suspeito em uma mamografia de rastreamento.

Ultra-som

Um ultrassom usa ondas sonoras para criar uma imagem do tecido mamário.

Sendo assim, ele pode distinguir entre uma massa sólida, que pode ser câncer, e um cisto cheio de líquido, que, em geral, não é câncer.

Ressonância magnética

Uma ressonância magnética usa campos magnéticos, não raios-x, para produzir imagens detalhadas do corpo. 

Isto é aplica-se um corante especial denominado meio de contraste antes do exame para ajudar a criar uma imagem clara do possível câncer.

Utiliza-se também uma ressonância magnética de mama depois que uma mulher é diagnosticada com câncer.

O objetivo é descobrir quanto a doença cresceu ao longo da mama ou para verificar se há câncer na outra mama. 

Ela também é uma opção de rastreamento, junto com a mamografia. Para algumas mulheres com alto risco de desenvolver câncer de mama e para algumas mulheres com histórico de câncer de mama.

Além disso, utiliza-se a ressonância magnética como um método de vigilância após o diagnóstico e tratamento de câncer de mama.

Biopsia

A biópsia é a remoção de uma pequena quantidade de tecido para exame ao microscópio.

Outros testes podem sugerir que o câncer está presente, mas apenas uma biópsia pode fazer um diagnóstico definitivo. 

Além disso, existem diferentes tipos de biópsias, classificadas pela técnica e/ou tamanho da agulha utilizada para coletar a amostra de tecido. Veja só:

Biópsia aspirativa por agulha fina

Este tipo de biópsia usa uma agulha fina para remover uma pequena amostra de células.

Biópsia por agulha

Esse tipo de biópsia usa uma agulha mais larga para remover uma amostra maior de tecido.

Por certo, esta técnica de biópsia é a preferida para descobrir se há uma anormalidade em um exame físico ou um teste de imagem. 

Biópsia cirúrgica

Esse tipo de biópsia remove a maior quantidade de tecido. Como se realiza a cirurgia após o diagnóstico de câncer, uma biópsia cirúrgica, em geral, não é a maneira recomendada para diagnosticar o câncer de mama. 

Além disso, na maioria das vezes, recomendam-se as biópsias não cirúrgicas com agulha grossa para diagnosticar o câncer de mama. A fim de limitar a quantidade de tecido removido.

Biópsia guiada por imagem

Durante esse procedimento, uma agulha é guiada até o local da massa ou calcificações com o auxílio de uma técnica de imagem. Por exemplo, como mamografia, ultrassom ou ressonância magnética. 

Biópsia do linfonodo sentinela

Quando o câncer se espalha pelo sistema linfático, o linfonodo ou grupo de linfonodos que o câncer atinge primeiro é chamado de linfonodo “sentinela”. 

No câncer de mama, em geral, são os gânglios linfáticos sob os braços, chamados de gânglios linfáticos axilares.

Além disso, o procedimento de biópsia do linfonodo sentinela é uma forma de descobrir se há câncer nos linfonodos próximos à mama.

Analisando a amostra de biópsia

Analisando a amostra de biópsia

Analisar a amostra removida durante a biópsia pode ajudar seu médico a aprender sobre as características específicas de um câncer.

Além disso, também ajudam a determinar suas opções de tratamento.

Características do tumor

 Utiliza-se o exame do tumor ao microscópio para determinar se ele é invasivo ou não invasivo; ductal, lobular ou outro tipo de câncer de mama; e se o câncer se espalhou para os nódulos linfáticos. 

Examina-se as margens ou bordas do tumor e mede-se a distância do tumor até a borda do tecido removido, chamado de largura da margem.

Exames de sangue

Seu médico também pode precisar fazer vários tipos de exames de sangue. Esses testes podem ser feitos antes ou depois da cirurgia.

Hemograma completo

Um hemograma completo (CBC) é usado para medir o número de diferentes tipos de células em uma amostra de sangue de uma pessoa.

Isso é feito para garantir que sua medula óssea esteja funcionando bem.

Química do sangue

Este teste avalia se o fígado e os rins estão funcionando bem.

Testes de hepatite

Embora não seja atualmente o tratamento padrão. Esses testes são usados ​​ocasionalmente para verificar a existência de evidências de exposição anterior à hepatite B e/ou hepatite C. 

Sendo assim, se você tiver evidências de uma infecção de hepatite B ativa. Pode ser necessário tomar um medicamento especial para suprimir o vírus antes de receber quimioterapia.

Sem esse medicamento, a quimioterapia pode fazer com que o vírus cresça e danifique o fígado. 

Sintomas e sinais de câncer de mama

Sintomas e sinais de câncer de mama

A suspeita de câncer de mama, em geral, surge pela primeira vez quando um nódulo é detectado na mama.

Aliás, é durante o exame das mamas ou uma área suspeita é identificada durante a mamografia de rastreamento.

Para diagnosticar a causa da área suspeita ou caroço na mama, o médico fará uma biópsia. Outros sinais e sintomas de câncer de mama incluem:

  • Alterações na pele da mama,
  • Coceira;
  • Vermelhidão
  • Inchaço;
  • Fluido que vem do mamilo (amarelo, a cor do sangue);
  • Dor na mama.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei como é diagnosticado o câncer de mama.

Antes de tudo te mostrei os vários tipos de exames que podem ser realizados.

Além disso, você viu também quais são os sintomas e sinais que você precisar ficar atenta. 

Enfim… Gostou do artigo? Deixa um comentário e compartilhe nas redes sociais!

Quais os benefícios do registro no diário para saúde mental
Quais os benefícios do registro no diário para saúde mental

Você sabe quais são os benefícios do registro no diário para a saúde mental? Eu não sei você, mas eu Read more

Qual a importância da meditação para sua saúde
Qual a importância da meditação para sua saúde

A importância da meditação é um assunto cada vez mais recorrente. Em especial agora que a saúde mental é uma Read more

Como contar calorias para perder peso e manter a saúde
Como contar calorias para perder peso e manter a saúde

Para saber como contar calorias você precisa entender que há uma maneira correta de fazer isso para perder peso e Read more

O café faz mal à saúde? Saiba quais são os efeitos no seu organismo
O café faz mal à saúde? Saiba quais são os efeitos no seu organismo

Uma das principais dúvidas hoje em dia é se o café faz mal à saúde.  Você pode ter ouvido várias Read more

Quais os benefícios do registro no diário para saúde mental

Quais os benefícios do registro no diário para saúde mental

Você sabe quais são os benefícios do registro no diário para a saúde mental?

Eu não sei você, mas eu sempre fui apaixonada por diários. Desde a minha adolescência eu coleciono vários. 

Não sei se foi por causa da minha paixão por escrever que desencadeou esse hábito, mas até a vida adulto percebi o quanto escrever os meus pensamentos ajuda a minha saúde mental. 

Na adolescência eu não tinha esse conhecimento, mas depois de um tempo sem fazer um registro diário percebi o quanto aquele hábito me ajudou a passar por momentos complicados.

Benefícios de manter o diário para a saúde mental

Benefícios de manter o diário para a saúde mental

Uma das maneiras de lidar com qualquer emoção avassaladora é encontrar uma maneira saudável de se expressar.

Sendo assim, diário pode ser uma ferramenta útil no gerenciamento de sua saúde mental. O registro no diário pode ajudá-lo a:

  • Gerenciar ansiedade;
  • Reduzir o estresse;
  • Lidar com a depressão;
  • Ajuda a priorizar problemas, medos e preocupações;
  • Rastreia quaisquer sintomas no dia a dia para que você possa reconhecer os gatilhos e aprender maneiras de controlá-los melhor.

Ou seja, o registro diário oferece uma oportunidade para uma conversa interna positiva e te ajuda a identificar pensamentos e comportamentos negativos

Por exemplo, quando você tem um problema e está estressado, manter um diário pode ajudá-lo a identificar o que está causando esse estresse ou ansiedade.

Depois de identificar seus fatores de estresse, você pode encontrar uma maneira de resolver os problemas e reduzir seu estresse.

Teve um período da minha vida, por exemplo, que eu estava muito infeliz com as escolhas na minha carreira, mas eu não sabia exatamente o que era.

Até que voltei a escrever no meu diário e com o tempo percebi que estava infeliz porque não estava escrevendo.

A partir daí comecei a enviar currículo especificamente para vagas de produção de conteúdo. 

Além disso, é importante se lembrar de que o registro no diário é apenas um aspecto de um estilo de vida saudável para gerenciar melhor o estresse, a ansiedade e as condições de saúde mental. 

Mas não é apenas o único fator para melhorar a sua saúde mental, é essencial também:

  • Relaxar e meditar todos os dias;
  • Fazer uma dieta saudável e equilibrada;
  • Praticar exercícios regularmente;
  • Dormir bem todas as noites;
  • Ficar longe do álcool e das drogas.

Como fazer um diário

Como fazer um diário

Você não precisa comprar aquele diário rosa com cadeado de coração, você pode fazer os seus registros diários em um caderno comum. 

No início vai ser um desafio e você não vai saber ao certo o que escrever, mas o simples fato de colocar qualquer no papel já vai te ajudar a ter um dia melhor. 

Sendo assim, para te ajudar nesse processo, experimente estas dicas:

Tente escrever todos os dias

Reserve alguns minutos todos os dias para escrever. Isso o ajudará a escrever em seu diário regularmente.

Eu, geralmente, faço logo na primeira hora do dia e tento registrar tudo o que me incomodou no dia anterior. 

Mas você também pode escrever antes de dormir e descarregar todas as preocupações no seu diário. 

Deixe seu diário avista

Mantenha uma caneta e papel em um lugar que você sempre vai bater os olhos. Assim que você não vai se esquecer de faze o registro daquele dia.

Escreva o que achar melhor

Seu diário não precisa seguir nenhuma estrutura específica. É o seu lugar privado para discutir o que quiser.

Sendo assim, deixe as palavras fluírem livremente. Não se preocupe com erros de grafia ou com o que outras pessoas possam pensar.

Use seu diário como achar melhor

Você não precisa compartilhar seu diário com ninguém. Se quiser compartilhar alguns de seus pensamentos com amigos e entes queridos de confiança, você pode mostrar a eles partes de seu diário.

Mas o recomendado é você guardar para você, afinal nem todo mundo vai entender o que realmente estava passando na sua cabeça naquele momento.

Use aplicativos

Se você não quer escrever em um caderno você pode baixar aplicativos que vão te auxiliar nesses registros.

Aliás, algumas opções possuem até tem senha para você se sentir mais seguro.

Veja alguns aplicativos que você pode usar no seu celular ou tablet:

Manter um diário ajuda a criar ordem quando seu mundo parece um caos

Manter um diário ajuda a criar ordem quando seu mundo parece um caos

Deixe o preconceito de lado e tente escrever um diário. Você vai perceber que vai começar a se conhecer revelando seus medos, pensamentos e sentimentos mais íntimos. 

Considere o seu tempo de escrita como um tempo de relaxamento pessoal. É um momento em que você pode desestressar e relaxar. Escreva em um local relaxante e, talvez, faça uma xícara de chá. 

Aguarde seu tempo de registro no diário. E saiba que você está fazendo algo bom para sua mente e corpo.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei quais os benefícios do registro no diário para saúde mental. 

Antes de tudo, você viu como fazer um diário e quais aplicativos você pode usar.

Além disso, te mostrei também que manter um diário ajuda a criar ordem no seu mundo quando tudo parece um caos. 

Enfim… Faça o teste!

Depois me conta nos comentários como foi a sua experiência! Já tem esse hábito?

Aliás, compartilhe esse artigo com alguém que precisa saber quais são os benefícios do registro no diário.

Janeiro Branco: Como você cuida da sua saúde mental?
Janeiro Branco Como você cuida da sua saúde mental

Em tempos de pandemia, Janeiro Branco chega à 8.ª edição mobilizando a sociedade em prol de um grande pacto pela Read more

Como aumentar autoestima em 7 passos simples
Como aumentar autoestima em 7 passos simples

Saber como aumentar autoestima é essencial para você ter uma saúde mental saudável.  No entanto, nem sempre é uma tarefa Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse
Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer.  Por isso, no artigo Read more

Como contar calorias para perder peso e manter a saúde
Como contar calorias para perder peso e manter a saúde

Para saber como contar calorias você precisa entender que há uma maneira correta de fazer isso para perder peso e Read more

Qual a importância da meditação para sua saúde

Qual a importância da meditação para sua saúde

A importância da meditação é um assunto cada vez mais recorrente. Em especial agora que a saúde mental é uma das áreas mais necessárias para o ser humano cuidar.

Afinal de contas, a meditação é um processo habitual de treinar sua mente para focalizar e redirecionar seus pensamentos.

Por isso, muitas pessoas pensam nisso como uma forma de reduzir o estresse e desenvolver a concentração.

No entanto, esses não são os únicos benefícios. Sendo assim, separei para você 9 benefícios da meditação para a saúde.

Começando por…

1) A meditação reduz o estresse

A meditação reduz o estresse

A importância da meditação tem uma relação comum com a redução do estresse.

Um estudo incluindo mais de 3.500 adultos mostrou que esse benefício é verifico.

Por certo, o estresse mental e físico causam níveis elevados do hormônio do estresse cortisol.

Isso é, muitos dos efeitos nocivos que podem perturbar o sono, promover depressão e ansiedade.

Além disso, também pode aumentar a pressão arterial e contribuir para a fadiga e o pensamento turvo.

2) A meditação controla a ansiedade

Um estudo de meditação da atenção plena durante oito semanas ajudou os participantes a reduzir sua ansiedade.

Isto é, também reduziu os sintomas de:

  • Transtornos de ansiedade, como fobias;
  • Ansiedade social;
  • Pensamentos paranoicos;
  • Comportamentos obsessivo-compulsivos e ataques de pânico.

Além disso, a meditação também pode ajudar a controlar a ansiedade relacionada ao trabalho em ambientes de trabalho de alta pressão.

Aliás, um estudo descobriu que um programa de meditação reduziu a ansiedade em um grupo de enfermeiras.

3) A meditação promove a saúde emocional

Algumas formas de meditação também podem levar a uma autoimagem melhorada e a uma visão mais positiva da vida.

Dois estudos de meditação da atenção plena encontraram diminuição da depressão em mais de 4.600 adultos.

Substâncias químicas inflamatórias chamadas citocinas, que são liberadas em resposta ao estresse, podem afetar o humor, levando à depressão.

Sendo assim, a meditação pode reduzir a depressão, porque ajuda a diminuir esses produtos químicos inflamatórios.

4) A meditação aumenta a autoconsciência

A meditação aumenta a autoconsciência

Algumas formas de meditação podem ajudá-lo a desenvolver uma compreensão mais forte de si mesmo, ajudando-o a crescer no seu melhor eu.

Por exemplo, há um tipo de meditação que ajuda a desenvolver uma maior compreensão de si mesmo e de como você se relaciona com as pessoas ao seu redor.

Outras formas ensinam você a reconhecer pensamentos que podem ser prejudiciais ou autodestrutivos.

A ideia é que, à medida que você ganha maior consciência de seus hábitos de pensamento, pode direcioná-los para padrões mais construtivos.

5) A meditação aumenta a capacidade de atenção

A importância da meditação também tem relação com ajudar a aumentar a força e a resistência da sua atenção.

Um estudo analisou os efeitos de um curso de meditação de oito semanas e descobriu que melhorou a capacidade dos participantes de reorientar e manter a atenção.

Além disso, a meditação pode também reverter os padrões do cérebro que contribuem para divagações, preocupações e atenção insuficiente.

Até mesmo meditar por um curto período pode beneficiá-lo. Um estudo descobriu que quatro dias de prática de meditação podem ser suficientes para aumentar a capacidade de atenção.

6) A meditação pode reduzir a perda de memória relacionada à idade

Melhorias na atenção e clareza de pensamento podem ajudar a manter sua mente jovem.

Por exemplo, o Kirtan Kriya, um método de meditação que combina um mantra ou canto com movimentos repetitivos dos dedos.

Melhorou a capacidade dos participantes de realizar tarefas de memória em vários estudos de perda de memória relacionada à idade.

7) A meditação melhora o sono

A meditação melhora o sono

Um estudo comparou dois programas de meditação baseados na atenção plena, atribuindo aleatoriamente os participantes a um de dois grupos. Um grupo praticava meditação, enquanto o outro não.

A conclusão foi que os participantes que meditaram adormeceram mais cedo e permaneceram dormindo por mais tempo, em comparação com aqueles que não meditaram.

Ou seja, a meditação pode ajudá-lo a controlar ou redirecionar os pensamentos acelerados que muitas vezes levam à insônia. Além de relaxar o corpo, liberar a tensão e colocá-lo em um estado de paz.

8) A meditação ajuda a controlar a dor

A percepção da dor está ligada ao estado de espírito. Pode parecer confuso, mas vou te explicar.

Um estudo usou técnicas funcionais de ressonância magnética para observar a atividade cerebral enquanto os participantes experimentavam um estímulo doloroso.

Alguns participantes passaram por quatro dias de treinamento de meditação da atenção plena, enquanto outros não.

O resultado foi que os pacientes que meditavam mostraram aumento da atividade nos centros cerebrais conhecidos por controlar a dor. Além disso, eles também relataram menos sensibilidade à dor.

9) A meditação pode ajudar a combater vícios

A disciplina mental que você pode desenvolver por meio da meditação pode ajudá-lo a romper dependências. Assim aumentando seu autocontrole e consciência dos gatilhos para comportamentos de dependência.

Sendo assim, segunda uma pesquisa, a meditação pode ajudar as pessoas a:

  • Aprender a redirecionar sua atenção;
  • Aumentar sua força de vontade;
  • Controlar suas emoções e impulsos;
  • Aumentar sua compreensão das causas por trás de seus comportamentos de dependência.

Além disso, a meditação também pode ajudá-lo a controlar os desejos por comida.

Uma revisão de 14 estudos descobriu que a meditação mindfulness ajudou os participantes a reduzir a ingestão emocional e compulsiva.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei a importância da meditação.

Antes de tudo, você viu que a meditação reduz o estresse, controla a ansiedade e promove a saúde emocional. 

Você viu também que essa prática aumenta a autoconsciência, a compacidade de concentração e as chances de perda da memória. 

Além disso, te mostrei também que a meditação melhora o sono, ajuda a controlar a dor e a combater vícios.

Gostou do artigo ou conhece alguém que precisa ler sobre esse assunto? Deixa um comentário e envia o link desse artigo para alguém importante para você.

O que são doenças genéticas?
O que são doenças genéticas?

Você sabe o que são doenças genéticas? Provavelmente você conheça uma ou duas. Ou conhece alguém que tem.  Mas se Read more

Como aumentar autoestima em 7 passos simples
Como aumentar autoestima em 7 passos simples

Saber como aumentar autoestima é essencial para você ter uma saúde mental saudável.  No entanto, nem sempre é uma tarefa Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse
Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer.  Por isso, no artigo Read more

10 dicas para reduzir o consumo de álcool
10 dicas para reduzir o consumo de álcool

Você pensa em reduzir o consumo de álcool? Provavelmente, você tenha experimentado alguns efeitos negativos para a saúde por causa Read more

Como contar calorias para perder peso e manter a saúde

Como contar calorias para perder peso e manter a saúde

Para saber como contar calorias você precisa entender que há uma maneira correta de fazer isso para perder peso e manter a sua saúde. 

Sei que há muitas informações milagrosas na internet sobre esse assunto, mas o que vou te mostrar aqui são dicas aplicáveis para você não comprometer o seu bem-estar.

Mas antes de te mostrar como isso funciona, você sabe o que são calorias?

O que são calorias?

O que são calorias

Cientificamente falando uma caloria é definida como a quantidade de energia necessária para elevar a temperatura de 1 quilograma de água em 1 grau Celsius.

As calorias são uma medida de energia, normalmente usada para medir o conteúdo energético de alimentos e bebidas.

Você usa as calorias que ingere e bebe para funções essenciais, como respirar e pensar, e também para atividades cotidianas, como caminhar, falar e comer.

Sendo assim, qualquer excesso de calorias que você ingira será armazenado como gordura.

Por que contar calorias?

É bastante comum ouvir que as calorias não importam e a contagem de calorias é uma perda de tempo.

No entanto, todos os estudos de superalimentação descobriram que, quando as pessoas comem mais calorias do que queimam, elas ganham peso.

Isso quer dizer que contar calorias e limitar a ingestão pode ser eficaz para prevenir ganho ou perda de peso, desde que você consiga mantê-lo.

Quantas calorias você deve ingerir?

Quantas calorias você precisa depende de fatores como sexo, idade, peso e nível de atividade.

Um atleta de 25 anos, por exemplo, precisa de mais calorias do que uma mulher de 70 que não pratica exercícios.

Por isso, é essencial você saber exatamente quantas calorias você deve ingerir por dia para perder, manter ou ganhar peso.

Por exemplo, se você deseja perder 4,5 quilos em dez semanas (meio quilo por semana).

E meio quilo de gordura corporal equivale aproximadamente a 3.500 calorias, embora haja potencial para variação entre os indivíduos, você precisa criar um deficit calórico de 3.500 calorias por semana para perder meio quilo. 

Você pode fazer isso de algumas maneiras: 

  • Reduza o consumo de calorias em 500 calorias por dia; 
  • Aumente ou intensifique o exercício para queimar 500 calorias por dia; 
  • Uma mistura dos dois, por exemplo, reduza o consumo de calorias em 250 calorias por dia e queime 250 calorias adicionais por dia através do exercício.

Os melhores aplicativos para ajudá-lo a contar calorias

Os melhores aplicativos para ajudá-lo a contar calorias

Devido aos avanços da tecnologia, colocar em prática a contagem de calorias pode ser relativamente fácil hoje em dia.

Muitos aplicativos e sites estão disponíveis para simplificar o processo, fornecendo maneiras rápidas e fáceis de registrar os alimentos que você come.

Por isso, separei para você uma lista com os principais aplicativos/site de contagem de calorias grátis mais populares:

Como pesar e medir suas porções

De maneira geral, as pessoas não são muito boas em estimar quanto comem.

Por isso, a contagem de calorias pode ajudá-lo a combater a ingestão excessiva, dando-lhe uma melhor compreensão de quanto você está realmente consumindo.

Porém, para que funcione, é necessário registrar as porções de alimentos corretamente. Para isso você pode usar:

  • Balança: a maneira mais precisa de determinar quanto você está comendo é pesar a comida. No entanto, isso pode ser demorado e nem sempre prático.
  • Copos de medição: as medidas de volume padrão são ligeiramente mais rápidas e fáceis de usar do que uma balança, mas às vezes podem ser demoradas e complicadas.
  • Sites e aplicativos: vários sites e aplicativos, como o Dieta e Emagrecer, já possuem uma tabela em que você só precisa anotar para ter esse controle. 

A qualidade da sua dieta ainda é importante

Quando se trata de alimentos e do corpo humano, uma caloria não é necessariamente qualquer caloria.

Por exemplo, 100 calorias de brócolis afetarão sua saúde de maneira diferente de 100 calorias de batatas fritas.

Isso é importante porque sua dieta geral e os tipos de alimentos que você ingere afetam sua saúde.

Por isso, é essencial basear sua dieta em alimentos de alta qualidade de plantas ou animais do que em alimentos  minimamente processados.

Alimentos de alta qualidade não só fornecem benefícios para a saúde, mas também tornam muito mais fácil consumir menos calorias a longo prazo.

Quando a contagem de calorias funciona e quando não

Quando a contagem de calorias funciona e quando não

A contagem de calorias não é para todos. Isso porque algumas pessoas querem apenas comer e desfrutar sem se preocupar com o valor calórico, outras não têm tempo ou energia para contar calorias e outras têm objetivos de saúde que não envolvem a contagem de calorias. 

Por isso, é importante você entender quando a contagem de calorias funciona e quando ela não funciona. Assim você decide se vale ou não apena fazer esse esforço.

A contagem de calorias funciona quando: 

  • Seu foco é estritamente perder ou ganhar peso; 
  • Você quer uma maneira simples e despojada de controlar sua dieta;
  • Você precisa se manter informado por motivos médicos.

A contagem de calorias não é o melhor método se: 

  • Você deseja alterar a composição corporal;
  • Deseja ou precisa controlar os micronutrientes, como vitaminas ou minerais específicos;
  • Você tem um histórico de alimentação desordenada e sente necessidade de reduzir drasticamente as calorias a um nível prejudicial à saúde;
  • Você não tem certeza de quantas calorias precisa comer.

Dica extra: Cozinhando do zero

Dica extra: Cozinhando do zero

Ao cozinhar do zero, você precisa calcular o total de calorias adicionando o conteúdo calórico de cada ingrediente.

Para fazer isso é só olhar rótulos de alimentos, balanças de cozinha para pesar os ingredientes e um contador de calorias online.

Por exemplo, se você vai fazer um espaguete à bolonhesa para 4 pessoas. O molho à bolonhesa com carne moída magra, cebola, tomate picado, cenoura, caldo de vegetais, azeite de oliva e ervas e especiarias, a sua contagem ficaria assim:

  • 280g de espaguete integral seco: 975kcal (4.075kJ)
  • 200g de carne moída magra: 342kcal (1.429kJ)
  • 2 latas de 400g de tomate picado: 192kcal (802kJ)
  • 1 cebola: 55kcal (230kJ)
  • 2 cenouras: 70kcal (292kJ)
  • uma colher de sopa de azeite: 119kcal (497kJ)
  • caldo de vegetais, ervas e especiarias: o conteúdo calórico é quase zero e pode ser ignorado

O conteúdo calórico total desta receita é 975 + 342 + 192 + 55 + 70 + 119 = 1.753kcal (7.327kJ).

Sendo assim, se você comer um quarto (1 porção), consumirá 1.753 / 4 = 438kcal (1.831kJ).

Conclusão

No artigo de hoje te mostrei como contar calorias para perder peso e manter a saúde.

Você viu o que são calorias, por que contar calorias e quantas você precisa ingerir.

Você viu também os melhores aplicativos para contar calorias, como pesar e medir porções e quando a contagem funciona e quando ela não funciona. 

Além disso, te mostrei que a qualidade da sua dieta é extremamente importante e ainda te dei uma dica extra sobre como contar as calorias quando você está cozinhado do zero.

Gostou do artigo? Deixa um comentário e vamos conversar mais sobre esse assunto.

O que são doenças genéticas?
O que são doenças genéticas?

Você sabe o que são doenças genéticas? Provavelmente você conheça uma ou duas. Ou conhece alguém que tem.  Mas se Read more

Como aumentar autoestima em 7 passos simples
Como aumentar autoestima em 7 passos simples

Saber como aumentar autoestima é essencial para você ter uma saúde mental saudável.  No entanto, nem sempre é uma tarefa Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse
Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer.  Por isso, no artigo Read more

10 dicas para reduzir o consumo de álcool
10 dicas para reduzir o consumo de álcool

Você pensa em reduzir o consumo de álcool? Provavelmente, você tenha experimentado alguns efeitos negativos para a saúde por causa Read more

O café faz mal à saúde? Saiba quais são os efeitos no seu organismo

O café faz mal à saúde? Saiba quais são os efeitos no seu organismo

Uma das principais dúvidas hoje em dia é se o café faz mal à saúde.  Você pode ter ouvido várias coisas boas e até outras não tão boas assim. 

O fato é que é rico em antioxidantes e está associado a um risco reduzido de muitas doenças.

E, por outro lado, também contém cafeína, um estimulante que pode causar problemas em algumas pessoas e interromper o sono.

Por isso, neste artigo vou te mostrar os efeitos do café na saúde, analisando os pontos positivos e negativos.

O café contém alguns nutrientes essenciais e é extremamente rico em antioxidantes

O café contém alguns nutrientes essenciais e é extremamente rico em antioxidantes

O café é rico em muitos dos nutrientes encontrados naturalmente nos grãos de café.

Uma xícara de café de 240 ml contém:

  • Vitamina B2, B5, B1 e B3;
  • Folato;
  • Manganês;
  • Potássio;
  • Magnésio;
  • Fósforo.

A cafeína é um estimulante que pode melhorar a função cerebral e aumentar o metabolismo

A cafeína é a substância psicoativa mais comumente consumida no mundo. Eu não sei se você sabe, mas refrigerantes, chá e chocolate também contêm cafeína.

A cafeína de um único copo pode variar de 30 a 300 mg, mas o copo médio fica em torno de 90 a 100 mg.

No cérebro, a cafeína bloqueia a função de um neurotransmissor inibidor (hormônio cerebral) chamado adenosina.

Ao bloquear a adenosina, a cafeína aumenta a atividade no cérebro e libera outros neurotransmissores como a norepinefrina e a dopamina. Isso reduz o cansaço e faz você se sentir mais alerta.

Estudos demonstram que a cafeína pode levar a um aumento de curto prazo na função cerebral. Isto é melhorando o humor, o tempo de reação, a vigilância e a função cognitiva geral.

Além disso, a cafeína também pode aumentar o metabolismo em 3–11% e o desempenho nos exercícios em 11–12%, em média.

No entanto, é importante ressaltar que alguns desses efeitos são de curto prazo.

O que quero dizer que se você beber café todos os dias, você criará uma tolerância. e com isso, os efeitos serão menos poderosos. 

Café pode proteger seu cérebro contra Alzheimer e Parkinson

Estudos demonstraram que os consumidores de café têm risco até 65% menor de desenvolver a doença de Alzheimer (doença neurodegenerativa mais comum do mundo). 

Já o Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa mais comum e é causada pela morte de neurônios geradores de dopamina no cérebro.

Os consumidores de café têm um risco de 32 a 60% menor de desenvolver doença de Parkinson. 

Quem toma café tem um risco muito menor de diabetes tipo 2

Quem toma café tem um risco muito menor de diabetes tipo 2

A diabetes tipo 2 é caracterizada por níveis elevados de açúcar no sangue devido à resistência aos efeitos da insulina.

Estudos mostram que os bebedores de café podem ter um risco de 23 a 67% reduzido de desenvolver essa condição.

Quem bebe café tem menor risco de doenças hepáticas

Doenças hepáticas são aquelas que atinge as funções do fígado.

O estágio final da lesão hepática é chamado de cirrose e envolve a transformação da maior parte do fígado em tecido cicatricial.

Segundo um estudo, as pessoas que bebem café têm risco até 84% menor de desenvolver cirrose.

No entanto, o efeito mais forte para aqueles que bebem 4 ou mais xícaras por dia.

Além disso, há outro estudo que mostra que as pessoas que bebem café  têm um risco até 40% menor de câncer de fígado.

Quem bebe café tem um risco muito menor de depressão e suicídio

A depressão é o transtorno mental mais comum do mundo e leva a uma redução significativa da qualidade de vida.

Um estudo de Harvard mostrou que pessoas que bebem café têm menor risco de ficar deprimidas e são significativamente menos propensas a cometer suicídio.

A cafeína pode causar ansiedade e perturbar o sono

A cafeína pode causar ansiedade e perturbar o sono

Não seria certo falar apenas sobre o bem sem mencionar o mal. A verdade é que o café também possui alguns aspectos negativos, embora isso dependa de cada pessoa.

Por exemplo, consumir muita cafeína pode causar nervosismo, ansiedade, palpitações cardíacas e até ataques de pânico exacerbados.

Além disso, outro efeito colateral indesejado é que pode perturbar o sono, efeitos diuréticos e aumento da pressão arterial.

A cafeína causa dependência e a falta de algumas xícaras pode levar à abstinência

Outro problema é que a cafeína é uma substância viciante. Pode levar à tolerância e sintomas de abstinência bem documentados, como dores de cabeça, cansaço e irritabilidade.

Além disso, quando as pessoas consomem cafeína regularmente, tornam-se tolerantes a ela. 

Como maximizar os benefícios para a saúde

Existem algumas coisas que você pode fazer para maximizar os efeitos benéficos do café para a saúde. Por exemplo, você pode não adicionar muito açúcar.

Sendo assim, em vez de se encher de açúcar ou leite você pode a experimentar misturar ¼ colher de:

  • Extrato de baunilha;
  • Cardamomo;
  • Canela;
  • Cacau em pó.

Outra técnica é preparar o café com um filtro de papel. O café não filtrado contém cafestol, uma substância que pode aumentar os níveis de colesterol.

Além disso, certifique-se de não beber quantidades excessivas de café.

Você deve beber café?

Você deve beber café

Algumas pessoas definitivamente deveriam evitar ou limitar severamente o consumo de café.

Pessoas com problemas de ansiedade, pressão alta ou insônia também devem reduzir a ingestão por um tempo.

No entanto, se você ainda não bebe café, esses benefícios não são um motivo convincente para começar a fazê-lo. Existem desvantagens também.

Mas se você já bebe café e gosta dele, os benefícios parecem superar os negativos.

Quanto café é seguro beber por dia?

É seguro beber de três a cinco xícaras de café por dia com uma ingestão máxima de 400 miligramas de cafeína. (O teor de cafeína pode variar dependendo do tipo de café, mas uma xícara média de 240 ml tem 95 miligramas.)

No entanto, se você está grávida ou amamentando, as regras são diferentes. Verifique com seu obstetra antes de adicionar cafeína em sua dieta.

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei se o café faz mal à saúde.

Antes de tudo, você viu que ele contém nutrientes ricos em antioxidantes e que pode diminuir a probabilidade de doenças como Parkinson e depressão. 

Você viu também que a cafeína pode causa ansiedade e dependência.

Além disso, te mostrei como você pode maximizar os benefícios do café para a sua saúde e se você deve ou não beber café.

Enfim… Gostou do artigo? Deixe um comentário e compartilhe nas redes sociais. 

O que são doenças genéticas?
O que são doenças genéticas?

Você sabe o que são doenças genéticas? Provavelmente você conheça uma ou duas. Ou conhece alguém que tem.  Mas se Read more

Como aumentar autoestima em 7 passos simples
Como aumentar autoestima em 7 passos simples

Saber como aumentar autoestima é essencial para você ter uma saúde mental saudável.  No entanto, nem sempre é uma tarefa Read more

Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse
Saiba AGORA o que você precisa para gerenciar o estresse

Gerenciar o estresse pode ser mais estressante se você não souber o que realmente precisa fazer.  Por isso, no artigo Read more

10 dicas para reduzir o consumo de álcool
10 dicas para reduzir o consumo de álcool

Você pensa em reduzir o consumo de álcool? Provavelmente, você tenha experimentado alguns efeitos negativos para a saúde por causa Read more

O-que-e-uma-doula-nao-se-decida-antes-de-ler-isso-

O que é uma doula: não se decida antes de ler isso

Saber o que é uma doula é essencial para quem está buscando esse tipo de opção durante a gravidez o parto. 

Não tome nenhuma decisão sobre esse assunto, antes de ler o artigo por completo.

Aqui você vai encontrar as principais informações sobre esse assunto. 

Pois vou te mostrar:

  • O que é uma doula;
  • O que uma doula faz e o que não faz;
  • Quanto custa o atendimento;
  • Quais são os benefícios;
  • Como a doula irá trabalhar;
  • Como encontrar a doula certa;
  • Esse trabalho é reconhecido.

Vamos lá?

O que é uma doula?

Doula é uma pessoa que fornece apoio emocional e físico a mulher durante a gravidez e o parto

É importante ressaltar que as doulas não são profissionais médicos.

Ela é uma profissional certificada que fez um programa de treinamento e passou em um exame sobre como ajudar mulheres grávidas e suas famílias.

O que uma Doula faz?

O que uma Doula faz?

A maioria dos relacionamentos doula-cliente começa alguns meses antes do nascimento do bebê.

Durante esse período, elas desenvolvem um relacionamento. Sendo assim, a mãe se sente livre para fazer perguntas, expressar seus medos e preocupações e assumir um papel ativo no plano de parto. 

Aliás, doulas podem fornecer informações sobre massagem perineal e outras técnicas que podem ajudar a reduzir o estresse e os traumas experimentados durante o parto.

Assim sendo, durante o parto, as doulas estão em constante proximidade com a mãe. 

Elas podem proporcionar conforto com técnicas de alívio da dor, incluindo técnicas de respiração, técnicas de relaxamento, massagem e posições de trabalho. 

Em resumo, o objetivo de uma doula é ajudar a mãe a ter um parto positivo e seguro, seja um parto normal ou uma cesariana.

Além disso, após o nascimento, muitas doulas de parto passam um tempo ajudando as mães a iniciar o processo de amamentação.

Isto é incentivando o vínculo entre o novo bebê e outros membros da família.

O que não faz?

Uma doula não:

  • Realiza qualquer procedimento médico ou clínico como aferir pressão, toques vaginais, monitoração de batimentos cardíacos fetais, administração de medicamentos;
  • Não discute procedimentos com a equipe ou questiona decisões.
  • Nunca substitui os profissionais convencionais envolvidos na assistência ao parto;
  • Não substitui o acompanhante escolhido pela parturiente. Isto é, apenas orienta o pai ou acompanhante a ter uma participação mais ativa no processo, sugerindo formas de prestar apoio e dar conforto à mulher.

Quanto custa o atendimento?

Não há um preço tabelado. Isto é o custo de contratação varia conforme a cidade e a região do Brasil, mas em média pode custar de R$ 1 mil a R$ 2.500 mil. 

Em geral, mãe e doula fecham um pacote que pode incluir encontros pré-parto e pós-parto. Além do acompanhamento na hora do nascimento do bebê e orientação à gestante online para tirar dúvidas simples. 

Além disso, é importante entender também que o custo da contratação é sempre pago de modo particular, sem a opção de reembolso de convênio médico.

Ou seja, o plano de saúde não cobre o atendimento realizado pela doula.

Quais são os benefícios de ter uma doula?

Quais são os benefícios de ter uma doula?

Uma recente revisão da Cochrane mostrou um número muito alto de resultados positivos ao nascer quando uma doula estava presente.

Sendo assim, com seu apoio, as mulheres eram menos propensas a administrar medicamentos para alívio da dor e menos propensas a ter um parto cesáreo. 

Além disso, outros estudos mostraram que ter uma doula como membro da equipe de parto:

  • Diminui a taxa de cesariana geral em 50%;
  • A duração do trabalho de parto em 25%;
  • O uso de ocitocina em 40%; e
  • As solicitações de peridural em 60%. 

Como a doula irá trabalhar com você?

Antes do parto, uma doula de nascimento, em regra:

  • Encontre-se com você durante o segundo ou terceiro trimestre para se familiarizar;
  • Ensina habilidades de relaxamento e respiração;
  • Responde às suas perguntas sobre o processo de nascimento;
  • Ajuda a entender os procedimentos do parto e possíveis complicações;
  • Ajuda a desenvolver um plano de parto.

Durante o trabalho de parto, a doula:

  • Fica com você para oferecer conforto e apoio;
  • Usa massagem e toque para ajudá-lo a relaxar e descansar;
  • Ajuda a entrar em posições confortáveis;
  • Auxilia a obter nutrição e líquidos adequados;
  • Ajuda a comunicar suas preferências a equipe médica;
  • Envolve e tranquilize o futuro pai.

Após o parto, uma doula pode:

  • Fornecer apoio e incentivo a você e ao pai depois de levar o bebê para casa;
  • Ensinar vocês dois como cuidar do bebê;
  • Auxiliar na educação sobre amamentação;
  • Ensinar o pai e outros irmãos em como eles podem ajudar;
  • Certificar de descansar bastante, comer regularmente, manter-se hidratada e confortável.

Encontrando a doula certa

Encontrando a doula certa

Você pode contratar uma doula em qualquer fase da gestação, mas o recomendado é que você começar sua busca no início do terceiro semestre. Isto é para ter bastante tempo para encontrar a doula certa para você.

A chave para escolher uma doula é encontrar uma pessoa com quem você se sinta confortável.

A maioria não cobra uma consulta inicial. Portanto, reserve um tempo para entrevistar o número necessário até encontrar uma boa correspondência.

Além disso, é importante também, ao procurar sua doula, que você faça as seguintes perguntas:

  • Que treinamento você já teve?
  • Quais os serviços que você oferece?
  • Quais são as suas taxas?
  • Você está disponível para minha data de vencimento?
  • O que fez você decidir se tornar uma doula?
  • Qual é a sua filosofia em relação ao parto?
  • Você estaria disponível para me encontrar antes do nascimento para discutir meu plano de parto?
  • O que acontece se, por algum motivo, você não estiver disponível no momento do parto?
  • Qual é a sua filosofia para apoiar mães e pais durante o parto?
  • Quais coisas você fará durante o parto?
  • Você tem um relacionamento de trabalho positivo com o hospital onde você planeja dar à luz?
  • Você estará disponível no dia previsto para o parto?
  • Qual é seu preço?

Aliás, você consegue encontrar uma doula em sites especializados no assunto. Como, por exemplo, Doulas do Brasil, pesquisando em listas de discussão de gestantes na internet e blogs que algumas profissionais mantêm.

O trabalho da doula é reconhecido?

A atuação da doula durante o parto é reconhecida e estimulada pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em muitos países, como Canadá e Estados Unidos, o acompanhamento das doulas é incentivado pelos médicos. 

No Brasil, as doulas foram incluídas na Classificação Brasileira de Ocupação e conquistam seus certificados em cursos de até 200 horas.

Assim sendo, elas ensinam, além da teoria sobre o parto e as práticas para a profissão, todos os cuidados a respeito da proteção individual e das gestantes em um ambiente hospitalar. 

Conclusão

Em resumo, no artigo de hoje te mostrei o que é uma doula, o que ela faz e o que ela não faz.

Antes de tudo, você viu também quanto custa o atendimento, quais são os benefícios e como a doula irá trabalhar.

Além disso, te mostrei também como você pode encontrar a doula certa e se o trabalho da doula é reconhecido no Brasil?

Gostou do artigo? Deixe um comentário! Assim vou fazer que posso trazer mais assuntos como este para o blog.

Como é diagnosticado o câncer de mama
Como é diagnosticado o câncer de mama

No artigo de hoje vou te mostrar quais são os principais procedimentos e exames solicitados para diagnosticar o câncer de Read more

Quais os benefícios do registro no diário para saúde mental
Quais os benefícios do registro no diário para saúde mental

Você sabe quais são os benefícios do registro no diário para a saúde mental? Eu não sei você, mas eu Read more

Qual a importância da meditação para sua saúde
Qual a importância da meditação para sua saúde

A importância da meditação é um assunto cada vez mais recorrente. Em especial agora que a saúde mental é uma Read more

Como contar calorias para perder peso e manter a saúde
Como contar calorias para perder peso e manter a saúde

Para saber como contar calorias você precisa entender que há uma maneira correta de fazer isso para perder peso e Read more